Credo in Unam, Sanctam, Cathólicam et Apostólicam Ecclésiam

"Na presença dos Anjos ei de cantar-Vos e adorar-Vos no vosso santuário."
(Salmo 137, 1)

segunda-feira, 30 de agosto de 2010

Corpos Incorruptos dos Santos


Santa Teresinha do Menino Jesus e da Santa Face




São Padre Pio




Santa Bernadette Soubirous (Vidente da Virgem de Loures)




Beata Jacinta Marto (Vidente de Fatima)


Parece que estão apenas dormindo mas já foram chamados para a Glória de Deus Pai...

A Ciência não consegue explicar o incrível milagre da incorrupção dos corpos santos. A Igreja Catolica tem mais de 2.000 corpos incorruptos!

Um corpo é considerado incorrupto quando não se deteriora depois da morte como habitualmente acontece com os demais corpos poucos dias depois da morte. Evidentemente exclui-se qualquer processo de incorrupção artificial como as mumificações, as saponificações e outros processos químicos de preservação. A preservação acontece milagrosamente sem qualquer intervenção. Alguns até cheiram a rosas...

Cientistas, médicos e cirurgiões analisaram alguns corpos incorruptos e declararam que a preservação é humanamente inexplicável, que não poderiam, em condições normais e naturais, serem encontrados em tão perfeito estado de conservação depois de tanto tempo.

Um exemplo das análises feitas por peritos e médicos:

"A beata Maria Ana de Jesus, terciária da ordem de Nossa Senhora da Redenção, nascida em Madrid e falecida na mesma cidade em 1642; teve o corpo preservado da decomposição. Pouco depois de sua morte, o Cardeal Treso, Bispo de Málaga e presidente da Castela; que a conhecera pessoalmente em vida, no processo de beatificação, declara ter estado presente na primeira exumação e afirma: "Eu ví e me assombrei ao presenciar que o corpo morto há anos, sem que tivessem sido retiradas as vísceras ou embalsamado, pudesse estar tão perfeitamente conservado que nem sequer o abdômen e nem as faces oferecessem sinal de deteriorização, com exceção de uma mancha nos lábios, embora esta já a tivesse em vida".

Em 1731, tendo já transcorridos 107 anos da morte da Serva de Deus, teve lugar uma inspecção oficial e mais completa, por ordem das autoridades eclesiásticas interessadas na causa da Beatificação. Os restos mortais se apresentavam suaves, flexíveis e elásticos ao tacto. Esta investigação teve lugar em Madrid, tendo sido fácil reunir médicos e peritos. Nove professores de medicina e cirurgia tomaram parte nas investigações e depuseram como testemunhas. Foram feitas incisões na parte carnosa e no peito; foram estudados os orifícios naturais por onde poderiam ter sido introduzidos preservativos contra a putrefacção. Foi uma verdadeira dissecação.

Após completar as investigações, os médicos declararam: " Os órgãos internos, as vísceras e os tecidos carnosos, estavam todos eles intactos, sãos, húmidos e elásticos".
http://oepnet.sites.uol.com.br/geral.htm

Apesar da constante evolução da ciência esse fenómeno continua inexplicável, porque são de ordem sobrenatural, logo milagrosa. Esse milagre é característico de catolicismo e somente dele.

Não há registos históricos de que pessoas de outras religiões ou crenças tenham sido encontradas incorruptas ou com ausência de rigidez cadavérica. O milagre acontece somente no catolicismo e com pessoas que em vida transbordavam santidade, mas nem todos os grandes santos foram encontrados incorruptos, pois os milagres não têm regra fixa.


Deus preservou essas pessoas santas da corrupção em sinal de seu amor e para, através do exemplo delas, nos motivar a buscar a santidade.

quarta-feira, 25 de agosto de 2010

O Aborto e o Desaparecimento da População Européia

Publicado pelo Prof. Felipe Aquino com o título "Uma notícia chocante!" no endereço:
http://blog.cancaonova.com/felipeaquino/2010/08/19/uma-noticia-chocante/


Uma notícia chocante!

O governo da região da Lombardia, na Itália, anunciou que dará 4500 euros às mulheres grávidas para que NAO abortem; para obter esse “benefício” deverão apresentar uma solicitação de aborto motivado por problemas econômicos em um hospital ou um consultório familiar. Neste caso a mulher receberá 250 euros mensais durante um ano e meio. Para isso, estabeleceu-se um fundo de cinco milhões de euros.

Antes o aborto era proibido simplesmente, por destruir uma vida humana inocente e indefesa; depois passou a ser legal; agora, deve ser comprada por uma quantia de dinheiro. Certamente não faltará alguma mulher que procure ficar grávida para apenas faturar essa quantia. A que ponto de desvalorização e desrespeito se chegou com a vida humana “imagem e semelhança” de Deus!

Mas onde estão as causas mais profundas dessa medida tão assustadora?

Entre outras coisas esta notícia mostra o desespero a que estão chegando os governantes e economistas europeus em face do drástico controle da natalidade que a Europa e o mundo se impõem. A Itália tem um índice de natalidade de apenas 1,3 filhos por mulher, quando o necessário para manter o número de habitantes, é no mínimo 2,1 filhos por mulher. Nenhum país hoje da Europa tem este número mínimo de filhos por mulher; o que significa que as populações das nações européias começam a diminuir drasticamente, com sérias conseqüências econômicas.

O cardeal Angelo Bagnasco, arcebispo de Gênova e presidente da Conferência Episcopal Italiana (CEI), durante a abertura, no Vaticano, da Assembléia Plenária dos bispos italianos, realizada em maio alertou a nação sobre o “lento suicídio demográfico ao qual a Itália está se dirigindo”. Mais de 50% das famílias italianas atuais não têm filhos, e entre as que têm, quase metade tem somente um e o restante, dois. Só 5,1% das famílias têm três ou mais filhos. Este dado nos ajuda a entender o desespero do governo italiano (31 de maio de 2010 - ZENIT.org).

Estive em viagem pela Itália, quando da peregrinação para ver o Santo Sudário em Turim (maio de 2010), e pudemos visitar várias cidades italianas como Gênova, Pisa, Pádua, Veneza, Roma, Turim, Milão, etc. O que pudemos notar de mais nítido desta vez? A grande quantidade de africanos, em todas essas cidades. Notei isso em todas as cidades italianas. Isso mostra que a imigração cresce em direção à Europa em parte porque falta mão de obra para o trabalho.

Num cenário deste tipo, onde nascem poucas crianças, e os idosos vivem mais de 70 anos, o número de jovens diminui, não há braços fortes para trabalhar e para pagar a Previdencia social que tem de manter as aposentadorias para os idosos, pagar os hospitais, etc. Esta é a grande preocupação dos economistas hoje em muitas nações.

Os idosos além de não poder trabalhar, gastam muitas vezes mais em saúde do que os jovens. E quem vai pagar esta conta? Por conta disso alguns países já aprovaram a eutanásia (Holanda, Bélgica, Luxemburgo), e assim podem eliminar os velhos cujas vidas “já não vale a pena ser mantidas” com altos custos. Já são cerca de 4000 eutanasiados na Holanda por ano. É o “prêmio” que recebem da nação aqueles idosos que deram a sua vida e o seu trabalho em função dela. Não é à toa que alguns velhinhos estão deixando os asilos da Holanda e Bélgica e se refugiando nos asilos alemães, porque ai não há a eutanásia.

Na sua última Encíclica, “Caritas in veritate”, o Papa Bento XVI deixou claro que o controle da natalidade não é fator de desenvolvimento. Vale a pena reler o que ele disse sobre este assunto:

“Considerar o aumento da população como a primeira causa do subdesenvolvimento é errado, inclusive do ponto de vista econômico.” (n. 44)

“A abertura à vida está no centro do verdadeiro desenvolvimento. Quando uma sociedade começa a negar e a suprimir a vida, acaba por deixar de encontrar as motivações e energias necessárias para trabalhar ao serviço do verdadeiro bem do homem.” (n. 28)

“Os pobres não devem ser considerados um ‘fardo’, mas um recurso, mesmo do ponto de vista estritamente econômico.” (n. 35).

Nenhum economista consegue provar que o controle da natalidade ajuda o desenvolvimento; mas muitos provam o contrário. O dois países que mais se desenvolvem hoje são os de maior população: China e Índia. Enquanto o Japão tem cerca de 330 pessoas/kilometro quadrado, a América Latina tem em média apenas 20. E todos sabemos que lá há muito menos miséria, analfabetismo, falta de escolas, hospitais, casas, do que aqui entre nós. E o Japão está fazendo campanha para aumentar a população.

O nosso Brasil infelizmente está indo na mesma direção da Europa e da Itália; mesmo sendo um país pouco habitado (20 pessoas/km quadrado) a nossa taxa de fertilidade já está em 2,0 filhos por mulher, ou menos, o que significa que a população brasileira dentro de poucos anos começará a diminuir, drasticamente. E, como a população mais idosa aumenta, e com ela o número de aposentadorias, é claro que a Previdência social terá seriíssimos problemas também aqui, o que já se faz notar.

A Igreja não se cansa de alertar o mundo para esse problema; ela está sempre do lado da defesa da vida, como disse João Paulo II: “Não tenham medo da vida”. A lógica de Deus é esta: ”o filho é sempre uma bênção!”. Como disse o salmista:

“Vede, os filhos são um dom de Deus: é uma recompensa o fruto das entranhas. Tais como as flechas nas mãos do guerreiro, assim são os filhos gerados na juventude. Feliz o homem que assim encheu sua aljava: não será confundido quando defender a sua causa contra seus inimigos à porta da cidade” (Sl 126/127, 2-4).


sexta-feira, 20 de agosto de 2010

BEBÉS MORTOS PELA CONTRACEPÇÃO!!!




Muitos métodos anticoncepcionais são na verdade abortivos.

"Inicialmente, afirmamos que muitos dos produtos do Planejamento Familiar, denominados de “contraceptivos”, realmente não são contraceptivos uma vez que interrompem a vida de um ser humano na sua primeira semana de existência. Esse é um fato não mencionado aos usuários do planejamento familiar. Se soubessem dessa verdade muitas mulheres abandonariam esses assassinos químicos.

Uma organização denominada Farmacêuticos Internacionais Pró-Vida” está procurando levar essa informação verídica aos médicos, farmacêuticos e ao público em geral. Uma de suas atividades é distribuir um panfleto intitulado “Homicídio Infantil através dos Contraceptivos.”. Este panfleto, com 31 páginas, é um excelente material educativo. Explica como esses produtos funcionam, lista-os pela especialidade farmacêutica e pelo nome comercial (nome fantasia). Dessa maneira pode-se saber, sem sombra de dúvida, como os bebês são mortos quimicamente.
Ninguém sabe, com certeza, quantas vidas são exterminadas, a cada ano, por esses produtos, mas pode-se fazer uma estimativa (máxima e mínima) a partir dos dados contidos nos folhetos. De acordo com informações contidas nesse panfleto (e apresentadas num quadro impresso na contra-capa) as melhores estimativas de como muitas vidas são extintas a cada ano, nos Estados Unidos, através desses produtos são:


NÚMERO DE MORTES
(Produto - Estimativa mínima - Estimativa máxima)

C.O. (Pílula) 834.000 4.170.000
DIU 3.823.000 3.825.000
Depo-provera 1.200.000 1.800.000
Norplant 2.250.000 2.925.000
Procedimento Cirúrgico 1.500.000 1.500.000
Prostagladina & Salina 50.000 100.000
Total 9.657.000 14.320.000

Tragicamente, muito poucas pessoas falam desses 10 a 14 milhões de vidas que são eliminadas a cada ano. Veja, nós não estamos falando de contracepção, mas de seres humanos que foram criados, que viveram por 5 ou sete dias e depois morreram. Todos esses seres humanos tiveram seus próprios DNA e suas aptidões e características exclusivas. Alguns seriam cientistas, médicos ou agentes sociais. Outros poderiam ser grandes inventores e, alguns, até poderiam ser ladrões ou assassinos. Mas nenhum deles teve chance. Todos tiveram o fim de suas vidas na primeira semana de existência. Muitos desses produtos foram fornecidos às mães com o dinheiro de seu imposto através do conhecido Programa de Planejamento Familiar.

Os pró-vidas citam 1,5 milhões de abortos cirúrgicos realizados, a cada ano, nos Estados Unidos. Muitos senadores e deputados americanos estão cientes do horror dessas mortes e tentarão fazer alguma coisa para evitar esse holocausto. Mas uma grande quantidade desses senadores e deputados votarão a favor do fornecimento, às mulheres, de produtos que promovem a morte, através dos programas do governo.

Devemos começar a falar desses 10 a 14 milhões de vidas que são eliminadas, a cada ano, pela pílula, pelo Norplant, pelo Depo-provera e pelo DIU. Devemos informar a nossos amigos, nossos pastores e nossas famílias sobre o invisível desastre, que está acontecendo entre nós. Devemos parar com a idéia de que justamente por causa das clínicas de planejamento familiar do governo (e outras clínicas de planejamento familiar) não se faz abortos cirúrgicos e que nenhuma vida é extinta com os produtos distribuídos por aquelas clínicas. Toda clínica de planejamento familiar distribui produtos que causam a morte de um específico ser humano durante suas primeiras semanas de existência.

Já é tempo de começarmos a luta em defesa da vida de cerca de 12 milhões de bebês mortos a cada ano pelo aborto cirúrgico e aborto químico que acontecem nos Estados Unidos. Não vamos abandonar um único bebê. Passe, ainda hoje, essas informações para sua comunidade."

Publicado pelo Padre Anderson Marçal


Fonte:
http://blog.cancaonova.com/padreanderson/2010/08/10/bebes-mortos-pela-contracepcao/

quarta-feira, 18 de agosto de 2010

O Santo Sudário



É a relíquia mais estudada pela ciência na História da Humanidade e também a que levantou mais controvérsias. Cientistas dedicam muitas horas e até anos a estudar o Sudário de Turim. Continua sem explicação pela ciência como se deu a formação da imagem do Sudário.

Descrição


O Santo Sudário é um lençol de linho, de cor amarelada, que contém a imagem de um homem com traumatismos semelhantes ao de um crucificado. Tem 4,36 metros de comprimento e 1,10 metros de largura. O tecido tem se conservado a mais de 4 séculos.

Em 1532, houve um incêndio que danificou parte do tecido, há marcas de queimaduras e também marcas de água. As clarissas remendaram partes do tecido queimado com outro tecido de formato triangular.

O Sudário apresenta uma série de nódoas vermelhas (depois de analisadas confirmaram ser de sangue) que sugerem vários traumatismos:
- ferida num dos punhos, de forma circular; o segundo punho está escondido em segundo plano;
- ferida na zona lateral, aparentemente provocada por instrumento cortante;
- conjunto de pequenas feridas em torno da testa;
- nenhuma evidência de perna fracturada e
- série de feridas lineares nas costas e pernas.

Imagem em Negativo


Em 1898, o Sudário foi fotografado pela primeira vez por Secondo Pia, um fotógrafo amador. Constatou que o negativo da fotografia se assemelhava a uma imagem positiva do homem, o que significava que a imagem do Sudário era, em si, um negativo. O Pia afirmou: "fechado em minha câmara escura e absorto em meu trabalho, senti uma emoção fortíssima, quando, durante a revelação, vi aparecer pela primeira vez, na chapa, o Sagrado Rosto, com clareza tal, que fiquei aturdido". Esta descoberta provocou uma discussão científica que continua até hoje.

Devoção

Os cristãos crêem que o Sudário de Turim é o lençol que envolveu Jesus depois da morte no calvário e que a imagem foi formada no momento da Ressurreição, apesar da Igreja nunca ter se pronunciado definitivamente sobre a autenticidade da relíquia.

O conceito Imagem Milagrosa (uma imagem que não pode ter sido feita por mãos humanas) foi atribuído ao Sudário, assim como também foi atribuído à Imagem da Virgem de Guadalupe (México).

A 1958 o Papa Piu XII aprova a devoção “A Sagrada Face de Jesus” baseada na fotografia de Pia e também no Sudário de Oviedo (véu encontrado no túmulo vazio de Jesus, teria coberto o seu rosto).

Sobre o “Homem do Sudário” o Papa Paulo VI afirmou: “é o maravilhoso documento da Sua Paixão, Morte e Ressurreição, escrito para nós com letras de sangue.”

O Papa Bento XVI descreveu o Santo Sudário como: “um extraordinário Ícone que corresponde em tudo ao que os evangelhos nos dizem sobre Jesus.”

Análises Científicas

O termo sindonologia (do grego sindon) é usado para designar o estudo do Santo Sudário de Turim.

A alguns cientistas foi dado o privilégio de analisar directamente a relíquia, ou pequenas amostras dela, já outros fizeram análises às imagens à distância.
Os estudos começaram em 1902 quando o professor francês de anatomia Yves Delage fez a primeira publicação sobre o tema, na qual declarava que a imagem deve ter sido formada com o contacto com um cadáver.

Em 1977 foi formado um grupo de cientistas americanos chamado STURP (Shroud of Turim Research Project) que teve acesso directo ao Sudário por 120 horas.

Análise do Material Químico

Em 1970 cientistas da Comissão de Turim realizaram testes microscópicos no sudário que revelaram que não há uma coloração heterogénea ou pigmento. Em 1979, Walter McCrone, depois de analisar uma amostra dada pelos cientistas do STURP chegou a conclusão que o Sudário é composto por inúmeras e microscópicas partículas de pigmento.

Teste do Carbono 14

Em 1988, a Santa Sé autorizou os primeiros testes de datação radiométrica do sudário, segundo o método do carbono-14. Foram colhidas três amostras que foram analisadas por três laboratórios diferentes: Universidade de Oxford (UK), Universidade do Arizona (EUA) e o ETH Zürich (Suíça). Todas as análises revelaram idades entre os séculos XIII e XIV, mais concretamente no intervalo 1260-1390.

Porém o teste não pode concluir que o sudário é um falso medieval, uma vez que as amostras para análise podem estar muito contaminadas por causa da exposição aos raios e luz do sol, vento, poeira, fumaça, velas, círios acesos, além de ter sido tocado por milhares de mãos em igrejas frias e húmidas, locais fechados, logo, ambientes carregados de dióxido de carbono.
Também há a hipótese das amostras analisadas serem exactamente dos fragmentos dos remendos feitos no tecido pelas Clarissas.

Análise do Material Histórico

Em 1999, Mark Guscin estudou a relação entre o Sudário de Turim e o Sudário de Oviedo (acredita-se ter sido o véu que cobriu o rosto de Jesus, tem vestígios de sangue tipo AB, o mesmo do Sudário de Turim) e concluiu que os dois tecidos cobriram o mesmo rosto em dois momentos distintos, porém num intervalo de tempo muito próximo.

A ideia de que o corpo de Jesus Cristo tenha sido envolto em um manto, de acordo com o costume judaico, não estava apoiada por qualquer evidência arqueológica. No entanto, no "túmulo do Sudário", foram encontrados indivíduos cobertos no interior da câmara, confirmando a prática. A análise de traços de material orgânico presentes em todas as amostras de tecido confirma que estes cobriam todo o corpo. Vestígios de cabelos também confirmam a prática de cobrir a cabeça do morto.

Em Dezembro de 2009, arqueólogos da Universidade Hebraica reportaram no periódico PloS ONE Journal ter encontrado fragmentos de um sudário numa tumba da primeira metade do século I, localizada no vale inferior do Hinnon, ao lado do túmulo de Anás, sogro de Caifás no cemitério de Haceldama, o "Campo de Sangue" que teria sido comprado com as 30 moedas recebidas por Judas. Sua localização sugere que pertencia a uma pessoa de família nobre ou sacerdotal. Segundo Orit Shamir, especialista em tecidos antigos, o material utilizado para envolver o corpo é de boa qualidade, condizente com uma pessoa de posses, embora muito menos elaborado que o tecido do Santo Sudário de Turim.

Análise Médica e Biológica

Sangue

O Dr. McCrone defendeu a hipótese das manchas avermelhadas serem simples pigmentos usados na idade média contendo óxido de ferro, porém o Dr. Gall Adler afirma que o material vermelho é sem dúvida nenhuma sangue e não pintura. E o sangue é típico no povo judeu, grupo AB. Dr. Alan Adler interpretou a presença de óxido de ferro como um resido natural da hemoglobina e também encontrou a presença de uma série de proteínas normais da composição de sangue.

Flores

Em 1997 Avinoam Danin, botânico da Universidade Hebraica de Jerusalém, identificou no sudário flores de Jerusalém que florescem entre Março e Abril. Nas análises de vestígios de pólen no Sudário foram encontrados 58 tipos diferentes de pólen, sendo na sua maioria flores de Jerusalém, 6 do Médio Oriente, um de Constantinopla e dois da Turquia.

Análise Anatómica

Segundo as análises fisionómicas, o “Homem do Sudário” é do tipo físico judeu.
O Dr. Pierre Barbet, em 1950, afirmou que a imagem do Sudário é autêntica, anatomicamente correcta e correspondente a um crucificado.

Em 1997, o médico especialista em Anatomia Patológica Robert Bucklin analisou os terríveis traumatismos sofridos pelo “Homem do Sudário” e afirmou que o homem tinha ferimentos que levam a concluiu que carregava um objecto muito pesado, que se tratava de um homem real e que foi crucificado.

Em 2001, o Dr. Pierluigi Baima Bollone afirmou que a imagem tem indícios de que o homem foi trespassado por um objecto pontiagudo antes de morrer.

Análise da Imagem

Foram feitas análises digitais e analógicas a imagem do Sudário.

Em 1976 foi descoberto através de análises computorizadas que a imagem do Sudário além de ser um negativo, também tinha propriedades tridimensionais. Essa característica 3-D não é uma propriedade fotográfica.

Em 1977 uma equipe com mais de quarenta cientistas, onde só quatro eram católicos. Subvencionados pela NASA, analisaram o Sudário de Turim. Afirmaram que não pode ser uma falsificação: não encontraram sinal algum de pigmento, corante ou tinta.

Não se trata de impregnação por unguentos. Só por "luz", como aconteceu com a explosão atómica em Hiroshima!... E "queimou" só a parte interna do tecido...

A impressão, tridimensional (caso único dentre todos os objectos analisados pela NASA até hoje) do Sudário, deu-se por radiação de um milionésimo de segundo. Mais um milionésimo de segundo de exposição a tão forte radiação térmico-luminosa e teria sido volatilizado todo o lençol! A impressão é uniforme e dependendo da distância, maior ou menor, do corpo. Não há contacto. Não há marcas de decomposição.

Além disso encontraram moedas da época nos olhos da imagem. Os judeus tinham o hábito de enterrar os seus mortos colocando uma moeda nos olhos. Pois o Pe. Francisco Filas S.J., descobriu marcas de moedas nos olhos do “Homem do Sudário”, tal como enterravam os judeus. O peso da moeda servia para manter a pálpebra fechada.


Analisadas as marcas encontradas, verificou-se ser de moedas cunhadas por Pôncio Pilatos, nos anos 30-32.

Ultimas Descobertas


As ultimas descobertas envolvem um pedaço de escrita no próprio lençol. A organização Ciert -Centre International D'Études Sur Le Linceul de Turin (Centro Internacional de Estudos do Lençol de Turim), conduziu estudos por meio de um programa de computador extremamente avançado, algumas letras emergiram gradualmente, em latim e em grego: em baixo do queixo, nós vimos escrito "Jesus" e no outro lado "Nazarenus". Qual seria a explicação para isso? O centurião Extractor Mortis, encarregado de garantir a execução dos condenados, desenhava faixas no tecido, onde ele escrevia o nome do falecido com um líquido vermelho. Nos locais em que essas faixas foram feitas, o tecido estava impermeável e não seria sujeito ao processo químico que posteriormente formou a impressão.

Em Abril de 2009, o jornal de Londres “The Times” publicou que a Drª. Barbara Frale, uma pesquisadora oficial do Vaticano, descobriu evidências de que o Sudário já era venerado desde o Cerco de Constantinopla em 1204 pelos Templários, ou Ordem do Templo. A veneração do Sudário parece ter sido parte dos rituais de iniciação.

Em Novembro de 2009, a doutora Frale publicou que conseguiu decifrar o “certificado de morte” de Jesus de Nazaré impresso no Sudário, complementando as descobertas do Ciert. O texto está escrito em Grego, Hebreu e Latin, confirmando o sistema multilingues de uma colónia Romana:

“No ano 16 do reinado do Imperador Tiberius Jesus o Nazareno, falecido a tarde depois de ser condenado a morte por jure Romano porque ele foi considerado culpado pelas autoridade Hebraicas, está aqui sepultado com a obrigação de ser entregue a sua família apenas depois de um ano inteiro.”

A doutora afirmou que a data do texto condiz com os Evangelhos e as letras, embora não fossem detectadas a olho nu, foram detectadas pela primeira vez nas pesquisas com o Sudário em 1978. As letras estão do avesso do lençol e somente podem ser detectadas por negativo fotográfico.

Aos professores que levantam a hipótese de o Sudário ser um falso medieval a doutora explica que os cristãos da idade média nunca se refeririam a Jesus como “o Nazareno” e sim como “Cristo” seria uma heresia, tratar o Filho de Deus como sendo somente um homem.
Em 2010 três professores publicaram numa revista científica que as amostras colectadas em 1988 e analisadas pelos laboratórios para fazer a datação do carbono 14 teriam uma considerável presença de contaminação.

Também em 2010 (de 10 Abril a 23 Maio) aconteceu a mais recente exposição ao público do Santo Sudário de Turim, durante o evento o Papa celebrou uma missa. A Igreja divulgou a presença de mais de 2,1 milhões de pessoas.

A comprovação da autenticidade do Santo Sudário seria uma prova científica da Ressurreição de Jesus!

terça-feira, 17 de agosto de 2010

Nossa Senhora de Guadalupe



O milagre desafia a Ciência a quase 500 anos!

No dia 12 de Dezembro de 1531 um índio chamado Juan Diego desdobrou o seu poncho cheio de rosas na presença do Bispo do México (Dom Zumárraga). Rosas de Toledo brotadas no México em pleno Inverno!… Não obstante apareceu no manto rústico a imagem da Virgem morena, menina, Mãe do Céu, vestida como a Rainha dos Astecas, que o índio havia dito ao bispo ter visto. Desde então a imagem permanece sem explicação pela razão ou pela ciência.

Inexplicável Preservação

O poncho do índio, chamado ayate, foi confeccionado num tear simples, feito de cacto. Um tecido de tão má qualidade deveria ter se desintegrado em, no máximo, 20 anos. Até mesmo prata, ouro ou bronze não duram mais que um século. O facto de ter resistido sem perder a qualidade da imagem por quase 5 séculos é por si só um milagre.

Por muito tempo a imagem esteve exposta, sem qualquer protecção, a fumo de velas, humidade das igrejas, contacto com as mãos ou lábios dos fiéis, estampas, medalhas, terços, entre outros, que deveriam ter destruído o tecido.

Derramamento de Ácido

No ano de 1791, quando peritos estavam limpando o ouro que enquadrava a imagem, foi derramado água régia para corroer metais (50% de ácido nítrico e 50% de ácido clorídrico) no lado superior direito do tecido. Num intervalo de 30 dias, sem nenhum tratamento, o tecido se reconstituiu milagrosamente.

Ficou apenas um vestígio, uma leve mancha como de água, no lado esquerdo da jovem e salpiques em vários outros lugares. A análise química confirma: é ácido nítrico.

Atentado

O anarquista espanhol Luciano Perez, no dia 14 de novembro de 1921, colocou ao lado da imagem um arranjo de flores, dentro do qual havia uma bomba. Ao explodir, tudo o que estava perto ficou seriamente danificado. Uma cruz metálica, que ficou dobrada e hoje se conserva no templo como testemunha do poder da bomba. A imagem da Virgem não sofreu nenhum dano.

Análise da Pintura

Pintores e até cientistas da NASA analisaram a imagem e não conseguiram explicar a origem das tintas empregadas.

O cientista austríaco Richard Kuhn, duas vezes Prêmio Nobel de Química em 1938 e 1945, declarou que os pigmentos corantes da imagem não pertencem nem ao reino vegetal, nem ao animal, nem ao mineral. Logo, sua origem é sobrenatural e, portanto, milagrosa.

Mauel Garibi, um perseverante examinador da pintura, resume assim a estranheza dos investigadores, principalmente quanto ao dourado que aparece nos perfis do vestido, nas quarenta e seis estrelas, nos arabescos e nos 129 raios de sol..

"O dourado é transparente e sob este se vêem os fios do poncho. E como não exista nenhum material que seja transparente, nem sequer o cobre e o ouro, elementos indispensáveis para que o homem possa executar um dourado. Esse dourado, dotado de transparência, não pode ser obra humana".


Ainda mais intrigante é o facto da coloração não está nem na frente e nem no verso, as cores flutuam a uma distância de três décimos de milímetro sobre o tecido, sem tocá-lo!

A Imagem de Guadalupe Está Viva!

A imagem conserva a temperatura constante de um corpo vivo. Um dos médicos que analisou o ponche colocou seu estetoscópio embaixo do cinto que a Virgem possui e escutou batidas que em ritmos se repete a 115 pulsações por minuto, igual a um bebê no ventre materno.
Em 24 de Abril de 2007, logo depois da decisão do México de legalizar o aborto, quando fiéis fotografaram a imagem apareceu uma intensa luz do ventre da virgem no formato de um embrião.

O engenheiro Luis Girault, que examinou a imagem, confirmou a autenticidade do negativo e especificou que não foi nem modificado nem alterado. Ele revelou que a luz não provinha de nenhum reflexo, mas saia literalmente do interior da imagem da Virgem. A luz era muito branca, pura e intensa, muito diferente dos clarões fotográficos habituais, produzidos pelos flashes. Esta luz era envolvida por um halo com a forma de um embrião. Examinando ainda mais precisamente esta imagem, distingue-se no interior do halo certas zonas de sombra que são características de um embrião humano no seio materno.

Os Olhos Estão Vivos

Ao acercar luz sobre os olhos, a retina se retrai e ao retirar se dilata, como ocorre em um olho vivo.

Diversos oftalmologistas que puderam examinar a imagem, (tais como: Dr. Rafael Torrija Lavagnet, Dr. Torroella Bueno, o Dr. Guillermo Silva Rivera, o Dr. Ismael Ugalde Nieto, o Dr. Jayme Palacios, o Dr. Charles J. Wahlig e o Dr. Joseph P. Gallagher), aos poucos foram descobrindo que havia algo de extraordinário nos olhos.

O Dr. José Aste Tonsmann, especialista em engenharia de sistemas ambientais pela Universidade de Cornell (EUA) submeteu a pintura ao processo de digitalização, que consiste em dividi-la por meio de computador, em microscópicos quadradinhos, de maneira a caberem 27.778 em cada milímetro quadrado. Cada um deles foi depois ampliado 2.000 vezes, dando então a possibilidade de serem vistos pormenores imperceptíveis a olho nu.

Analisando essas imagens obtidas percebeu-se que nos olhos da virgem está toda a cena do dia em que foi aberto o manto, revela o bispo, Juan Diego, duas famílias e ainda outra pessoas.






Os cientistas também descobrem estarrecidos que há circulação arterial nas pálpebras da imagem!

Chegaram a conclusão que não existe técnica no mundo de pintura que conseguisse pintar olhos com tamanha perfeição anatómica e microscópica. Portanto os olhos da Virgem de Guadalupe tem características dos olhos de uma pessoa viva.

A Estrelas no Manto da Virgem

De acordo com o Dr. Juan Homero Hernández Illescaz se comprova, com exactidão, que as estrelas visíveis no Manto reflectem a exacta configuração e posição que se apresentava o céu do México no dia em que aconteceu o milagre, dia 12 de dezembro de 1531.




A Imagem e o Apocalipse

A imagem de Guadalupe é a própria visão do que está escrito em Apocalipse 12,1.2:

"Apareceu em seguida um grande sinal no céu: uma Mulher revestida do sol, a lua debaixo dos seus pés e na cabeça uma coroa de doze estrelas. Estava grávida..."

Sinal de Conversão

Junto ao ventre da virgem está uma flor (náhuatl), A "Nahui Ollín", de quatro pétalas, que para as antigas culturas mesoamericanas representava a presença de Deus, o centro do espaço e do tempo. Com a "Nahui Ollín" em seu ventre, a Virgem de Guadalupe confirma aos indígenas que é a mãe do Deus verdadeiro, Jesus Cristo. É precisamente a parte mais importante do ayate de Juan Diego.

A Virgem de Guadalupe é portadora de uma mensagem Cristocêntrica que os indígenas puderam compreender imediatamente, por isso se constitui na primeira e mais importante evangelizadora da América, levando à conversão 8 milhões de astecas.


A que Esmaga a Serpente

É muito simbólico o significado do nome Guadalupe. Helen Behrens, uma das maiores especialistas no assunto, analisando textos originais dos índios, que datam da época das aparições, concluiu que a Mãe de Deus se apresentou com as palavras indígenas"‘te coatlaxopeuh’ (pronuncia: “te Quatlasupe”), que significa "Aquela que esmaga a serpente de pedra".

A propósito disso, cabe lembrar a passagem da Sagrada Escritura em que Deus, dirigindo-se à serpente, diz: "Ela (a mulher) te esmagará a cabeça" (Gen. 3, 15).
Maria é a nova “mulher”. Não é por acaso que Jesus chama sua mãe de “mulher”, numa clara alusão a “mulher” do Génesis.

O povo Asteca era politeísta, entre os seus deuses estava a serpente, era uma religião na qual ofereciam sacrifício humano, jovens rapazes e virgens foram sacrificados e seus corações oferecidos aos deuses.

Assim, nos primórdios da história do Novo Mundo cumpriu-se literalmente a profecia divina: Nossa Senhora de Guadalupe esmaga a serpente de pedra, o horrível ídolo diabólico sedento de sangue humano!

A Imagem, com todas as suas maravilhosas características, assim como a conservação do tecido, se constitui um incontestável Milagre. Sem explicação pela Ciência!

Como aconteceu:


video video




Para aprofundar:
http://oepnet.sites.uol.com.br/resposta_criticasguadalupe.htm
http://oepnet.sites.uol.com.br/nossasenhora.htm
http://www.clap.org.br/artigos/guadalupe/g_quemens.asp
http://www.fimdostempos.net/guadalupe_aborto.html

segunda-feira, 9 de agosto de 2010

Os Cientistas São Ateus?



"Um pouco de ciência nos afasta de Deus. Muito, nos aproxima." (Louis Pasteur).

Arquivado em: Ciência e Fé — Prof. Felipe Aquino at 9:28 am on sábado, janeiro 27, 2007

Nada é mais falso do que a afirmação de que os cientistas não acreditam
em Deus. Só os desinformados, ou de má fé, podem dizer isto. Com segundas intenções, muitos querem dar a entender que “todas” as pessoas inteligentes e esclarecidas não aderem aos “mitos” religiosos; e que os cientistas, “homens especiais”, concluíram pela ciência que Deus não existe. Quem acreditar em Deus seria “politicamente não correto”. É um grave engano como se pode ver pelo que se segue.Até hoje ninguém provou pela ciência, e nem vai provar, que Deus não existe. Pois o Criador transcende a Ciência que Ele mesmo estabeleceu. Uma quantidade enorme de cientistas e de filósofos sempre acreditaram em Deus, e viveram a fé católica; até mesmo encontramos pessoas de Comunhão diária, como o pais da microbiologia, Dr. Louis de Pasteur, da Sorbonne. Muitos deles, defenderam as suas convicções religiosas publicamente.Descartes e Galileu morreram como bons cristãos com todos os sacramentos; Leibniz escreveu uma obra denominada Teodicéia (“Justificação de Deus”) contra o ateísmo. Até mesmo Platão e Aristóteles, que viveram antes de Cristo, apresentaram inúmeras provas da existência de Deus, com argumentos puramente racionais. Isaac Newton, físico, e Kepler, astrônomo, foram cristãos que falavam de Deus nos seus escritos, sem receios. Mendel, o pai da genética, fez as suas experiências com ervilhas no mosteiro onde era abade; Nicolau Copérnico, astrônomo, era clérigo.Apresentamos a seguir as palavras de alguns cientistas (citações extraídas do folheto Gott existiert, reproduzidas em Pergunte e Responderemos, n. 316, setembro de 1988, e da publicação alemã: “Todos pensam que Deus existe !” (Königsbach; D – 67435 Neustadt – Burgunderstr. 44)O espaço não me permite colocar mais citações; escolhi apenas algumas, mas se você quiser ler mais páginas delas, veja o meu livro “Ciência e Fé em Harmonia” (Ed. Cléofas, Lorena, SP , 230 pgs. 14 x 21; www.cleofas.com.br , tel . 12- 31526566)

Isaac Newton (1642-1727), fundador da física clássica e descobridor da lei da gravidade: “A maravilhosa disposição e harmonia do universo só pode ter tido origem segundo o plano de um Ser que tudo sabe e tudo pode. Isto fica sendo a minha última e mais elevada descoberta”.

Alessandro Volta (1745-1827), físico italiano, descobridor da pilha elétrica e inventor, cujo nome deu origem ao termo voltagem: “Submeti a um estudo profundo as verdades fundamentais da fé, e [...] deste modo encontrei eloqüentes testemunhos que tornam a religião acreditável a quem use apenas a sua razão”.

André Marie Ampère (1755-1836), físico e matemático francês, descobridor da lei fundamental da eletrodinâmica, cujo nome deu origem ao termo amperagem:“A mais persuasiva demonstração da existência de Deus depreende-se da evidente harmonia daqueles meios que asseguram a ordem do universo e pelos quais os seres vivos encontram no seu organismo tudo aquilo de que precisam para a sua subsistência, a sua reprodução e o desenvolvimento das suas virtualidades físicas e espirituais”.

H. C. Oersted (1777-1851), físico dinamarquês, descobridor de uma das leis do Electromagnetismo: “Cada análise profunda da Natureza conduz ao conhecimento de Deus”.

Karl Friedrich Gauss (1777-1855), alemão, considerado por muitos como o maior matemático de todos os tempos, também astrônomo e físico:“Quando tocar a nossa última hora, teremos a indizível alegria de ver Aquele que em nosso trabalho apenas pudemos pressentir”.

Agustín-Louis Cauchy (1789-1857), matemático francês, que desenvolveu o cálculo infinitesimal:“Sou um cristão, isto é na creio na divindade de Cristo como Tycho Brahe, Copérnico, Descartes, Newton, Leibniz, Pascal [...], como todos os grandes astrônomos e matemáticos da Antigüidade”.

H. Madler (1794-1874), astrônomo alemão, autor do primeiro mapa selenográfico.“Um cientista sério não pode negar a existência de Deus, pois quem, como ele, pode penetrar tão profundamente a Sua oficina e admirar a Sua Sabedoria, só pode ajoelhar-se perante a grandeza do Espírito Divino”.

James Prescott Joule (1818-1889), físico britânico, estudioso do calor, do eletromagnetismo e descobridor da lei que leva o seu nome: “Nós topamos com uma grande variedade de fenômenos que [...] em linguagem inequívoca falam da sabedoria e da bendita mão do Grande Mestre das obras”.

William Thompson Kelvin (1824-1907), físico britânico, pai da termodinâmica e descobridor de muitas outras leis da natureza: “Estamos cercados de assombrosos testemunhos de inteligência e benévolo planejamento; eles nos mostram através de toda a natureza a obra de uma vontade livre e ensinam-nos que todos os seres vivos são dependentes de um eterno Criador soberano.”

P. Sabatier (1854-1941), zoólogo alemão, Prêmio Nobel:“Querer estabelecer contradições entre as Ciências Naturais e a religião, demonstra que não se conhece a fundo ou uma ou outra dessas disciplinas”.

Arthur Eddington (1882-1946), físico e astrônomo britânico:“A física moderna leva-nos a necessariamente a Deus”.

Carl Gustav Jung (1875-1961), suíço, um dos fundadores da psicanálise:“Entre todos os meus pacientes na segunda metade da vida, isto é, tendo mais de 35 anos, não houve um só cujo problema mais profundo não fosse constituído pela questão da sua atitude religiosa. Todos, em última instância, estavam doentes por terem perdido aquilo que uma religião viva sempre deu aos seus adeptos, e nenhum se curou realmente sem recobrar a atitude religiosa que lhe fosse própria”.

Werner Von Braun (1912-1977), físico alemão radicado nos Estados Unidos e naturalizado norte-americano, especialista em foguetes e principal diretor técnico dos programas da NASA (Explorer, Saturno e Apolo), que culminaram com a chegada do homem à lua:“Não se pode de maneira nenhuma justificar a opinião, de vez em quando formulada, de que na época das viagens espaciais temos conhecimentos da natureza tais que já não precisamos crer
em Deus. Somente uma renovada fé em Deus pode provocar a mudança que salve da catástrofe o nosso mundo. Ciência e religião são, pois, irmãs, e não pólos antitéticos”. “Quanto mais compreendemos a complexidade da estrutura atômica, a natureza da vida ou o caminho das galáxias, tanto mais encontramos razões novas para nos assombrarmos diante dos esplendores da criação divina”.Será mesmo que os cientistas são ateus?…

Fr. Von Huene (1875-1969), geólogo e paleontológico alemão:“Essa longa história da vida que aos poucos se vai erguendo em escala ascensional, é, precisamente, a história da criação do mundo dos viventes. É a ação de Deus que tudo planeja e concebe, dirige e sustenta”.

M. Hermann (1876-1962), Diretor do Instituto de Biologia Max Plank:“Os resultados da mais desenvolvida ciência da natureza ou da Física não levantam a mínima objeção à fé num Poder que está por trás das forças naturais e que as rege. Tudo isto pode aparecer mesmo ao mais crítico pesquisador como uma grandiosa revelação da natureza, levando-o a crer numa todo-poderosa Sabedoria que se acha por trás desse mundo sábio”.

Friedrich Dessauer (1881-1963), alemão, biofísico e filósofo da Natureza, fundador da terapia das profundidades por meio de raios Roentgen e da Biologia dos quanta:“O fato de que nos últimos setenta anos o curso das descobertas e invenções nos interpela poderosamente, significa que Deus o Criador nos fala mais alto e mais claro do que nunca mediante pesquisadores e inventores”.

J. v. Liebib (1803-1873), químico alemão fundador da química agrícola: “A grandeza e a sabedoria infinita do Criador só são acessíveis àquele que se esforça para ler os seus pensamentos nas entrelinhas do grande livro a que chamamos Natureza”.

Albert Eintein (1879-1955), físico judeu alemão, criador da teoria da relatividade, Prêmio Nobel 1921.“Todo profundo pesquisador da natureza deve conceber uma espécie de sentimento religioso, pois ele não pode admitir que ele seja o primeiro a perceber os extraordinariamente belos conjuntos de seres que ele contempla. No universo, incompreensível como é, manifeste-se uma inteligência superior e ilimitada. A opinião corrente de que eu sou ateu, baseia-se sobre grande equívoco. Quem a quisesse depreender de minhas teorias científicas, não teria compreendido o meu pensamento”.

Edwin Couklin (1863-1952), biólogo norte-americano:“Querer explicar pelo acaso a origem da vida sobre a terra é o mesmo que esperar que um dicionário completo possa ser o resultado da explosão de uma tipografia”.

Max Plank (1858-1947), físico, alemão, criador da teoria dos quanta, Prêmio Nobel 1928:“Para onde quer que se dilate o nosso olhar, em parte alguma vemos contradição entre Ciências Naturais e Religião; antes, encontramos plena convergência nos pontos decisivos. Ciências Naturais e Religião não se excluem mutuamente, como hoje em dia muitos pensam e receiam, mas completam-se e apelam uma para a outra. Para o crente, Deus está no começo; para o físico, Deus está no ponto de chegada de toda a sua reflexão. (Gott steht für den Gläubigen em Anfang, fur den Phystker am Ende alles Denkens)”.

H. Spemann (1869-1941), zoólogo alemão, Prêmio Nobel 1935:“Quero confessar que, durante as minhas pesquisas, muitas vezes tenho a impressão de estar num diálogo em que meu interlocutor me aparece como Aquele que é muito mais sábio. Diante desta extraordinária realidade … o pesquisador é sempre mais tomado por uma profunda e reverente admiração”.

J. Ambrose Fleming (1849-1945), físico britânico:“A grande quantidade de descobertas modernas destruiu por completo o antigo materialismo. O universo apresenta-se hoje ao nosso olhar como um pensamento. Ora o pensamento supõe a existência de um pensador”.

Guglielmo Marconi (1874-1937), físico italiano, inventor da telegrafia sem fio, Prêmio Nobel 1909:“Declaro com ufania que sou homem de fé. Creio no poder da oração. Creio nisto não só como fiel cristão, mas também como cientista”.

Thomas Alva Edison (1847-1931), inventor no campo da Física, com mais de 2.000 patentes:“Tenho… enorme respeito e a mais elevada admiração por todos os engenheiros, especialmente pelo maior deles: Deus”.

Charles Darwin, famoso autor da teoria da evolução:“Nunca neguei a existência de Deus. Creio que a teoria da evolução é plenamente conciliável com a fé
em Deus. A impossibilidade de provar e compreender que o grandioso e imenso universo, assim como o homem, tiveram origem por acaso parece-me ser o argumento principal para a existência de Deus”.

J. V. Uexküll (1864 – 1944) biólogo alemão: “Quem reconhece um plano, um objetivo, uma finalidade e uma intenção na Natureza, reconhece também a existência do Criador”.

Prof. Allan Sandage, durante toda a sua vida se aplicou à pesquisa dos astros:“Foi a minha ciência que me levou à conclusão de que, o universo é demais complexo para poder ser explicado pela ciência. É somente por meio do sobrenatural que posso compreender o mistério da existência”.

Robert John Russell, fundou em 1981 o Centro de Teologia e Ciências Naturais no Graduate Theological Union em Berkeley, EUA:“Em vez de solapar a fé e os valores espirituais, as descobertas cientificas oferecem-lhes suporte”.

Prof. John Palingharne, físico na Universidade de Cambridge, e que se tornou presbítero anglicano em 1982: “Se alguém toma consciência de que as leis da natureza de­vem ser incrivelmente certeiras para produzir o universo que vemos, ve­rifica que o universo não teve origem por acaso, mas deve haver um projeto a regê-lo”.

Carl Feit, biólogo cancerologista da Yeshiva University de Nova loque:“O fato de que a mente humana pode penetrar os mistérios do universo, significa que algo do ser humano está em harmonia com a mente de Deus”.

Profa. Jocelyn Bell Burnell, astrônoma, pesquisadora das estre­las ditas pulsars. Trabalha na Open University da Inglaterra e é membro da Sociedade Religiosa dos Amigos (Quakers): “A falta de fé nos deixa sós e apavorados diante do futuro”. “A minha fé não me impede de cultivar a ciência em toda a amplidão dos hori­zontes científicos”.

Fred Hoyle, astrônomo britânico, outrora ateu :“A existência de Deus pode ser provada com probabilidade matemática de 10 40000”.

Edward Mitchell, astronauta da Apolo 14, um dos primeiros homens a pisar na Lua, afirmou:“O Universo é a verdadeira revelação da divindade, uma prova da ordem universal da existência de uma inteligência acima de tudo o que podemos compreender”.

B. Vollmert, biólogo alemão, afirmou: “Atribuir o encadeamento das unidades da molécula de DNA ao acaso é uma hipótese absolutamente improvável (1/101000)”. Este número ultrapassa em muito o imaginável. A ciência fala de uma quase impossibilidade quando se refere a 1/1050. Como termo de comparação: o número de átomos existente no cosmos é de 1083!” “A probabilidade de se passar de um grau de evolução a outro superior por um crescimento casual é de 10-40 000.”Será que os cientistas são ateus?…"

http://blog.cancaonova.com/felipeaquino/2007/01/27/os-cientistas-sao-ateus/

quinta-feira, 5 de agosto de 2010

A Igreja é contra a Ciência?



“A ciência sem a religião é coxa, a religião sem a ciência é cega”
Albert Einstein


O Filme "Anjo e Demónios" (Angels and Demons, filme de Ron Howard baseado no livro de Dan Brown) tem influenciado milhões de pessoas acusando a Igreja de ser contra a Ciência (seria obscurantista, que teria perseguido os cientistas ao longo dos tempos). Não poderia haver acusação mais falsa! A Igreja patrocina e incentiva a ciência desde que respeitem os valores da vida humana e da ética.

A Igreja mantêm uma academia de ciências (A Academia Pontifícia de Ciências), fundada em 1603, teve Galileu Galilei como membro. Hoje, conta cerca de 80 "académicos pontifícios", homens e mulheres, nomeados pelo papa, provenientes do mundo todo e nem todos são católicos, há membros ateus, agnósticos e de outras religiões. O objectivo da academia é promover a ciência, favorecer a pesquisa e analisar questões científicas de interesse da Igreja. A Academia, em suas várias décadas de actividade, tem sido honrada por vários prémios Nobel como se pode comprovar pela lista a seguir:

Ernest Rutherford (Química, 1908)
Guglielmo Marconi (Física, 1909)
Alexis Carrel (Fisiologia, 1912)
Max von Laue (Física, 1914)
Max Planck (Física, 1918)
Niels Bohr (Física, 1922)
Werner Heisenberg (Física, 1932)
Paul Dirac (Física, 1933)
Erwin Schrödinger (Física, 1933)
Peter J.W. Debye (Química, 1936)
Otto Hahn (Química, 1944)
Sir Alexander Fleming (Fisiologia, 1945)
Chen Ning Yang (Física, 1957)
Tsung-Dao Lee (Física, 1957)
Joshua Lederberg (Fisiologia, 1958)
Rudolf Mössbauer (Física, 1961)
Max Perutz (Química, 1962)
John Carew Eccles (Fisiologia, 1963)
Charles H. Townes (Física, 1964)
Manfred Eigen (Química, 1967)
George Porter (Química, 1967)
Har Gobind Khorana (Fisiologia, 1968
Marshall W. Nirenberg (Fisiologia, 1968)
Christian B. Anfinsen (Química, 1972)
Christian de Duve (Fisiologia, 1974)
George Emil Palade (Fisiologia, 1974)
David Baltimore (Fisiologia, 1975)
Aage Bohr (Física, 1975)
Werner Arber (Fisiologia, 1978)
Abdus Salam (Física, 1979)
Paul Berg (Química, 1980)
Kai Siegbahn (Física, 1981)
Sune Bergstrom (Fisiologia, 1982)
Carlo Rubbia (Física, 1984)
Klaus von Klitzing (Física, 1985)
Rita Levi-Montalcini (Fisiologia, 1986)
John C. Polanyi (Química, 1986)
Yuan Tseh Lee (Química, 1986)
Jean-Marie Lehn (Química, 1987)
Joseph E. Murray (Fisiologia, 1990)
Gary Stanley Becker (Economia, 1992)
Paul Crutzen (Química, 1995)
Mario Molina (Química, 1995)
Claude Cohen-Tannoudji (Física, 1997)
William D.Phillips (Física, 1997)
Ahmed Zewail (Química, 1999)
Günter Blobel (Fisiologia, 1999)
Ryoji Noyori (Química, 2001)
Aaron J.Ciechanover (Química, 2004)
Theodor Hänsch (Física, 2005)

A Igreja mantém um Observatório Astronómico, ou Specola Vaticana em italiano, como é geralmente conhecido. Foi fundado em 1891 (o observatório mais antigo do mundo!) pelo papa Leão XIII através do Motu Proprio, Ut Mysticam. Segundo ele, a Specola Vaticana serviria para “que todos pudessem ver que a Igreja e seus Pastores não se opõe à verdadeira e sólida ciência, humana ou divina, mas abraçam-na, encorajam-na e promovem-na com a máxima dedicação possível”.

A Igreja fundou o Sistema Universitário. No contexto de análise da história medieval o historiador Lowrie Daly disse que: "A Igreja Católica era a única instituição na Europa que mostrou interesse consistente na preservação e no cultivo do conhecimento". A Igreja foi a única instituição da época que fez de tudo para dar a Luz ao sistema universitário. A Universidade foi uma criação singular da alta idade média, não se pode dizer ao certo quando ou como surgiram, mas se pode dizer que muitas delas surgiram das escolas catedráticas, que foram construídas e estimuladas por Carlos Magno e pelos bispos da época. O papado foi o responsável pela expansão da educação superior para além fronteiras e possibilitou que florescesse.

A instituição que mais contribuiu na história da humanidade com cientistas foi a Igreja Católica. Alguns exemplos:
- A ordem dos jesuítas foi considerada uma ordem de cientistas. O padre jesuíta Georges Lemaître criou a teoria do Big Bang, tão discutida e reconhecida no meio científico actual.
- Gregor Mendel, era monge agostiniano, foi o pioneiro das teorias genéticas, descobridor das leis básicas da genética.
- Nicolau Copérnico era cónego da Igreja, foi o criador da teoria heliocêntrica (sendo o Sol o centro do Sistema Solar).

O Papa Bento XVI disse aos estudantes católicos ingleses por ocasião de sua visita a Inglaterra em setembro de 2010:

"O mundo necessita de bons cientistas, mas uma perspectiva científica torna-se perigosa se ignora a dimensão religiosa e ética da vida, da mesma maneira que a religião se converte em limitada se rejeita a legítima contribuição da ciência em nossa compreensão do mundo”.

A Ciência não contradiz a Fé e a Fé não contradiz a Ciência. A Fé é racional! A Fé sem a razão é somente sentimentalismo. E a Ciência sem Fé é cientificismo. Nem o sentimentalismo nem o cientificismo explicam de maneira completa a realidade, portanto Fé e Ciência são complementares!

quarta-feira, 4 de agosto de 2010

O Cerimonial do Papa



Muitas pessoas criticam as decisões e escolhas feitas quando uma visita papal é organizada. O cerimonial do Papa é muitas vezes mal visto e mal interpretado, os jornais noticiam quanto vai custar a visita do Papa e as pessoas ficam indignadas com os valores, dizendo que o estado poderia matar a fome de muita gente com esse dinheiro.

Para os católicos o Papa é o sucessor de Pedro, o Vigário de Cristo na terra, o Pastor de toda a Igreja. O Papa é a autoridade máxima da Igreja e é o único chefe de estado que tem 1,2 bilhões de pessoas sob a sua administração. Como chefe de estado ja existiria todo um cerimonial envolvido para ser recebido, quanto mais como o representante de Deus!

Gastam-se milhões com os festivais de música, como o Rock in Rio e isso não é motivo de escandâlos, porque não gastar dinheiro para oferecer o que há de melhor na visita do Papa? Por que a visita do Papa causa escandâlo? Por que o Papa incomoda tanta gente? Não será um resultado dos movimentos anti-católicos no mundo todo?

O Papa recentemente esteve em Portugal (Maio de 2010) e ficou muito impressionado, muito satisfeito e reconfortado com tão calorosa recepção dos Portugueses! O estado gastou sim! Aprovou a tolerância de ponto e outros medidas polémicas, porém o Papa foi recebido como deveria ser! Posteriormente as despesas foram inteiramente reembolsadas pelos donativos dos fiéis e pela Igreja Católica Portuguesa.

Se recebesse o próprio Jesus em sua casa, como o receberia? Usaria uma toalha de mesa velha? Ou usaria o melhor que tem a oferecer? Com relação a Santa Missa do Papa é a mesma coisa.

"O cerimonial que cerca por vezes o Santo Padre, é legado de épocas distantes, quando os costumes o exigiam; hoje em dia está sendo mais e mais simplificado; vemos o Papa tomando crianças nos braços, visitando hospitais, prisões, favelas, etc. A Igreja, porém, julga que, para o culto divino (celebração da S. Missa, por exemplo), se deve sempre utilizar o que haja de melhor; não se trata de usar alfaias ricas, mas objetos dignos e capazes de exprimir a grandeza da fé e o amor dos cristãos a Deus...."
(D. Estevão Bettencourt)