Credo in Unam, Sanctam, Cathólicam et Apostólicam Ecclésiam

"Na presença dos Anjos ei de cantar-Vos e adorar-Vos no vosso santuário."
(Salmo 137, 1)

terça-feira, 29 de junho de 2010

A Virtude da Castidade



Todos nós somos chamados a viver a Castidade e a buscar a Santidade. Mas o que seria Castidade?

"§2345 A castidade é uma virtude moral. É também um dom de Deus, uma graça, um fruto da obra espiritual. O Espírito Santo concede o dom de imitar a pureza de Cristo àquele que foi regenerado pela água do Batismo...

§2348 Todo batizado é chamado à castidade. O cristão "se vestiu de Cristo", modelo de toda castidade. Todos os fiéis de Cristo são chamados a levar uma vida casta segundo seu específico estado de vida. No momento do Batismo, o cristão se comprometeu a viver sua afetividade na castidade."

§2349 "A castidade há de distinguir as pessoas de acordo com seus diferentes estados de vida: umas na virgindade ou no celibato consagrado, maneira eminente de se dedicar mais facilmente a Deus com um coração indiviso; outras, da maneira como a lei moral determina, conforme forem casados ou celibatários." As pessoas casadas são convidadas a viver a castidade conjugal; os outros praticam a castidade na continência....

C.15.8 Coração puro e castidade

§2518 A sexta bem-aventurança proclama: "Bem-aventurados os puros de coração, porque verão a Deus" (Mt 5,8). A expressão "puros de coração" designa aqueles que entregaram o coração e a inteligência às exigências da santidade de Deus, principalmente em três campos: a caridade, a castidade ou a retidão sexual, o amor à verdade e à ortodoxia da fé. Existe um laço de união entre a pureza do coração, do corpo e da fé:

Os fiéis devem crer nos artigos do símbolo, "para que, crendo, obedeçam a Deus; obedecendo, vivam corretamente; vivendo corretamente, purifiquem seu coração; e, purificando o coração, compreendam o que crêem".

§2520 O Batismo confere àquele que o recebe a graça da purificação de todos os pecados. Mas o batizado deve continuar a lutar contra a concupiscência da carne e as cobiças desordenadas. Com a graça de Deus, alcançará a pureza de coração:

-pela virtude e pelo dom da castidade, pois a castidade permite amar com um coração reto e indiviso;

-pela pureza de intenção, que consiste em ter em vista o fim verdadeiro do homem; com uma atitude simples, o batizado procura encontrar e realizar a vontade de Deus em todas as coisas;

-pela pureza do olhar, exterior e interior; pela disciplina dos sentimentos e da imaginação; pela recusa de toda complacência nos pensamentos impuros que tendem a desviar do caminho dos mandamentos divinos: "A desperta a paixão dos insensatos" (Sb 15,5);

-pela oração.

§2532 A purificação do coração exige a oração, a prática da castidade, a pureza da intenção e do olhar.

C.15.10 Espírito Santo na origem da virtude da castidade

§1832 Os frutos do Espírito são perfeições que o Espírito Santo forma em nós como primícias da glória eterna. A Tradição da Igreja enumera doze: "caridade, alegria, paz, paciência, longanimidade, bondade, benignidade, mansidão, fidelidade, modéstia, continência e castidade" (Gl 5,22-23 vulg.).

§2341 A virtude da castidade é comandada pela virtude cardeal da temperança, que tem em vista fazer depender da razão a paixões e os apetites da sensibilidade humana.

§2395 A castidade significa a integração da sexualidade na pessoa. Inclui a aprendizagem do domínio pessoal.

Vida Consagrada e Castidade

§915 Os conselhos evangélicos, em sua multiplicidade, são propostos a todo discípulo de Cristo. A perfeição da caridade à qual todos os fiéis são chamados comporta para os que assumem livremente o chamado à vida consagrada a obrigação de praticar, a castidade no celibato pelo Reino, a pobreza e a obediência. E a profissão desses conselhos em um estado de vida estável reconhecido pela Igreja que caracteriza a "vida consagrada" a Deus.

§944 A vida consagrada a Deus caracteriza-se pela profissão pública dos conselhos evangélicos de pobreza, de castidade e de obediência em um estado de vida permanente reconhecido pela Igreja."

Texto retirado do Catecismo da Igreja Católica

Vale a pena ressaltar Castidade não é a mesma coisa de Celibato, como muita gente pensa. Cada um é chamado a viver a castidade de acordo com seu estado de vida. A castidade consiste em trabalhar bem a afectividade de maneira que seja equilibrada, bem resolvida e canalizada, podendo-se conviver com o sexo oposto, de maneira pura, sem malícias e tratar as pessoas com respeito e amizade.

Casamento e Castidade

Os casados são chamados a serem fiéis, ser fiel é ser casto, no caso do matrimónio. É ter fidelidade aos compromissos assumidos no casamento. Também os conjugues devem manter o leito conjugal sem mancha, que seria a pureza de suas intenções e a honestidade de seu trato, num contexto de cumplicidade e de amor verdadeiro. Devem cumprir fiel e sinceramente o dever conjugal, pois tudo o que serve para a transmissão da vida é, não só lícito, como louvável.

Castidade dos Solteiros

Para o solteiro, castidade, pela sua abrangência conceptual, tem, o sentido de manter-se virgem (casto, puro), até o casamento. Viver em continência, com pureza de intenção e de pensamentos, cultivando os valores da amizade e do respeito.
Os namorados devem procurar conhecer um ao outro interiormente, ou seja, a personalidade, a maneira de pensar e de agir, de reagir nas situações da vida, os sentimentos, e não o corpo, no sentido sexual.

Segundo a moral cristã a castidade purifica o amor e o eleva, é a melhor forma de compreender e sobretudo de valorizar o amor.

Virtudes Auxiliares da Castidade

- O pudor (sentinela de defesa da castidade);
- A humildade: faz desconfiar de si mesmo e confiar em Deus, fugindo do pecado;
- A vigilância constante: deve-se vigiar sempre os pensamentos e sentimentos, para agir com pureza de intenção e não pecar;
- A mortificação: o jejum e outras penitências ajudam a exercitar a virtude do auto controlo;
- A laboriosidade: aplicação nos estudo e cumprimento das próprias obrigações, que previne os males e perigos decorrentes da ociosidade. "Cabeça vazia, oficina do diabo";
- A caridade: ou seja o amor de Deus, que, enchendo o coração o desocupa de afectos desordenados (Deus caritas est);
- A piedade: virtude que leva à devoção e à oração. Nós católicos cultivamos a devoção à Virgem Maria como protectora da virtude da castidade e também a denominamos de "Santa Pureza".

As Ofensas Graves Contra a Castidade

- luxúria: constitui uma busca desordenada do prazer venéreo, vício do sexo, uma vez que é buscado exclusivamente por si mesmo;
- masturbação: acto gravemente desordenado;
- fornicação: as relações sexuais fora do matrimónio e as relações pré-matrimoniais;
- homossexualidade: é contraria à lei natural, fecha o ato sexual ao dom da vida;
- pornografia: desnaturaliza a finalidade do ato sexual e coisifica as pessoas;
- prostituição;
- violação ou estupro;
- pedofilia;
- o incesto.

A SOCIEDADE ACTUAL ESTÁ TÃO IMPREGNADA NA LAMA DA EROTIZAÇÃO, DA BANALIZAÇÃO DO SEXO E DA PORNOGRAFIA QUE NÃO ENTENDE O VALOR DO AUTO DOMÍNIO, DA TEMPERANÇA, DA CASTIDADE E DA PUREZA...

segunda-feira, 28 de junho de 2010

Por que sou Católica?

Porque Creio!

"Creio em um só Deus,
Pai todo-poderoso, criador do céu e da terra,
de todas as coisas visíveis e invisíveis.
Creio em um só Senhor, Jesus Cristo,
Filho Unigénito de Deus, Deus de Deus, Luz da Luz,
Deus verdadeiro de Deus verdadeiro, gerado, não criado,
consubstancial ao Pai;
por Ele todas as coisas foram feitas.
Por nós e para nossa salvação,
desceu dos céus; encarnou pelo Espírito Santo,
no seio da Virgem Maria, e fez-se verdadeiro homem.
Também por nós foi crucificado sob Pôncio Pilatos;
padeceu e foi sepultado.
Ressuscitou ao terceiro dia, conforme as Escrituras;
subiu aos céus, e está sentado à direita do Pai.
De novo há-de vir em glória, para julgar os vivos e os mortos;
e o seu reino não terá fim.
Creio no Espírito Santo,
Senhor, que dá a vida, procede do Pai e do Filho;
e com o Pai e o Filho é adorado e glorificado.
Ele que falou pelos profetas.
Creio na Igreja
Una, santa, católica e apostólica.
Professo um só baptismo para remissão dos pecados.
Espero a ressurreição dos mortos,
e a vida do mundo que há-de vir."

Credo Niceno-Constantinopolitano

Porque tenho uma Mãe do Céu!


"Apareceu em seguida um grande sinal no céu: uma Mulher revestida do sol, a lua debaixo dos seus pés e na cabeça uma coroa de doze estrelas."
(Apocalipse 12,1)
"Quando Jesus viu sua mãe e perto dela o discípulo que amava, disse à sua mãe: Mulher, eis aí teu filho.
Depois disse ao discípulo: Eis aí tua mãe. E dessa hora em diante o discípulo a levou para a sua casa."
(João 19:26-27)

Porque Creio na Presença Real de Jesus Cristo na Eucaristia!!

Milagre de Lanciano (Itália - aprox. ano 700):

A imagem acima apresenta o detalhe da hóstia transformada em carne. Foi submetida a análises científicas rigorosas pelos Drs. Odoardo Linoli, Chefe de Serviço dos Hospitais Reunidos de Aresto e livre docente de anatomia e histologia patológica e de química e microscopia clínica; Dr.Ruggero Bertelli, prof. Emérito de anatomia humana normal na universidade de Sena. Resultados: Relatório de 4 de março de 1971:
a ) A carne é verdadeira carne.
b ) O sangue é verdadeiro sangue.
c ) A carne é do tecido muscular do coração (miocárdio, endocárdio, nervo vago).
d ) A carne e o sangue são do mesmo tipo AB e pertencem à espécie humana. Obs: é o mesmo tipo de sangue encontrado no Sudário de Turim.
e ) Trata-se de carne e sangue de uma pessoa viva, pois que esse sangue é o mesmo que tivesse sido retirado, naquele mesmo dia de um ser vivo.
f ) No sangue foram encontrados, além das proteínas normais, os seguintes minerais: cloretos, fósforos, magnésio, potássio, sódio e cálcio.
g ) A conservação da Carne e do Sangue, deixados em estado natural por 12 séculos e expostos à acção de agentes atmosféricos e biológicos, permanece um fenomeno extraordinário. Disseram os cientistas aos frades: ´E o Verbo se fez Carne!´


video

sábado, 26 de junho de 2010

Sociedade Anti-Cristã



Características da actual sociedade anti-cristã:

O Relativismo Moral

É a corrente de pensamento humanista que ensina a inexistência de normas, verdades e moral procedentes de um absolutismo, como por exemplo, a vontade de Deus. É uma das formas de se desprezar a Deus e a sua Palavra. Os que defendem o relativismo moral também concordam com o relativismo cultural, onde os valores da ética variam de acordo com as diferentes culturas.

O Relativismo moral afirma que moralidade não é baseada em qualquer padrão absoluto. Ao contrário, “verdades éticas” dependem da situação, cultura, sentimentos, etc. Relativismo moral está ficando cada vez mais popular nos dias de hoje. O relativismo moral deturpa a idéia que temos do que é certo ou errado e confere o direito a cada um decidir o "melhor" para si mesmo. Neste sentido um criminoso não é culpado contanto que não tenha violado seus próprios padrões, por isso é um conceito muito perigoso!

O argumento principal que os relativistas tentam usar é o da tolerância. Eles afirmam que dizer a alguém que sua moralidade é errada é intolerante, e relativismo tolera todas as posições. Mas isso é simplesmente um engano. Primeiro, o mal nunca deve ser tolerado. Devemos tolerar o ponto de vista de um estuprador de que mulheres são objetos de gratificação a serem usadas? Segundo, esse argumento se destrói porque relativistas não toleram intolerância ou absolutismo. Terceiro, relativismo não pode explicar porque qualquer pessoa deve ser tolerante em primeiro lugar. O fato que devemos tolerar pessoas (mesmo quando descordamos) é baseado na regra absoluta moral que devemos sempre tratar as pessoas justamente – mas isso é absolutismo de novo! Na verdade, sem princípios universais morais, a bondade não pode existir. E a sociedade actual está cada vez mais relativista...

Fonte: http://www.gotquestions.org/portugues/relativismo-moral.html

Laicismo

É uma doutrina filosófica que defende e promove a separação do Estado das igrejas e comunidades religiosas, assim como a neutralidade do Estado em matéria religiosa.
Os valores primaciais do laicismo são a liberdade de consciência, a igualdade entre cidadãos em matéria religiosa, e a origem humana e democraticamente estabelecida das leis do Estado.

Com o surgimento do laicismo (O laicismo teve seu auge no fim do século XIX e no início do século XX) o homem expulsou Deus dos governos, é a primeira vez na história da humanidade que o homem tenta governar sem Deus (na monarquia acreditava-se que os Reis eram escolhidos por Deus). Esta visão politica está associada ao secularismo (separação entre religião e Estado, a partir da ideia de que os sacerdotes e as instituições religiosas não devem ter poder político nem influenciar nas leis).

Actualmente há um laicismo agressivo contra Deus actuante no mundo todo. Os sinais desse laicismo estão no facto dos governos quererem retirar cruzes e simbolos religiosos das repartições públicas, mudar o nome das ruas e escolas, são a favor da cultura da morte (aprova-se aborto e eutanasia), são a favor do casamento homossexual, etc...

Neopaganismo

É o termo que descreve um grupo de religiões contemporâneas bastante heterogêneo. Este uso tem sido comum desde o renascimento neopagão na década de 1970, e agora é usado por acadêmicos e adeptos tanto para identificar novos movimentos religiosos que enfatizam o panteísmo e a adoração da natureza, e/ou que procuram reviver ou reconstruir os aspectos históricos do politeísmo. São contra o cristianismo, porque acreditam que este foi o responsável pelo desaparecimento das religiões pagãs primitivas e medievais. A adoração à natureza é uma das idéias que estava presente nas entrelinhas do famoso filme "Avatar" (de James Cameron) e o neopaganismo é o príncipal elemento do filme "Harry Potter".


Cristianofobia

É a aversão ou horror a Cristo, ao cristianismo em geral e a Igreja. Um exemplo claro de cristianofobia é o programa americano para computador o GodBlock (Bloqueie Deus), que bloqueia páginas da internet com propagandas ou conteúdo religioso. O site afirma que o filtro se destina aos pais e às escolas que desejam proteger as crianças da doutrinação da religião, qualquer que seja ela. “Quando instalado corretamente, o GodBlock analisa cada página acessada pelo seu filho, antes de carregá-la, e verifica se há textos sagrados, nomes ou figuras e símbolos religiosos." Para os criadores a doutrinação religiosa "dificulta o avanço da ciência e corrompe a mente das crianças”. Esse é realmente um mundo que pretende expulsar Deus!

Há também um anticatolicismo actuante que se pode verificar principalmente na mídia do mundo todo, pelos constante ataques a Igreja Católica.

Vale ressaltar que ate hoje os cristãos são extremamente perseguidos, discriminados e cruelmente mortos, principalmente na África, Oriente Médio e Extremo Oriente (países como Argélia, Nigélia, Egito, Turquia, Palestina, Indonésia, Iraque, Paquistão, India, China e Coreia do Norte, tem políticas hostis contra os cristãos).

O facto é que em toda a história da humanidade os cristãos sempre foram perseguidos.

“Lembrai-vos da palavra que eu vos disse: o escravo não é maior que o senhor. Se perseguiram a mim, também hão-de perseguir a vós” (Jo 15, 20).

“Bem-aventurados sereis quando vos insultarem e perseguirem e, por minha causa, disserem todo o tipo de calúnia contra vós. Alegrai-vos e exultai, porque grande será a vossa recompensa nos céus.” (Mt 5, 11-12).

Masturbação é pecado!!!!


Há uma forte tendência para se dizer que masturbação é uma coisa normal e sadia, porém para a Igreja é uma desordem sexual além de um pecado grave, contra o 6º Mandamento (Não pecar contra a Castidade).
Um dos principais argumentos a favor dessa prática seria um suposto alto conhecimento, para conhecer o próprio corpo, porém o correcto seria o homem e a mulher, os dois juntos, se conhecerem depois do casamento. Na Bíblia o verbo conhecer também é utilizado para designar relação sexual "Adão conheceu Eva, sua mulher, e ela concebeu e deu à luz Caim" (Gênesis 4,1). Portanto a masturbação pode ser considerada sexo praticado fora do casamento.

A masturbação (também conhecida como AUTO ESTUPRO!!!) é um acto egoísta e sem propósito, que com o tempo se torna um vício repulsivo muito difícil de ser controlado, podendo até causar:
- Nos homens: ejaculação precoce, impotência sexual e até poderia causar cancer de prostata.

http://www.portalpower.com.br/males-da-masturbacao/
http://hypescience.com/masturbacao-pode-levar-a-cancer-de-prostata/

- Nas mulheres: frigidez, secura vaginal e infecções causadas pelos objetos utilizados.

É considerada uma poluição moral e não pode ser uma coisa normal, porque mesmo um adolescente que não crê em Deus ou não pratica qualquer tipo de religião, tem sempre a sensação de estar fazendo algo errado, o nome disso é voz da consciência, que Deus nos deu para termos o discernimento do certo e do errado, por causa desse sentimento de culpabilidade é que tem tanta gente perguntando sempre se é errado, se é normal.

Análise Psicológica

O grande estudioso da sexualidade humana, Sigmund Freud afirmou que a masturbação é um vício solitário (uma vez que a outra pessoa só existe na imaginação), tratava a questão como um problema remanescente da sexualidade infantil (quando a criança se toca para conhecer seu próprio corpo) e acreditava que o sexo deveria ser vivido por um homem e uma mulher maduros.
Freud pensava que a masturbação deveria ser abandonada na vida adulta, na medida em que o sujeito transitasse plenamente do auto-erotismo e do narcisismo para as relações objetais amorosas. Via a masturbação como uma persistência do erotismo infantil ligado ao complexo de Édipo, o que a deixava irremediavelmente tingida pela culpa.
A prática obsessiva, principalmente se acompanhada de ausência do desejo sexual e desinteresse pelas relações normais, é considerada pelos psicólogos como um transtorno comportamental, situação em que a pessoa já não sabe porque faz aquilo, até com a vontade de parar e não consegue, podendo ser utilizada como substituta para a falta de satisfação social, compensação de uma timidez, incapacidade de se relacionar com parceiros(as) ou para aliviar tensões e ansiedades.

Análise Bíblica

"9.Acaso não sabeis que os injustos não hão de possuir o Reino de Deus? Não vos enganeis: nem os impuros, nem os idólatras, nem os adúlteros, nem os efeminados, nem os devassos,
10. nem os ladrões, nem os avarentos, nem os bêbados, nem os difamadores, nem os assaltantes hão de possuir o Reino de Deus.
11. Ao menos alguns de vós têm sido isso. Mas fostes lavados, mas fostes santificados, mas fostes justificados, em nome do Senhor Jesus Cristo e pelo Espírito de nosso Deus.
12. Tudo me é permitido, mas nem tudo convém. Tudo me é permitido, mas eu não me deixarei dominar por coisa alguma. (não me deixarei dominar por nenhum vício)
13. Os alimentos são para o estômago e o estômago para os alimentos: Deus destruirá tanto aqueles como este. O corpo, porém, não é para a impureza, mas para o Senhor e o Senhor para o corpo: (nosso corpo pertence a Deus, é templo do Espírito Santo)
14. Deus, que ressuscitou o Senhor, também nos ressuscitará a nós pelo seu poder.
15. Não sabeis que vossos corpos são membros de Cristo? Tomarei, então, os membros de Cristo e os farei membros de uma prostituta? De modo algum! (também poderia usar dos membros de Cristo para masturbação?)
16. Ou não sabeis que o que se ajunta a uma prostituta se torna um só corpo com ela? Está escrito: Os dois serão uma só carne (Gn 2,24).
17. Pelo contrário, quem se une ao Senhor torna-se com ele um só espírito.
18. Fugi da fornicação. Qualquer outro pecado que o homem comete é fora do corpo, mas o impuro peca contra o seu próprio corpo.
19. Ou não sabeis que o vosso corpo é templo do Espírito Santo, que habita em vós, o qual recebestes de Deus e que, por isso mesmo, já não vos pertenceis?
20. Porque fostes comprados por um grande preço. Glorificai, pois, a Deus no vosso corpo."
(I Coríntios 6,9-20)

Portanto não há como Glorificar a Deus em seus corpos se as pessoas se entregarem a uma prática tão impura!

"19. Ora, as obras da carne são estas: fornicação, impureza, libertinagem...
24. Pois os que são de Jesus Cristo crucificaram a carne, com as paixões e concupiscências.
25. Se vivemos pelo Espírito, andemos também de acordo com o Espírito."
(Gálatas 5,19.24-25)

Mas o que torna um homem impuro?

Jesus disse:
"Respondeu-lhes: Sois também vós assim ignorantes? Não compreendeis que tudo o que de fora entra no homem não o pode tornar impuro,
19. porque não lhe entra no coração, mas vai ao ventre e dali segue sua lei natural? Assim ele declarava puros todos os alimentos. E acrescentava:
20. Ora, o que sai do homem, isso é que mancha o homem.
21. Porque é do interior do coração dos homens que procedem os maus pensamentos: devassidões, roubos, assassinatos,
22. adultérios, cobiças, perversidades, fraudes, desonestidade, inveja, difamação, orgulho e insensatez.
23. Todos estes vícios procedem de dentro e tornam impuro o homem."
(Marcos 7,18-23)

A masturbação é um vício que torna o homem (no caso, o ser humano) impuro, porque é impossível que tenha bons pensamentos quando tem tais práticas. Por essa razão está intimamente associado ao vício da pornografia.

Mesmo entre os casais casados está errado, como comprova a passagem:
"3. O marido cumpra o seu dever para com a sua esposa e da mesma forma também a esposa o cumpra para com o marido.
4. A mulher não pode dispor de seu corpo: ele pertence ao seu marido. E da mesma forma o marido não pode dispor do seu corpo: ele pertence à sua esposa."
(I Coríntios 7,3-4)

Catecismo

"§2352 Por masturbação se deve entender a excitação voluntária dos órgãos genitais, a fim de conseguir um prazer venéreo. "Na linha de uma tradição constante, tanto o magistério da Igreja como o senso moral dos fiéis afirmaram sem hesitação que a masturbação é um ato intrínseca e gravemente desordenado." Qualquer que seja o motivo, o uso deliberado da faculdade sexual fora das relações conjugais normais contradiz sua finalidade. Aí o prazer sexual é buscado fora da "relação sexual exigida pela ordem moral, que realiza, no contexto de um amor verdadeiro, o sentido integral da doação mútua e da procriação humana".

Para formar um justo juízo sobre a responsabilidade moral dos sujeitos e orientar a acção pastoral, dever-se-á levar em conta a imaturidade afectiva, a força dos hábitos contraídos, o estado de angústia ou outros factores psíquicos ou sociais que minoram ou deixam mesmo extremamente atenuada a culpabilidade moral. "

Para se livrar do vício:

- Seja constantemente vigilante com seus pensamento, procure pensamentos puros, fuja da pornografia e de todo tipo de imagens ou leituras que possam estimular a imaginação nesse sentido.

-Evite periodos muito longos de ociosidade, dormir de dia, ficar sozinho(a) muito tempo, etc.

- Fuja das ocasiões de pecado. ("Se o pecado está à direita vá para a esquerda!" São Padre Pio)

-Exercite a virtude do alto domínio.

- Não dê ouvidos para pessoas que tem mentalidade mundana e consideram masturbação uma coisa normal.

- Busque a Santidade e a Castidade.

- Seja persistente, se cai, se confesse e volte a lutar!

-Tenha uma vida activa de oração. Através da oração Deus nos liberta de todo o mal.

A Igreja é rica ou pobre??


Actualmente ouve-se muitíssimo dizer que a Igreja Católica é riquíssima, que tem tesouros no Vaticano e que se vendesse tanto ouro daria para acabar com a fome do mundo! Mas será que é mesmo assim?

Vamos aos dados:

"Quantos padres e bispos há na Igreja?
Fonte: Anuário Pontifício - 2000

DADOS ATUALIZADOS SOBRE A IGREJA ATÉ 31/12/99

. RELAÇÕES DIPLOMÁTICAS COM 172 PAÍSES

. CRIADAS EM 1999:

13 SEDES EPISCOPAIS

5 ADMINISTRAÇÕES APOSTÓLICAS

6 SEDES METROPOLITANAS

. NOMEADOS 164 NOVOS BISPOS

. TOTAL DE BISPOS – 4439 . 6,002 bilhões de pessoas no mundo – 1,045 bilhões são católicos

. 17,4%, distribuídos da seguinte forma:

. 49,5% - AMÉRICA LATINA

. 27,8% - EUROPA

. 11,4% - ÁFRICA

. 10,5% - ÁSIA

. 0,8% - OCEANIA

PESSOAL DA IGREJA

. 4439 BISPOS

. 404 626 SACERDOTES – aumento de 418 em relação a 98 – primeiro aumento desde 1978.

. 264 202 SACERDOTES DIOCESANOS

. 57 813 SACERDOTES RELIGIOSOS

. 814 779 RELIGIOSAS PROFESSAS

. 30772 MEMBROS DE INSTITUTOS SECULARES

. 56 421 MISSIONÁRIOS LEIGOS

. 2 298 387 CATEQUISTAS

. 109 828 SEMINARISTAS – aumento de 657 em relação ao ano anterior!"

Todo aquele que se consagra a Deus, à serviço da Igreja, faz votos de pobreza, portanto passa a ser sustentado pela Igreja, analisando os números acima, chego a seguinte pergunta: A Igreja teria tanto dinheiro assim para sustentar bilhões de pessoas? Não somente as pessoas como também os milhões de templos religiosos espalhadas por todo o mundo (5.627 dioceses), juntamente com todas as contas, como água, luz, obras de reparação...?

A resposta é não!

As igrejas dependem das doações dos fiéis, ou dízimo para pagar as contas (a contribuição não precisa ser a décima parte do salário, cada um dá o que achar que deve), porque o que o Vaticano ajuda é muito pouco. Muitos padre tem problemas para sanar as despesas de suas igrejas, isso porque os trocos que as pessoas dão muitas vezes não dá para pagar tudo, principalmente se a igreja estiver precisando de obras (situação muito comum em Portugal onde as igrejas são muito antigas e precisam constantemente de reparações).

Patrimônio

Vale ressaltar que o patrimônio da Igreja foi se acumulando ao longo dos seus vinte séculos de existência.

O Vaticano é o menor país do mundo (0,44 km²) e sua receita é menor do que o da Universidade de Oxford, por exemplo. Seu território, juntamente com as basílicas, museus e pinacotecas foram resultado de doações feitas a Igreja desde o seculo IV.

Sobre a suposta riqueza da Igreja o professor Felipe Aquino explica:

"Os objetos contidos no Museu do Vaticano foram, em grande parte, doados aos Papas por cristãos honestos e fiéis, e pertencem ao patrimônio da humanidade; são inalienáveis, a maioria tem grande custo de manutenção, mas a Igreja os considera um patrimônio da humanidade. Os Papas não vêem motivo para não conservar esse acervo cultural muito importante. Não é a pura venda desses objetos, de muito valor para todos os cristãos, que resolveria o problema da miséria do mundo. Será que a rainha da Inglaterra aceitaria vender o museu de Londres, ou o presidente da França vender o Louvre?…

Os maiores tesouros artísticos do Vaticano não estão escondidos, mas à vista de todos, na própria Basílica de São Pedro, como a “Pietà”, ou na Capela Sistina, onde estão os famosos afrescos, criações, nos dois casos, de Michelangelo. Outras peças de valor impossível de ser sequer estimado são a “Transfiguração”, de Rafael, ou o “São Jerônimo”, de Leonardo da Vinci.

Embora o patrimônio artístico e arqueológico dos museus do Vaticano possa ser comparado ao do Museu Britânico, ao do Metropolitan, de Nova York, e ao do Ermitage, de Leningrado, esse acervo, por disposição da própria Santa Sé, que o considera patrimônio de toda a humanidade, é inalienável, não pode ser vendido.

Outros grandes tesouros, que igualmente jamais passarão para outras mãos, só podem ser vistos por poucos religiosos e por pesquisadores. São documentos, pergaminhos, miniaturas, Bulas papais e outros testemunhos de toda a história do Cristianismo até nossos dias. Compreensivelmente, eles estão guardados, por segurança e conservação, a seis metros abaixo do solo. Não se pode perder esse tesouro da humanidade. Tudo isso faz parte da História de 2000 anos da Igreja e do mundo, e não pode ser danificado ou vendido. Nada há no mundo tão precioso!

Não há motivo, portanto, para se falar, maldosamente, da “riqueza do Vaticano”. Podemos até dizer que a Igreja foi rica no passado, antes de 1870, mas hoje não. Qualquer Chefe de Estado de qualquer pequeno país tem à sua disposição, no mínimo um avião. Nem isso o Papa tem. Nem aeroporto existe dentro do Vaticano. Nem um helicóptero para servir ao chefe de 1,2 bilhões de católicos. E a Igreja é a Instituição que mantém o maior número de representação diplomática na terra, cerca de 180...

O cerimonial que cerca por vezes o Santo Padre, é legado de épocas distantes, quando os costumes o exigiam; hoje em dia está sendo mais e mais simplificado; vemos o Papa tomando crianças nos braços, visitando hospitais, prisões, favelas, etc. A Igreja, porém, julga que, para o culto divino (celebração da S. Missa, por exemplo), se deve sempre utilizar o que haja de melhor; não se trata de usar alfaias ricas, mas objetos dignos e capazes de exprimir a grandeza da fé e o amor dos cristãos a Deus....
Nota: Muito desse artigo foi retirado do artigo de D. Estevão Bettencourt “As riquezas da Igreja”, Revista: “PERGUNTE E RESPONDEREMOS”, Nº 302 – Ano 1987 – Pág. 332. "

http://blog.cancaonova.com/felipeaquino/2008/03/28/e-a-%E2%80%9Criqueza%E2%80%9D-da-igreja/

A economia do Vaticano é baseada na captação de donativos nas igrejas pelo mundo fora. Essa maneira de arrecadação existe com a finalidade de suprir as contas do Vaticano com evangelização e suportar os programas sociais que desenvolve.

A Igreja mantém um canal de donativos conhecido como "Óbolo de São Pedro", onde o doador remete os fundos diretamente ao Santo Padre.

O Vaticano tem tido muitos problemas com suas finanças e a crise nos mercados financeiro do mundo todo também atinge a Igreja, como comprova a notícia:

"o último balanço do Vaticano, referente a 2007, exibe um rombo de 9 milhões de euros. Os gastos somaram 245 milhões de euros, enquanto a receita ficou em 236 milhões. O déficit se refere às contas da Santa Sé, sede da Igreja como instituição religiosa e que engloba congregações, conselhos, comissões e outros órgãos cuja função é auxiliar na atuação do papa como líder espiritual.
Segundo o próprio Vaticano, o rombo nas contas da Santa Sé se deve, principalmente, à queda do dólar com relação ao euro...

O balanço da Santa Sé fechou com déficit de 9 milhões de euros no ano passado. O que encolheu:

1 As doações de fiéis caíram de 65 milhões de euros, em 2006, para 50 milhões de euros

2 O jornal L’Osservatore Romano e a Rádio Vaticano deram prejuízo de 14,6 milhões de euros

3 Os investimentos financeiros da Santa Sé renderam 1,4 milhão de euros, contra 13,7 milhões de euros em 2006."

Concluo o tema com as palavras do professor Felipe Aquino:

"Quem fala da “riqueza” da Igreja é porque não a conhece bem, e não sabe a imensidão do seu trabalho e da sua missão. Afinal, que Instituição recebeu missão tão grande de Deus, de salvar todos os homens?"

Pedofilia


“E qualquer que escandalizar um destes pequeninos que crêem em mim, melhor lhe fora que lhe pusessem ao pescoço uma pedra, e que fosse lançado no mar”. (Marcos 9.42)

Antes de mais nada quero deixar claro que a Igreja é Santa, mas é composta por pessoas pecadoras.

É Santa: Porque Jesus disse a Pedro (o primeiro Papa da Igreja) “Tu és Pedro, e sobre esta pedra edificarei a MINHA Igreja.” (Mt 16,18) e também: “Apascenta minhas ovelhas” (Jo 21,17). A Igreja recebeu directamente das mãos de Jesus Cristo, Seu fundador, a sua missão. É, também, assistida pelo Espírito Santo e, portanto, digna de crédito.

É Composta por pessoas pecadoras: Porque fazem parte da Igreja pessoas normais, fracas e de facto propensas ao erro e, portanto, ao pecado.

Muito se tem discutido sobre o assunto, sempre com argumentos contra a Igreja. Por isso para tratar de um tema tão profundamente polémico pretendo passar a palavra para a Igreja se defender:

"1- A Igreja pede perdão e faz reparação pelos graves delitos de pedofilia de alguns de seus filhos. Digo alguns, porque a maioria dos sacerdotes são homens de Deus, missionários, lutadores, ministro de Cristo. (Atenção aos números...) Entre 46 mil sacerdotes nos Estados Unidos, 218 casos de pedofilia foram comprovados, desde 1950, até hoje. Dentre 210 mil casos de pedofilia na Alemanha 209 foram praticados por pessoas consagradas.

No Brasil temos 16 mil padres, 99% são fiéis. No mundo existem 407 mil padres e 96% deles não estão envolvidos nos escândalos de pedofilia. Porque só a Igreja Católica é visada? Sem dúvida existe orquestração organizada em tudo isso, com a histeria anti-católica da mídia que em nome da modernidade fomenta a erotização da sociedade.

2- A Igreja, além de fazer reparação pelos erros e delitos de seus filhos, deve aprender com seus erros e corrigir rotas para o futuro. Nossos candidatos ao sacerdócio já trazem estes problemas de sua família, escondem esta anomalia e carregam consigo este espinho na carne. Precisam de médicos, de cirineus, de orientadores. É claro que nada disso justifica seus erros, porém, são elementos para a nossa reflexão.

3- Nesta hora, não esqueçamos o imenso bem que a Igreja realiza em favor das crianças nas creches, escolas, orfanatos, hospitais infantis, pastoral do menor e da criança, adoção, infância missionária, coroinhas, Apae etc. O calvário, a dor, a vergonha que a Igreja passa nestes dias, reverterá em conversão, purificação, santificação. As portas do mal não prevalecerão e a Igreja não deixa de ser santa enquanto Corpo de Cristo. A santidade é invencível por ação da graça. Creio na Igreja santa.

4- Como fazer justiça com pessoas erradas e ao mesmo tempo ter misericórdia, perdão e amor com elas? Por acaso basta a vingança e a condenação? Haja, sim, a punição justa, mas sem esquecermos o amor incondicional e do perdão aos inimigos. Não podemos nos embrutecer. Ninguém é totalmente mau. Muitos casos de pedofilia não atingem crianças, mas adolescentes e jovens que são vítimas do erotismo e da permissividade. Eles são garotos e garotas de programa? Neste caso se trata de efebofilia? e rigorosamente falando é outra coisa que pedofilia. Em muitos casos punidos como pedofilia a pessoa praticou um toque, uma carícia, isso é tido como abuso sexual, melhor seria chamar de assédio? É claro que nem isso é justificável, mas, nem tudo é ato de agressão a crianças inocentes.

5- Não há relação entre celibato e pedofilia. Todos sabemos que a ocorrência da pedofilia acontece mais nas famílias, portanto ente casados, que entre os celibatários. Trata-se de uma anomalia que atinge todos os setores da sociedade e situações da vida.

6- Geralmente as pessoas com problema de pedofilia foram vítimas de pedófilos quando eram crianças ou adolescentes. Certamente a erotização da sociedade, o turismo sexual, a internet muito contribuem para que o liberalismo e permissivismo ético, fato este, que facilita todo tipo de relacionamento sexual sob a capa de modernidade. É comum hoje a gente ouvir: nada é pecado, todo mundo faz, é normal, etc. Não esqueçamos que um dos elementos da decadência das civilizações é o erotismo, ou seja, o abuso da sexualidade. Ser livre e ser libertino são coisas bem distintas.

7- A Igreja reconhece, repara e paga pelos erros de seus filhos. Grupos e pessoas mal intencionados aproveitam desta situação para desmoralizar, desmobilizar, desestruturar a Igreja de Cristo. Jesus alertou que seríamos odiados, perseguidos e mortos. Nossos algozes acabam sendo nossos artistas. Por outro lado, a Igreja cresce e se fortalece com o sangue dos mártires, as perseguições e humilhações. As portas do mal não prevaleceram. A primazia é da graça. Coragem, eu venci o mundo? (Jo 16,32).

Dom Orlando Brandes
Arcebispo de Londrina
Publicado na Folha de Londrina, 17 de abril de 2010. Retirado do site do professor Felipe Aquino.
http://blog.cancaonova.com/felipeaquino/?s=Pedofilia


D. José Policarpo (Cardeal patriarca de Lisboa) afirmou na Sexta-Feira Santa, dia 02/04/2010 o seguinte:
Texto retirado da notícia publicada no site da TVI
http://www.tvi24.iol.pt/sociedade/d-jose-policarpo-pedofilia-igreja-tvi24/1152045-4071.html)


"Estamos aos pés da Cruz num momento em que os pecados da Igreja, mesmo os pecados dos sacerdotes, indignam o mundo e ofuscam a imagem do Reino de Deus», declarou na homilia da Paixão do Senhor na Sé Patriarcal, em Lisboa."Continuamos a precisar do Vosso amor redentor, por causa dos nossos pecados...

Uma das características preocupantes do nosso tempo é o facto de se perder a consciência do pecado. Os pecados da Igreja ferem, de modo particular, o coração inocente de Cristo e de sua Mãe. Com amor e humildade peçamos, por intercessão de Maria: Senhor, perdoai os pecados da vossa Igreja."



O Papa


A caminho de Portugal o Papa disse o seguinte:

“Hoje nós vemos de uma forma verdadeiramente terrível que a grande opressão da Igreja não vem de inimigos externos, mas nasce do pecado dentro da Igreja”, disse ele a jornalistas no avião que o leva para Portugal ao responder uma pergunta sobre os escândalos de abusos sexuais cometidos por padres.

“O perdão não substitui a justiça”, disse o papa."
http://g1.globo.com/mundo/noticia/2010/05/perdao-nao-substitui-justica-diz-papa-sobre-o-escandalo-de-abusos-no-clero.html

O Papa não está indiferente aos acontecimentos:
"O papa “chorou conosco”, declarou à AFP uma das vítimas dos abusos sexuais cometidos por religiosos em Malta, durante o encontro deste domingo com Bento 16 na nunciatura apostólica da capital Valletta.
“Fiquei impressionado com a humildade do papa. Ele tomou para si o constrangimento causado pelos outros. Ele foi muito corajoso. Nos escutou individualmente, rezou e chorou conosco”, declarou Lawrence Grech. “Ele até benzeu uma cruz que eu carregava”, acrescentou.
O Papa Bento 16 se reuniu em Malta com “um pequeno grupo de pessoas que sofreram abusos sexuais cometidos por religiosos”, anunciou o Vaticano mais cedo em um comunicado. O papa mencionou a “profunda comoção provocada pelas histórias e expressou sua vergonha e lamentação pelas vítimas e pelo sofrimento de suas famílias”.

http://ultimosegundo.ig.com.br/mundo/aposaposo+papa+chorou+conoscoaposapos+disse+uma+vitima+de+pedofilia+em+malta/n1237591326531.html


Anti-catolicismo

O ex-prefeito judeu de Nova York, Edward “Ed” Koch, afirmou em blog do jornal The Jerusalem Post: “Eu acredito que os constantes ataques da mídia à Igreja Católica e ao Papa Bento XVI se tornaram uma manifestação do anti-catolicismo. A sucessão de artigos sobre os mesmos eventos, em minha opinião, não tem já a intenção de informar, mas simplesmente de castigar”, afirma Koch. Ele reconhece que o abuso sexual a crianças é “horrendo”, assinalando que este é um ponto de acordo entre os católicos, a própria Igreja, assim como os não católicos e os meios de comunicação”.
"Sobre este ponto, o político e comentarista político afirma que o Papa proclamou abertamente sua execração do delito e compaixão pelas vítimas."
http://cgis.jpost.com/Blogs/koch/entry/he_that_is_without_sin

O Papa é acusado pela imprensa anticatólica de ter “encoberto” escândalos de sacerdotes que abusaram sexualmente de menores, porém ele muito tem feito contra esses crimes:

"Aqui, da mesma forma, a acusação é contra o mesmo homem que fez mais que qualquer outro na hierarquia eclesiástica para sanar este escândalo, com efeitos positivos que já podem ser vistos aqui e acolá, em especial nos Estados Unidos, onde a incidência do fenômeno em meio ao clero católico tem diminuído de forma significante nos últimos anos.

Mas onde a ferida ainda está aberta, como na Irlanda, foi novamente Bento XVI que pediu que a Igreja daquele país se pusesse em um estado de penitência, uma exigência que ele formulou em uma carta pastoral sem precedentes em 19 de março último.

O fato é que a campanha internacional contra a pedofilia tem somente um alvo hoje, o Papa. Os casos desenterrados do passado o são sempre com a intenção de ligá-los a ele, tanto quando era Arcebispo de Munique quanto quando era Prefeito da Congregação para a Doutrina da Fé, além do tempo em Ratisbona pelos anos em que o irmão do Papa, Georg, dirigiu o coral infantil da catedral."
Extraído de: Blog Veritatis
Publicação: Abril de 2010
Traduzido a partir do Inglês (versão de Matthew Sherry, Ballwin, Missouri, EUA. Original em italiano).
http://chiesa.espresso.repubblica.it/articolo/1342796?eng=y

Perguntas aos que acusam o Papa de ter acobertado padres pedófilos:
"1. Por que será que tantos ficam incomodados com os recados do Papa?
2. Por que fazem tanta propagando de coisas erradas na Igreja?
3. Por que aproveitam os casos de pedofilia de padres para acusar o Papa de falta de firmeza no trato do problema?
4. Se os juízes brasileiros têm tanta dificuldade em julgar casos atuais de corrupção que acontecem debaixo do seu nariz, como querem os julgadores do Papa que seja fácil para o Vaticano julgar casos antigos e distantes denunciados décadas depois?
5. Por que será que as denúncias sobre casos antigos de difícil verificação aumentaram tanto, quando denunciantes e seus advogados passaram a ganhar indenizações da Igreja?
6. Quantos são os incomodados com as exigências de um Papa intransigente na doutrina e na moral?
7. Querem atingir o mensageiro para enfraquecer a mensagem?"

(D. Cristiano Krapf, bispo de Jequié) Texto do site:

http://blog.cancaonova.com/felipeaquino/category/igreja/

Conclusão:

1) Não se pode dizer, como muito se diz na actualidade que todos os padres são pedófilos. Toda a instituição da Igreja não pode ser desacreditada por causa do erro de alguns, de uma minoria que não sabe viver de acordo com os preceitos do Evangelho. É o mesmo que dizer que todos os maridos traem suas mulheres, ou que todos os homens casados são pedófilos, essas afirmações não abalariam a santidade do matrimónio.

2)A Igreja reconhece-se pecadora, lamenta profundamente os crimes cometidos e de maneira alguma é conivente com tais actos.

3) Abolir o Celibato não resolveria o problema da pedofilia, a prova disso é que também há inúmeros casos de pedofilia envolvendo homens casados e pastores casados de outras denominações cristãs.

4) As constantes notícias na imprensa internacional sobre a Pedofilia na Igreja são pura e simplesmente um movimento para a atacar e tentar acabar com a Igreja Católica!

Por que os padres não se casam???? (O que é o Celibato?)


Foi feita a seguinte pergunta ao professor Felipe Aquino:
"Por que os Padres católicos não se casam? Assim haveria mais vocação e menos escândalos. A própria Bíblia o recomenda em I Tim 3,2: "É necessário que o bispo seja irrepreensível ; que tenha casado com uma só mulher..."

A resposta foi o seguinte:
"S. Paulo não era casado. (veja I Cor 7,8). Numa das suas cartas ele recomenda : Sejam meus imitadores, como eu sou de Cristo". Escrevendo, pois, a Timótio, que também era bispo celibatário, não lhe podia aconselhar casamento. Porém, por falta de candidatos celibatários para a função episcopal (naquela época!), ele lhe recomenda escolher também homens casados - virtuosos. Daí 14:29 8/1/2008na sua carta (I Tim 3,2) ele não coloca acento nas palavras : "que seja casado"..., mas nas palavras: ... "com uma só mulher"... - e não com duas ou três, mesmo que sucessivamente, - o que seria de moleza e muita paixão, deixando pouco zelo e dedicação para Deus e as almas. Em I Cor 7,32-33 S. Paulo apresenta os argumentos em favor do celibato: "O que está sem mulher, está cuidadoso das coisas que são do Senhor, como há de agradar a Deus. Mas o que está casado, está cuidadoso das coisas que são do mundo, como há de dar gosto à sua mulher."

A Igreja Católica reconhece que a exigência do celibato dos padres não é lei divina, mas de lei eclesial, que em circunstâncias especiais poderia ser abolida, mas opta pela maior perfeição, já que por este motivo os Apóstolos de Jesus deixavam a convivência matrimonial e familiar, para se dedicar inteiramente à propagação do Reino de Deus, - como consta de Lc 18,28-30: "Disse depois Pedro: "Eis que nós deixamos tudo o que nos pertence para te seguir". Ele respondeu-lhes: "Em verdade vos digo, não há ninguém que tenha deixado casa, mulher, irmãos ou filhos, por causa do reino de Deus, que não receba o múltiplo no tempo presente, e no século que há de vir, a vida eterna". Assumindo livremente o celibato, o sacerdote imita a maneira de viver de Jesus - celibatário, - inteiramente dedicado às coisa do Pai e de seu Reino."

http://www.cleofas.com.br/virtual/texto.php?doc=PERGUNTA_RESPOSTA&id=prs0127


As pessoas não compreendem o que é o Celibato, pensam que os padres vivem infelizes e incompletos. Mas o que viria a ser então o Celibato?

O Celibato nada mais é do que uma opção madura, radical e determinada em ficar solteiro (ou solteira) por amor a Deus, para melhor servi-lo.

Um sacerdote é chamado a ser um outro Cristo, Jesus era solteiro, por essa razão os padres devem ser celibatários. São chamados a imitar a santidade de Jesus, em todos os aspectos e não representam Cristo, mas agem na pessoa de Cristo (In Persona Christi). Portanto quando ministra os sacramentos já não é o sacerdote que age e sim Jesus, fazendo o que o padre não poderia fazer, por exemplo transformar a hóstia e o vinho em corpo e sangue ou absolver os pecados, na confissão.
Uma mulher que escolhe se consagrar e se tornar freira é desposada por Jesus, torna-se esposa de Cristo. São felizes em sua escolha e passam a vida a fazer o bem, assim como o seu Divino Esposo.

Todas as decisões da Igreja são tomadas a luz da Palavra de Deus. Há todo um capítulo sobre o assunto na Bíblia na qual S. Paulo diz:

"1. Agora, a respeito das coisas que me escrevestes. Penso que seria bom ao homem não tocar mulher alguma...
2. Todavia, considerando o perigo da incontinência, cada um tenha sua mulher, e cada mulher tenha seu marido.
3. O marido cumpra o seu dever para com a sua esposa e da mesma forma também a esposa o cumpra para com o marido.
4. A mulher não pode dispor de seu corpo: ele pertence ao seu marido. E da mesma forma o marido não pode dispor do seu corpo: ele pertence à sua esposa.

5. Não vos recuseis um ao outro, a não ser de comum acordo, por algum tempo, para vos aplicardes à oração; e depois retornai novamente um para o outro, para que não vos tente Satanás por vossa incontinência.
6. Isto digo como concessão, não como ordem. (por isso não é uma ordem que todos se casem, mas uma concessão)
7. Pois quereria que todos fossem como eu; mas cada um tem de Deus um dom particular: uns este, outros aquele. (os padres tem um dom, uma vocação particular)
8. Aos solteiros e às viúvas, digo que lhes é bom se permanecerem assim, como eu.
9. Mas, se não podem guardar a continência, casem-se. É melhor casar do que abrasar-se. (quem tem vocação para o casamento que se case)
10. Aos casados mando (não eu, mas o Senhor) que a mulher não se separe do marido.
11. E, se ela estiver separada, que fique sem se casar, ou que se reconcilie com seu marido. Igualmente, o marido não repudie sua mulher...
25. A respeito das pessoas virgens, não tenho mandamento do Senhor; porém, dou o meu conselho, como homem que recebeu da misericórdia do Senhor a graça de ser digno de confiança.
26. Julgo, pois, em razão das dificuldades presentes, ser conveniente ao homem ficar assim como é...
28. Mas, se queres casar-te, não pecas...
32. Quisera ver-vos livres de toda preocupação. O solteiro cuida das coisas que são do Senhor, de como agradar ao Senhor.
33. O casado preocupa-se com as coisas do mundo, procurando agradar à sua esposa.
34. A mesma diferença existe com a mulher solteira ou a virgem. Aquela que não é casada cuida das coisas do Senhor, para ser santa no corpo e no espírito; mas a casada cuida das coisas do mundo, procurando agradar ao marido.
35. Digo isto para vosso proveito, não para vos estender um laço, (Não para armar uma armadilha) mas para vos ensinar o que melhor convém, o que vos poderá unir ao Senhor sem partilha... (ou seja, o solteiro cuida melhor das coisas de Deus porque não tem o coração dividido)
38. Em suma, aquele que casa a sua filha faz bem; e aquele que não a casa, faz ainda melhor.
39. A mulher está ligada ao marido enquanto ele viver. Mas, se morrer o marido, ela fica livre e poderá casar-se com quem quiser, contanto que seja no Senhor.
40. Contudo, na minha opinião, ela será MAIS FELIZ se permanecer como está. E creio que também eu tenho o Espírito de Deus." (Paulo está iluminado pelo Espírito Santo quando escreve tais coisas).
(I Cor 7)

Ou seja o casado tem as preocupações com a mulher e com a família, o que deixa o coração do homem dividido. Fico a imaginar um pastor (de outras denominações cristãs) ter que se preocupar com toda uma comunidade, com tantos problemas e ainda ter que se preocupar com um filho doente, por exemplo... são situações muito complicadas.

Há também mais uma passagem sobre o assunto:

"10. Seus discípulos disseram-lhe: Se tal é a condição do homem a respeito da mulher, é melhor não se casar!
11. Respondeu ele: Nem todos são capazes de compreender o sentido desta palavra, mas somente aqueles a quem foi dado.
12. Porque há eunucos que o são desde o ventre de suas mães, há eunucos tornados tais pelas mãos dos homens e há eunucos que a si mesmos se fizeram eunucos por amor do Reino dos céus. Quem puder compreender, compreenda."

O que Jesus quer dizer com essas palavras?

Eunuco, no seu sentido literal quer dizer castrado, mas ninguém é castrado "desde o ventre de suas mães"... Jesus está querendo dizer que há homens que não tem vocação para o casamento "desde o ventre de suas mães", que há homens tornados assim "pelas mãos dos homens" (provavelmente aqui sim Jesus está a falar do sentido literal) e há homens "que a si mesmos se fizeram eunucos por amor do Reino dos céus". Portanto há homens que ESCOLHEM não se casar por AMOR ao Reino dos céus.

Termino com as palavras de Jesus:
"Quem puder compreender, compreenda..."

Contra o sexo antes do casamento!


A palavra de Deus está repleta de passagens que indicam que o casal somente deveria se unir depois do casamento:

"Respondeu-lhes Jesus: Não lestes que o Criador, no começo, fez o homem e a mulher e disse: Por isso, o homem deixará seu pai e sua mãe e se unirá à sua esposa; e os dois formarão uma só carne.
Assim, já não são dois, mas uma só carne. Portanto, não separe o homem o que Deus uniu".
(Mateus 19: 4-6)

Repito as palavras de Jesus, portanto já não são dois mais um só corpo. Um só corpo, um só espírito, um só coração. Costumo perguntar com quantas pessoas você deseja ser uma só! Seria com uma pessoa só, não é?
Para a mentalidade de alguns homens a ideia pode ser restritiva, porém o que tem mais valor é a qualidade da mulher e não a quantidade de mulheres que um homem pode ter!!

"Não sabeis que vossos corpos são membros de Cristo? Tomarei, então, os membros de Cristo e os farei membros de uma prostituta? De modo algum!
Ou não sabeis que o que se ajunta a uma prostituta se torna um só corpo com ela? Está escrito: Os dois serão uma só carne (Gn 2,24).
Pelo contrário, quem se une ao Senhor torna-se com ele um só espírito.
Fugi da fornicação. Qualquer outro pecado que o homem comete é fora do corpo, mas o impuro peca contra o seu próprio corpo.
Ou não sabeis que o vosso corpo é templo do Espírito Santo, que habita em vós, o qual recebestes de Deus e que, por isso mesmo, já não vos pertenceis."
(I Coríntios 6, 15-19)

"Mas, se não podem guardar a continência, casem-se. É melhor casar do que abrasar-se."
(I Coríntios 7, 9)
Abrasar-se quer dizer arder ou queimar, no sentido sexual, um casal que se abrasa está se estimulando mutuamente, excitando-se.
Hoje em dia é muito raro as pessoas viverem segundo a vontade de Deus, obedecendo os seus mandamento. Pelo menos ainda há pessoas que aceitam o desafio de nadar contra a corrente.

Há também uma situação mais grave, por exemplo, uma mulher que inicia sua vida sexual com um namorado, terminado o namoro, com certeza também terá sexo com próximo namorado e assim por diante... ela acaba por ter vários parceiro (ainda que não simultaneamente). Deus não quer isso, não foi assim no princípio. Foi Deus que nos fez assim como somos porém, se precisamos ter relações, que seja com uma pessoa somente, com o conjugue. Um casal que somente se doa numa relação sexual após o casamento não precisa se preocupar nem com gravidez precoce nem com as doenças sexualmente transmissíveis, porque serão somente um do outro, no momento certo.


A opinião da Igreja sobre o assunto

(Fragmentos retirados do Catecismo da Igreja)

"S.36.7 Importância da união conjugal

§2335 Cada um dos dois sexos é, com igual dignidade, embora de maneira diferente, imagem do poder e da ternura de Deus. A união do homem e da mulher no casamento é uma maneira de imitar na carne a generosidade e a fecundidade do Criador: "O homem deixa seu pai e sua mãe, se une à sua mulher, e eles se tomam uma só carne" (Gn 2,24). Dessa união procedem todas as gerações humanas.
S.36.9 Mandamento relativo à sexualidade
§2336 Jesus veio restaurar a criação na pureza de sua origem. No Sermão da Montanha, Ele interpreta de maneira rigorosa o plano de Deus: "Ouvistes o que foi dito: 'Não cometerás adultério'. Eu, porém, vos digo: todo aquele que olha para uma mulher com desejo libidinoso já cometeu adultério com ela em seu coração" (Mt 5,27-28). O homem não deve separar o que Deus uniu.
A Tradição da Igreja entendeu o sexto mandamento como englobando o conjunto da sexualidade humana."

Portanto:
6º Mandamento - Não pecar contra a castidade

"§2353 A fornicação é a união carnal fora do casamento entre um homem e uma mulher livres. É gravemente contrária à dignidade das pessoas e da sexualidade humana, naturalmente ordenada para o bem dos esposos, bem como para a geração e a educação dos filhos. Além disso, é um escândalo grave quando há corrupção de jovens.
§2390 Existe união livre quando o homem e a mulher se recusam a dar uma forma jurídica e pública a uma ligação que implica intimidade sexual.
A expressão é enganosa: com efeito, que significado pode ter uma união na qual as pessoas não se comprometem mutuamente e revelam, assim, uma falta de confiança na outra, em si mesma ou no futuro?
A expressão abrange situações diferentes: concubinato, recusa do casamento enquanto tal, incapacidade de assumir compromissos a longo prazo. Todas essas situações ofendem a dignidade do matrimônio, destroem a própria idéia da família, enfraquecem o sentido da fidelidade. São contrárias à lei moral. O ato sexual deve ocorrer exclusivamente no casamento; fora dele, é sempre um pecado grave e exclui da comunhão sacramental."

Para quem já praticou sexo antes do casamento e ainda é solteiro(a), sempre há tempo de mudar, lutar pela castidade e esperar até o casamento. Não importa se não é mais virgem, pode sempre confessar-se e buscar não mais pecar.
Para quem vive em união de facto, casem-se! Não se arrependerão! Muitas pessoas vêem o casamento com maus olhos, tem medo de assumir o compromisso ou imaginam somente que é uma cerimônia onde se gasta muito dinheiro (pode-se fazer uma cerimônia simples), não dão o devido valor, acham que só assinar um papel é o suficiente (casamento civil). O casamento é um Sacramento! Onde um homem e uma mulher se apresentam diante de todos, dos familiares, amigos e de Deus para assumirem o seu amor! Tive a oportunidade de estar presente a uma cerimônia linda, onde os pais pediam o baptismo de suas filhas e ao mesmo tempo se casavam. Fico a imaginar o grande número de graças e bênçãos divinas que aquela família recebeu naquele dia!

A maior prova de amor que um homem pode dar a uma mulher ainda é o casamento!

Como deveria ser!

"S.36.2 Dignidade da sexualidade

§2362 Os atos com os quais os cônjuges se unem íntima e castamente são honestos e dignos. Quando realizados de maneira verdadeiramente humana, significam e favorecem a mútua doação pela qual os esposos se enriquecem com o coração alegre e agradecido." A sexualidade é fonte de alegria e de prazer:

O próprio Criador... estabeleceu que nesta função (i.é, de geração) os esposos sentissem prazer e satisfação do corpo e do espírito. Portanto, os esposos não fazem nada de mal em procurar este prazer e em gozá-lo. Eles aceitam o que o Criador lhes destinou. Contudo, os esposos devem saber manter-se nos limites de uma moderação justa."

E ainda há pessoas que pensam que a igreja é contra o prazer numa relação, que a união entre os esposos seria somente para ter filhos...


Eutanásia


NAO MATARÁS. Êxodo 20,13.

A Eutanásia é um dos temas de maior discussão da actualidade.
A igreja explica através do Catecismo:

“§2276 Aqueles cuja vida está diminuída ou enfraquecida necessitam de um respeito especial. As pessoas doentes ou deficientes devem ser amparadas para levarem uma vida tão normal quanto possível.
“E.40.2 Eutanásia moralmente inaceitável e sua Significação.
§2277 Sejam quais forem os motivos e os meios, a eutanásia direta consiste em pôr fim à vida de pessoas deficientes, doentes ou moribundas. É moralmente inadmissível.
Assim, uma ação ou uma omissão que, em si ou na intenção, gera a morte a fim de suprimir a dor constitui um assassinato gravemente contrário à dignidade da pessoa humana e ao respeito pelo Deus vivo, seu Criador. O erro de juízo no qual se pode ter caído de boa-fé não muda a natureza deste ato assassino, que sempre deve ser condenado e excluído.
§2279 Mesmo quando a morte é considerada iminente, os cuidados comumente devidos a uma pessoa doente não podem ser legitimamente interrompidos. O emprego de analgésicos para aliviar os sofrimentos do moribundo, ainda que o risco de abreviar seus dias, pode ser moralmente conforme à dignidade humana se a morte não é desejada, nem como fim nem como meio, mas somente prevista e tolerada como inevitável. Os cuidados paliativos constituem uma forma privilegiada de caridade desinteressada. Por esta razão devem ser encorajados.

E.40.3 Gravidade da eutanásia voluntária
§2324 A eutanásia voluntária, sejam quais forem as formas e os motivos, constitui um assassinato. E gravemente contrária à dignidade da pessoa humana e ao respeito do Deus vivo, seu Criador.”

Eutanásia na Europa

Gostaria de divulgar o texto do professor Felipe Aquino, doutor em Engenharia Mecânica, apresentador do programa Escola da Fé, Igreja e Atualidades na rádio e TV Canção Nova, muito conhecido no Brasil e grande defensor da Fé e da Moral Católica:

“O número de eutanásias na Bélgica cresceu em 500 casos de 2006 a 2007, mais de 14%, conforme a cadeia de televisão VRT em 14 fev 08. A comissão de controle da eutanásia assegura que só a metade dos casos são registrados e que, portanto, o número de eutanásias dobrou. Declarou que um terço dos pacientes têm menos de 60 anos e que a maioria de pessoas que procuram o serviço padece de câncer terminal. (Bruxelas, 18 fev 2008 – acidigital.com)

Na Bélgica a eutanásia foi legalizada em 2002, com o requisito de que o adulto que padeça uma enfermidade "incurável e insuportável a nível físico e espiritual", com pleno uso de razão manifeste "livremente" seu desejo de morrer. Segundo o síte Web aerzteblatt.de o diretor da comissão de controle de eutanásia, Wim Distelmans, pronunciou-se a favor da eutanásia para jovens na edição da quinta-feira do jornal "Het Belang van Limburg".

Os Asilos na Alemanha convertem-se em abrigo para idosos que fogem da Holanda com medo de serem vítimas de eutanásia a pedido da família. São quatro mil casos de eutanásia por ano, sendo um quarto sem aprovação do paciente.
(Fonte: http://www.dw-world.de/dw/article/0,2144,1050812,00.html)...

… O paganismo se alastra no mundo, mas a fé católica contesta o absurdo do suicídio; pois só Deus é o autor da vida e só Ele pode determinar o seu fim; muitas vezes é no último instante de vida que uma pessoa se converte e salva a sua alma. Desaparece a transcendência do homem; e ele começa a se assemelhar ao animal irracional.”

http://www.cleofas.com.br/virtual/texto.php?doc=NOTICIA&id=nbm0446

Consequências Sociais

É realmente preocupante que a Cultura da Morte esteja cada vez mais actuante na sociedade humana. A eutanásia constitui uma violação clara do princípio da inviolabilidade da vida humana, dando licença para matar aos médicos! O Estado afirma assim o desvalor de determinadas vidas humanas afirmando que a situação de doença pode fazer perder a dignidade humana.
Os que são a favor da Eutanásia defendem o respeito a autonomia da pessoa, porém o respeito a autonomia deveria partir pelo respeito a vida! Na prática muitas vezes a eutanásia é praticada na ausência de um pedido explícito e consciente, portanto sem a aprovação do paciente, então não podem justificar a eutanásia pelos princípios de autonomia. Chega-se a conclusão que o Estado deseja interferir na vida alegando que existem vidas desprovidas de valor e dignidade, são vidas que são um fardo para a sociedade.

A PESSOA HUMANA NÃO É DESCARTÁVEL!!

Pode-se também justificar a Eutanásia como um bem para a pessoa, porém a vida é o bem maior! Não é eliminando a pessoa doente que se combate o sofrimento, ou a doença.

Lembro ao jovem que provavelmente um dia será idoso e necessitado de cuidados, espero que, quando esse dia chegar, não tenha medo que algum jovem lhe desligue as máquinas ou lhe dê uma injecção letal porque a sociedade não precisa mais de você!


sexta-feira, 25 de junho de 2010

Ensinando os Métodos Naturais


A igreja defende o uso dos métodos naturais para o planeamento familiar:

"S.36.4 Fecundidade e sexualidade

§2370 A continência periódica, os métodos de regulação da natalidade baseados na auto-observação e no recurso aos períodos infecundos estão de acordo com os critérios objectivos da moralidade. Estes métodos respeitam o corpo dos esposos, animam a ternura entre eles e favorecem a educação de uma liberdade autêntica. Em compensação, é intrinsecamente má "toda acção que, ou em previsão do ato conjugal, ou durante a sua realização, ou também durante o desenvolvimento de suas consequências naturais, se proponha, como fim ou como meio, tornar impossível a procriação"
Fragmento do Catecismo da Igreja Católica.

Gostaria de ressaltar que somente as informações sobre os métodos não habilitam um casal a utilizá-los. O casal deve procurar, em sua cidade, um movimento a favor da vida para ter um acompanhamento por um profissional habilitado. Esse estudo do método pode durar de 3 a 6 meses para que possam colocar em prática com segurança. O uso dos métodos naturais une o casal possibilitando entendimento e diálogo.

Abaixo um texto informativo do site da Associação Nacional Pró-Vida e Pró-Familia:

”Esses métodos são científicos e de comprovada eficácia: método da ovulação (Billings), método da temperatura basal e o método da tabelinha (Knaus-Ogino).

A “tabelinha” muitas vezes é tomada como único método natural, pelos defensores dos métodos artificiais. Isso porque esse método é baseado no período menstrual e apenas 20% das mulheres têm o ciclo menstrual regular. Pelo fato de ser um método falho para a maioria das mulheres, os defensores dos métodos artificiais citam apenas esse método, com sendo o único método natural, dizendo que o método natural não funciona e que falha. Raramente citam os demais métodos, (da ovulação e da temperatura basal), fazendo crer aos menos avisados que os métodos naturais não são aplicáveis às mulheres que não têm ciclo menstrual regular. Outros denominam a “Tabelinha” de “Método do Colar” por usar um colar de contas para orientar os dias férteis da mulher. Esse método é válido apenas para as mulheres que têm um ciclo menstrual regular.

Já o método da ovulação, também conhecido pelo nome de seus descobridores, o casal de médicos australianos, John e Evelyn Billings tem uma eficácia comprovada, pela Organização Mundial de Saúde, de 98%, superior à pílula anticoncepcional cuja eficácia se situa entre 96% e 97%.

A natureza é sábia. Assim como um grão de milho ou de feijão, só dá origem a um nova planta quando a terra está molhada, também a mulher só dá uma nova vida quando está presente o muco cervical (está molhada).

O método da ovulação se baseia nas transformações naturais do corpo da mulher. Consiste, basicamente, na observação, pela mulher, do muco cervical. O muco é produzido no colo uterino e constitui uma espécie de barreira natural. Quando ele se torna líquido e flexível desce pela vagina e é sentido pela mulher. Inicialmente é húmido e pegajoso depois se torna elástico (3-5cm), muito elástico (5-10cm), regride e some. O muco é semelhante a clara de ovo. O espermatozóide é então alimentado e se movimenta, graças ao muco. Quando a mulher está com sensação de secura no decorrer do ciclo, antes e depois do muco, não é fértil.

Há um outro método natural que é baseado na observação da temperatura corporal da mulher. É o chamado “método da temperatura basal”. O método da temperatura basal indica o período fértil quando a temperatura da mulher é alterada para maior. A temperatura basal é a temperatura mais baixa e estável do corpo, obtida após um período de total repouso. Geralmente pela manhã, antes de se levantar, o corpo humano tem a temperatura mais baixa durante o dia.

Diferentemente do homem, a mulher tem uma temperatura bifásica (uma fase alta e uma fase baixa). A ovulação (período fértil) se dá quando a temperatura se eleva.”

http://www.providafamilia.org.br/site/secoes_detalhes.php?sc=62&id=170

A maioria das mulheres que fazem uso dos métodos naturais utilizam o método Sintotérmico, no qual se deve observar em conjunto o muco cervical e a temperatura basal, combinando assim o método Billings com o da Temperatura Basal.

Vale a pena esclarecer que os métodos naturais são eficazes não só para quem deseja evitar a gravidez, como também para aqueles casais que tem dificuldades em conseguir uma gravidez! Através da observação dos métodos pode-se também determinar os dias mais férteis, portanto os dias que o casal tem maior possibilidade de gerar filhos. Na actualidade em que tantos casais sofrem de infertilidade e gastam muito dinheiro recorrendo a tratamentos artificiais, nos quais a mulher acaba por prejudicar a sua saúde, está é uma boa alternativa!

Para aprender o método Billings recomendo o site:

http://www.woomb.org/bom/lit/teach/index_pt.html

Protesto mundial contra o aborto

Em Luxemburgo o Parlamento deseja facilitar o aborto de crianças não nascidas. Assinem a petição!
http://www.sosvita.org/?lang=pt-pt

quinta-feira, 24 de junho de 2010

Aborto Não!!!!!


O Aborto é inadmissível em qualquer situação!
O Catecismo da Igreja Católica diz:

“A.4.2 Cultura de vida e aborto
§ 2270 A vida humana deve ser respeitada e protegida de maneira absoluta a partir do momento da concepção. Desde o primeiro momento de sua existência, o ser humano deve ver reconhecidos os seus direitos de pessoa, entre os quais o direito inviolável de todo ser inocente à vida.
Antes mesmo de te formares no ventre materno, eu te conheci; antes que saísses do seio, eu te consagrei (Jr 1,5). Meus ossos não te foram escondidos quando eu era feito, em segredo, tecido na terra mais profunda (Sl 139,15).
A.4.3 Preceitos morais e aborto
§ 2271 Desde o século I, a Igreja afirmou a maldade moral de todo aborto provocado. Este ensinamento não mudou. Continua invariável. O aborto directo, quer dizer, querido como um fim ou como um meio, é gravemente contrário à lei moral:
Não matarás o embrião por aborto e não farás perecer o recém-nascido.
Deus, senhor da vida, confiou aos homens o nobre encargo de preservar a vida, para ser exercido de maneira condigna ao homem. Por isso a vida deve ser protegida com o máximo cuidado desde a concepção. O aborto e o infanticídio são crimes nefandos.”
É um crime hediondo! Não é preciso entrar em questões religiosas, existem ateus que por questões éticas e humanas defendem a vida!
É no mínimo ambíguo que as sociedades humanas criem tantos organismos de defesa e protecção dos animais, como por exemplo, dos ovos de tartarugas, e não protejam, pelo contrario aprovam leis para matar o “ovo humano”, o zigoto também é chamado ovo, portanto ovo de gente, porque se protege os ovos das tartarugas e não se protege o ovo humano? Ora, isso é um contra-senso! Há varias tendências para se explicar o início da vida humana, que geram uma série de questões filosóficas, porém para a igreja, a vida se dá desde a concepção, portanto desde o encontro do espermatozóide com o óvulo, formando o zigoto. A discussão se agrava se considerarmos o aborto de um embrião, ou então de uma criança a partir do 4º mes de gestação, que está totalmente formada.

Aborto por estupro

Essa é uma experiência terrivelmente traumática para a mulher, é o pior crime cometido contra a dignidade de uma mulher! Porém, a prática de um aborto seria tão ou ainda mais traumática do que a experiência do estupro!
Há mulheres que foram vítimas desse crime, passaram pelo processo psicológico complicadíssimo de tentar esquecer o que lhes aconteceu, porém decidiram pela vida e tiveram os filhos inesperados e inicialmente indesejados. Esses filhos posteriormente são amados com a mesma intensidade do que qualquer filho que uma mulher possa ter, por que não importa se o bebê é fruto de uma violência, o que importa é que ele é UM FILHO!


O facto de um homem ter cometido o crime de estuprar uma mulher não dar o direito da mulher cometer outro crime matando o filho!
Uma deputada brasileira, a senhora Fátima Pelaes, comoveu os deputados na Comissão de Seguridade e Família ao dizer “Nasci despois de um estupro, não posso ser a favor do aborto!” Compartilhou portanto que ela mesma foi concebida depois de uma violação e ainda assim sua mãe optou por não abortá-la, que por essa razão ela luta pelo direito à vida desde a concepção seja qual for a circunstância em que esta seja ocasionada.

Aborto de Anencéfalos

“A anencefalia é definida como anomalia resultante da má formação fetal congênita caracterizada como defeito do fechamento do tubo neural durante a gestação, de modo que o feto não apresenta os hemisférios cerebrais e o córtex havendo apenas parte do tronco encefálico, o que lhe impõe vida curta ou o nascimento com morte. Nos casos em que essa anomalia acarreta risco de vida para a mãe admite-se o aborto, pois trata-se da modalidade terapêutica perfeitamente aplicável a este caso. Todavia, não havendo risco, não se pode permitir aborto. E esse risco, segundo a grande maioria dos médicos, não é muito maior do que numa gestação normal. Atenta-se também para a possibilidade significativa de erro no diagnostico, como se observa em alguns casos recentes...
… A questão da anencefalia desdobra-se também sobre a hipótese de não haver expectativa de vida da criança, ou seja, vida em potencial. Ora, expectativa ou probabilidade de vida há, curta, mas há...
...Em se tratando do preceito constitucional da dignidade da pessoa humana este nada mais é do que o direito à assistência para manter uma vida digna até a morte inevitável...
...Em que pese o sofrimento dos pais que sabem da curta sobrevida do seu filho, não se pode ignorar que o direito à vida inerente à criança não está condicionado à vontade de seus genitores. E amar um filho independente de sua perfeição física ou do tempo em que ele viverá.
Ainda que o feto tenha vida curta, ainda que os pais sofram por isso, viver é um direito inviolável. Cabe a pergunta: quando se sofre mais? Quando se gera um filho defeituoso cuja morte será natural ou quando se mata esse filho por sua própria vontade trazendo consigo além da dor da perda a dor do remorso?

A vida de um filho não vale pelo número de dias em que ele esteve presente na vida dos pais, mas pelo simples fato de ter estado presente. Mesmo que por um só dia.”
Fragmentos do texto da Drª. Simone Marcussi de Almeida Prado - Advogada - OAB/SP
http://www.providafamilia.org.br/site/secoes_detalhes.php?sc=52&id=362

Aborto – Direito a decidir?

Os abortistas falam em direito da mulher de decidir interromper voluntariamente a gravidez. E a criança no ventre da mãe, não tem direito ao 1º e mais importante direito que é o direito à vida?? Essa decisão já não cabe mais a mãe, pois o direito a vida da criança deveria sempre prevalecer sobre o direito de liberdade da mulher! Além disso desde que ocorre a fecundação a mulher não interfere, por vontade própria, no desenvolvimento ou na formação do feto, portanto ela não tem direito de decidir interromper esse processo, iniciado na fecundação. Somente Deus tem o poder de dar a vida! As mulheres abortistas querem decidir no lugar de Deus! Para dar suporte a esse argumento segue-se o texto de um especialista no assunto, o Dr. Luiz Roberto Fontes (Ginecologista e Obstetra):
“... o ser é autônomo desde a fecundação. É nesse momento que tem início a vida humana. Para chegar a essa conclusão, utilizei apenas conhecimentos técnicos, de matéria médica. Abstive-me de sentimentalismo, emoções, conceitos ou dogmas religiosos. O ovo, tão logo constituído, é um ser autônomo, o único responsável por sua sobrevivência dentro do organismo materno. Isso posto, tenho que dizer que a gestante é depositária do novo ser humano, que é autônomo desde o momento da concepção. A mulher não pode, a seu exclusivo critério e defendendo uma suposta liberdade de usar o corpo como lhe convém, como se grávida não estivesse, optar por interromper a gestação. Não é opção, o caminho é único: é dever da mulher respeitar o novo ser abrigado provisoriamente em seu útero; é dever (eu disse DEVER) do Legislador gerar mecanismos legais de proteção ao novo ser autônomo e portador da condição humana, inclusive no estado unicelular de célula-ovo. Portanto, legislar a favor de "impressões pessoais", ou de uma suposta "dignidade do casal" ou suposto "direito da mulher", como vem ocorrendo na decisão exarada por certos Juízes de Direito em nosso país, é, apenas e tão somente, condenar à morte um ser humano (uni ou pluricelular, com ou sem cérebro, anencéfalo ou não). As feministas também estão erradas em sua visão do assunto e defendem, pura e simplesmente, um crime contra a vida humana.”
http://www.providafamilia.org.br/site/secoes_detalhes.php?sc=50&id=382

Há muitas mulheres que decidem abortar por uma série de razões pessoais, ou por pressão dos companheiros, ou porque são muito jovens, tiveram sexo irresponsável e depois não sabem lidar com as consequências! Não há desculpas para abortar! Se não pensaram nas consequências porque fizeram sexo? Se a mulher não está preparada para ser mãe não deveria se doar numa relação sexual! (ver em: http://temaspolemicosigreja.blogspot.com/2010/06/contra-o-sexo-antes-do-casamento.html)

Se uma mulher teve sexo e ficou grávida que assuma também as consequências de seus actos! Nos países que aprovaram o aborto, inclusive Portugal, pelas estatísticas percebe-se que as mulheres tem trocado o planeamento familiar responsável pelo aborto! Hoje em dia, com todos os meios de comunicação existentes, muito dificilmente essa mulher estaria desinformada sobre os cuidados que deveria ter para não engravidar. Não se pode mais argumentar que as pessoas são inocentes e sem informação, as pessoas sabem muito bem o que fazem, principalmente quando o assunto é sexo.

As consequências do aborto:

Um aborto traz terríveis consequências para a mãe, para o seu marido, para os futuros filhos que eventualmente queira ter, para os profissionais de saúde envolvidos e até para a sociedade que incentiva esse tipo de prática!

Os médicos abortistas vão totalmente contra o Juramento de Hipócrates: "Aplicarei os regimes para o bem do doente segundo o meu poder e entendimento, nunca para causar dano ou mal a alguém. A ninguém darei por comprazer, nem remédio mortal nem um conselho que induza a perda. Do mesmo modo não darei a nenhuma mulher uma substância abortiva. Conservarei imaculada minha vida e minha arte."

O seguinte texto foi extraído do site da Associação Nacional Pró-Vida e Pró- Família do Brasil:

Complicações tardias do aborto
1. Insuficiência ou incapacidade do colo uterino.
2. Aumento da taxa de nascimentos por cesariana (para permitir que o bebê consiga viver mesmo que prematuro).
3. Danos causados às trompas por possível infecção pós-aborto, causando infertilidade (em 18 % das pacientes). Maior número de complicações em mulheres grávidas que anteriormente provocaram aborto (67,5% entre as que abortaram e 13,4 entre as que não abortaram). Dentre todas as complicações, a mais grave é a hemorragia, que transforma a nova gravidez em gravidez de alto risco.
4. O aborto pode provocar complicações placentárias novas (placenta prévia), tornando necessária uma cesariana, para salvar a vida da mãe e da criança.
5. O aborto criou novas enfermidades: síndrome de ASHERMAN e complicações tardias, que poderão provocar necessidade de cesariana ou de histerectomia.
6. Isoimunização em pacientes Rh negativo. Aumento, conseqüentemente, do número de gravidez de alto risco.
7. Partos complicados. Aumento do percentual de abortos espontâneos nas pacientes que já abortaram.

Conseqüencias sobre a criança não nascida
1 - Sobre a criança abortada:
• DORES INTENSAS (O FETO É SENSÍVEL À DOR);
• MORTE VIOLENTA;
• ABORTO DE CRIANÇAS VIVAS QUE SE DEIXAM MORRER.
2 - Sobre as crianças que nascem depois
Perigos e complicações:
• abortos de repetição no primeiro e no segundo trimestre de gravidez;
• partos prematuros;
• nascimento prematuro, através de cesariana, para salvar a vida da mãe e da criança. Trinta e três por cento de abortos são abortos em que as crianças nascem em posição invertida (de nádegas).
• parto difícil, contrações prolongadas;
• Gravidez ectópica (fora do lugar) nas trompas, podendo ser fatal para a mãe - para o feto o é sempre - (a gravidez ectópica, nas trompas, é oito vezes mais frequente depois de aborto provocado;
• malformações congênitas provocadas por uma placenta imperfeita;
• morte perinatal por prematuridade extra-uterina (50% morrem no primeiro mês de gravidez);
• os prematuros que sobrevivem com freqüência são excepcionais (paralisia cerebral, disfunções neurológicas etc.).
O ABORTO É A MORTE VIOLENTA DE UM SER HUMANO: É A DESTRUIÇÃO DO AMBIENTE NATURAL PARA O SEU DESENVOLVIMENTO.

Conseqüências psicológicas
a) Para a mãe:
• queda na autoestima pessoal pela destruição do próprio filho;
• frigidez (perda do desejo sexual);
• aversão ao marido ou ao amante;
• culpabilidade ou frustração de seu instinto materno;
• desordens nervosas, insônia, neuroses diversas;
• doenças psicossomáticas;
• depressões;
O período da menopausa é um período crucial para a mulher que provocou aborto.
b) Sobre os demais membros da família:
• problemas imediatos com os demais filhos por causa da animosidade que a mãe sofre. Agressividade - fuga do lar - dos filhos, medo destes de que os pais se separem, sensação de que a mãe somente pensa em si.
c) Sobre os filhos que podem nascer depois:
• atraso mental por causa de uma malformação durante a gravidez, ou nascimento prematuro.
d) Sobre o pessoal médico envolvido:
• estados patológicos que se manifestam em diversas formas de angústia, sentimento de culpa, depressão, tanto nos médicos quanto no pessoal auxiliar, por causa da violência contra a consciência.
Os abortos desmoralizam profissionalmente o pessoal médico envolvido, porque a profissão do médico é a de salvar a vida, não de destruí-la.

Conseqüências sociais
O relacionamento interpessoal, frequentemente, fica comprometido depois do aborto provocado.
a) Entre os esposos ou futuros esposos:
• antes do matrimônio: muitos jovens perdem a estima pela jovem que abortou, diminuindo a possibilidade de casamento;
• depois do casamento: hostilidade do marido contra a mulher, se não foi consultado sobre o aborto; hostilidade da mulher contra o marido, se foi obrigada a abortar. O relacionamento dos esposos pode ficar profundamente comprometido. É evidente que as conseqüências, a longo prazo, sobre a saúde da mãe podem complicar seriamente a estabilidade familiar.
b) Entre a mãe e os filhos:
• muitas mulheres temem a reação dos filhos por causa do aborto provocado;
• perigo de filhos prematuros e excepcionais, com todos os problemas que isso representa para a família e a sociedade.
c) Sobre os médicos
• sobre os médicos que praticam o aborto fora de um centro autorizado: correm o perigo de serem denunciados. Todos, em geral, estão sujeitos a denúncias por descuidos ou negligências na prática do aborto.
d) Sobre os médicos e o pessoal de saúde envolvidos em abortos legais:
• possibilidade de perda de emprego se negarem a praticar aborto por questão de consciência;
• possibilidade de sobrecarga de trabalho, por causa do aumento do número de abortos.
e) Sobre a sociedade em geral:
1. Sobrecarga fiscal sobre os cidadãos que pagam impostos:
1. aborto pago pela previdência social;
2. preço pago por crianças que nascem com defeitos em conseqüência de abortos provocados.
2. Relaxamento das responsabilidades específicas da paternidade e da maternidade; o aborto, com freqüência, substitui o anticoncepcional.
3. Tendência ao aumento de todo tipo de violência, sobretudo contra os mais fracos. Conseqüência: infanticídio e eutanásia.
4. Aumento das doenças psicológicas no âmbito de um sector importante para a sociedade, particularmente entre as mulheres de idade madura e entre os jovens.
5. Aumento considerável do número de pessoas com defeitos físicos ou psíquicos, com todas as conseqüências que isso significa para a sociedade em geral."

http://www.providafamilia.org.br/site/secoes_detalhes.php?sc=33&id=70

Mensagem para reflexão:

(não se sabe o autor...)

- Doutor, o senhor terá de me ajudar num problema muito sério. Este meu bebê ainda não completou um ano e estou grávida novamente. Não quero filhos em tão curto espaço de tempo, mas num espaço grande entre um e outro. E então o médico perguntou:- Muito bem. E o que a senhora quer que eu faça? A mulher, já esperançosa, respondeu:
- Desejo interromper esta gravidez e conto com a ajuda do senhor. O médico então pensou um pouco e depois do seu silêncio disse a mulher:- Acho que tenho um método melhor para solucionar o problema. E é menos perigoso para a senhora. A mulher sorriu, acreditando que o médico aceitaria seu pedido. E então ele completou:
- Veja bem, minha senhora, para não ter de ficar com os dois bebês de uma vez, em tão curto espaço de tempo, vamos matar este que está em seus braços. Assim, o outro poderá nascer. Se o caso é matar, não há diferença para mim entre um e outro. Até porque sacrificar este que a senhora tem nos braços é mais fácil, pois a senhora não correrá nenhum risco. A mulher apavorou-se e disse:
- Não doutor! Que horror! Matar uma criança é um crime! O médico sorriu e, depois de algumas considerações, viu que a sua lição surtira efeito. Convenceu a mãe que não há menor diferença entre matar a criança já nascida e matar uma criança ainda por nascer, mas viva no seio materno. O CRIME É EXATAMENTE O MESMO E O PECADO, DIANTE DE DEUS, É EXATAMENTE O MESMO.