Credo in Unam, Sanctam, Cathólicam et Apostólicam Ecclésiam

"Na presença dos Anjos ei de cantar-Vos e adorar-Vos no vosso santuário."
(Salmo 137, 1)

sexta-feira, 30 de julho de 2010

A Escravidão dos Vícios


"Uso de drogas: as drogas causam dependência física e psicológica nos usuários e prejudicam o funcionamento harmonioso da família. É uma atitude contra a vida humana."
(da lista dos Novos Pecados Capitais, divulgada pelo Vaticano)

A igreja é Mãe, por isso aconselha o melhor para os seus filhos! Porém o que se entende por drogas? Hoje em dia as drogas lícitas fazem tanto estrago quando as drogas ilícitas. Além de fazerem mal a saúde podem destruir famílias (no caso do alcoolismo, por exemplo)! A questão é que as drogas lícitas também são viciantes, o problema está no vício.

A verdade é que existe uma linha ténue entre o que consideramos comportamentos normais e o vício. Muitas vezes o viciado nem sequer tem a consciência que é viciado, até que alguém ou as situações da vida lhe abram os olhos. A pessoa busca a sensação de prazer e bem-estar desenfreadamente, porém depois se sente frustrada porque esse prazer é apenas momentâneo, fica apenas um vazio.

“Todo homem tem dentro de si um vazio do tamanho de Deus”. (Dostoievski)

A seguir abordarei os vícios mais presentes na sociedade actual:

O Vício das Drogas



Todos sabemos os males que podem causar a toxicodependência e que é muito fácil cair nessa armadilha porém muito difícil sair dela.
O toxicodependente sempre tem a impressão de que pode parar quando quiser e afirma: "quando eu quiser, eu paro". Porém quando percebe que está dependente enfrenta um verdadeiro pesadelo para se livrar do vício.

Tipos de drogas

Depressivas: diminuem a actividade cerebral e podem dificultar o processamento das mensagens que são enviadas ao cérebro. Exemplos: álcool, barbitúricos, maconha, diluentes, catamina, cloreto de etila ou lança perfume, clorofórmio, ópio, morfina, heroína, e inalantes em geral (cola de sapateiro e etc).
Psicodistropticas ou alucinógenas (drogas perturbadoras): têm por característica principal a despersonalização em maior ou menor grau. Exemplos cogumelos, LSD, MDMA ou ecstasy e DMT.
• Psicotrópticas ou estimulantes: produzem aumento da actividade pulmonar, diminuem a fadiga, aumentam a percepção ficando os demais sentidos activados. Exemplos: cocaína, crack, cafeína, teobromina (presentes em chocolates), GHB, metanfetamina, anfetaminas (bolinha, arrebite), PRACEMPA etc.

Motivos associados ao uso

Os motivos que normalmente levam alguém a provar ou a usar ocasionalmente drogas incluem:

• Problemas pessoais e sociais;
• Influência de amigos, traficantes assim como da sociedade e publicidade de fabricantes de drogas lícitas;
• Sensação imediata de prazer que produzem;
• A facilidade de acesso e obtenção;
• Desejo ou impressão de que elas podem resolver todos os problemas, ou aliviar as ansiedades;
• Fuga;
• Estimular;
• Acalmar;
• Ficar acordado ou dormir profundamente;
• Tentar parecer fixe;
• Emagrecer ou engordar;
• Esquecer ou memorizar algo;
• Fugir ou enfrentar;
• Inebriar;
• Inspirar;
• Fortalecer;
• Aliviar dores, tensões, angústias, depressões;
• Aguentar situações difíceis, privações e carências;
• Encontrar novas sensações, novas satisfações;
• Força do hábito;
• Muitas das vezes revolta dos filhos contra os pais.
• Sentimento de Poder e sentir-se acima dos outros

Fonte: http://pt.wikipedia.org/wiki/Droga

Para o tratamento é necessário acompanhamento médico e psicológico, em alguns casos internamento. Também existe uma associação internacional de apoio aos dependentes de drogas, os Narcóticos Anónimos.


O Vício do Álcool


É o desejo incontrolável de consumir álcool numa quantidade prejudicial a pessoa. A identificação precoce do alcoolismo pelos psicólogos geralmente é prejudicada pela negação das pessoas quanto a sua condição de alcoólicos. Além disso, nos estágios iniciais é mais difícil fazer o diagnóstico, pois os limites entre o uso "social" e a dependência nem sempre são claros. Quando o diagnóstico é evidente e o paciente concorda em se tratar é porque já se passou muito tempo, e diversos prejuízos foram sofridos. É mais difícil de se reverter o processo.

A pessoa somente sabe o tamanho do buraco que cavou quando este já está muito profundo.

Problemas Clínicos causados pelo abuso do Álcool

Sistema Nervoso: Amnésias nos períodos de embriaguez acontecem em 30 a 40% das pessoas no fim da adolescência e início da terceira década de vida. Induz a sonolência, mas o sono sob efeito do álcool não é natural, tendo sua estrutura registrada no eletroencefalograma alterado. Entre 5 e 15% dos alcoólicos apresentam neuropatia periférica. Este problema consiste num permanente estado de hipersensibilidade, dormência, formigamento nas mãos, pés ou ambos. Nas síndromes alcoólicas pode-se encontrar quase todas as patologias psiquiátricas: estados de euforia patológica, depressões, estados de ansiedade na abstinência, delírios e alucinações, perda de memória e comportamento desajustado. Os resultados de exames pos-mortem (necropsia) mostram que pacientes com história de consumo prolongado e excessivo de álcool têm o cérebro menor, mais leve e encolhido do que o cérebro de pessoas sem história de alcoolismo. O dano físico directo do álcool sobre o cérebro é um fato já inquestionavelmente confirmado.
Sistema Gastrointestinal: Grande quantidade de álcool ingerida de uma vez pode levar a inflamação no esófago e estômago o que pode levar a sangramentos além de enjoo, vómitos e perda de peso. Esses problemas costumam ser reversíveis, mas as varizes decorrentes de cirrose hepática além de irreversíveis, são potencialmente fatais devido ao sangramento de grande volume que pode acarretar. Pancreatites agudas e crónicas são comuns nos alcoólicos constituindo-se uma emergência à parte. A cirrose hepática é um dos problemas mais falados dos alcoólicos; é um problema irreversível e incompatível com a vida, levando o alcoólico lentamente à morte.
Cancro: Os alcoólicos estão 10 vezes mais sujeitos a qualquer forma de câncer que a população em geral.
Sistema Cardiovascular: Doses elevadas por muito tempo provocam lesões no coração provocando arritmias e outros problemas como trombos e derrames consequentes. É relativamente comum a ocorrência de um acidente vascular cerebral após a ingestão de grande quantidade de bebida.
Hormonas Sexuais: O metabolismo do álcool afecta o balanço das hormonas reprodutivos no homem e na mulher. No homem o álcool contribui para lesões testiculares o que prejudica a produção de testosterona e a síntese de esperma. Essa deficiência contribui para a feminilização dos homens, com o surgimento, por exemplo, de ginecomastia (presença de mamas no homem). O álcool pode afectar o desejo sexual e levar a impotência por danos causados nos nervos ligados a erecção. Nas mulheres o álcool pode afectar a produção hormonal feminina, levando diminuição da menstruação, infertilidade e afectando as características sexuais femininas.
Hormona Antidiurética: Essa hormona inibe a perda de água pelos rins, o álcool inibe essa hormona: como resultado a pessoa perde mais água que o habitual, urina mais, o que pode levar a desidratação.
Ociticina: Essa hormona é responsável pelas contracções do útero no parto. O álcool tanto pode inibir um parto prematuro como atrapalhar um parto a termo, podendo tanto ser terapêutico como danoso.
Gastrina: Essa hormona estimula a secreção de ácido no estômago preparando-o para a digestão. O principal estímulo para a secreção de gastrina é a presença de alimentos no estômago, principalmente as proteínas. É controverso o efeito do álcool sobre a gastrina, alguns pesquisadores dizem que o álcool não provoca sua liberação, outros dizem que provoca, o que levaria ao aumento da acidez estomacal. Podem provocar úlceras no aparelho digestivo.
Sistema Imunitário: Os alcoólicos tornam-se mais susceptíveis a infecções porque suas células de defesas são em menor número.

Fonte: http://www.psicosite.com.br/tra/drg/alcoolismo.htm

O tratamento envolve acompanhamento médico psiquiátrico e psicológico, quase sempre numa clínica médica especializada. As associações como os Alcoólicos Anónimos também fornecem um excelente apoio para quem precisa se recuperar do vício.


O Vício do Cigarro


Estima-se que no mundo todo 1,2 mil milhões de pessoas são dependentes do cigarro. A organização Mundial de Saúde afirma que o tabaco matou 100 milhões de pessoas no século XX e que as tendências para este século podem chegar a 1 mil milhão de pessoas! As pessoas tem informação sobre os males do tabagismo porém ignoram os alertas e hoje começam a fumar e beber cada vez mais cedo, milhões de adolescente no mundo todo já são fumadores. É uma verdadeira legião de escravos do tabaco e da bebida!

O cigarro provoca danos irreparáveis ao organismo do fumador e aos que vivem à sua volta. A seguir a lista dos órgãos que são atingidos pelo fumo:

Cabeça: a nicotina é uma droga que causa dependência, quer dizer, não se consegue viver sem ela. É isto que torna difícil deixar o hábito de fumar.
Boca: A fumaça do cigarro contém mais de 4700 substâncias químicas, das quais 60 são cancerígenas. Parte da fumaça é absorvida pela mucosa oral. A nicotina é tragada e absorvida pelo pulmão, de onde passa para a corrente sanguínea.
Olhos e Nariz: O cigarro possui substâncias tóxicas voláteis que provocam irritações nos olhos e no nariz do fumante activo e passivo.
Pulmão: Parte do alcatrão permanece no pulmão, formando uma crosta que dificulta a absorção do oxigénio e causa tosse. 90% dos cancros de pulmão são causados pelo tabagismo. O cigarro também provoca bronquite, tosse, dificuldade de respiração...
Aparelho digestivo: o fumo aumenta o risco de úlcera de estômago e de duodeno. O tabagismo prejudica a cicatrização da úlcera e aumenta as complicações da doença, como o sangramento.
Coração: Os fumadores têm duas vezes mais propensão de morrer por doenças do coração.
Circulação sanguínea: No sangue, a nicotina e o alcatrão espalham-se por todo o corpo até atingir o cérebro. Cerca de 30% de todos os cancros estão associados ao cigarro.
Útero: Fumar durante a gravidez aumenta o risco de aborto espontâneo, mortes fetais e dobra as probabilidades de o bebé nascer abaixo do peso. O bebé que respira a fumaça do cigarro tem duas vezes mais probabilidade de ter pneumonias e bronquites.
Não fumadores: O cigarro é prejudicial também para os não fumadores. Já está consagrada a expressão “fumador passivo”. Trata-se da pessoa que aspira, sem fumar, as tantas substâncias maléficas presentes no cigarro.

Não há dúvidas de que a saúde e a vida estão do lado oposto ao fumo. Mas parar de fumar é um sacrifício tão grande que a maioria dos fumadores não consegue fazê-lo. É preciso muita força de vontade e determinação, muitas vezes é preciso ajuda especializada.

Fonte: http://www.pime.org.br/missaojovem/mjeducvicio.htm

Deus não nos quer escravos de nada! A escravidão a qualquer vício é a marca daquele que quer degradar a dignidade da vida humana, do inimigo de Deus! Quem fuma peca contra o 5º mandamento “não matar”, porque o fumo é considerado um suicídio a longo prazo.


O Vício do Sexo


É quando o prazer sexual é buscado por si mesmo, quando se torna uma compulsão, comprometendo a pessoa fisicamente e emocionalmente. A pessoa se torna um sexodependente.

Houve uma conferencia em Portugal sobre a sexodependência (Considerada uma doença) e chegou-se a conclusão que 500 mil portugueses são sexodependentes, ou seja, 5% da população! Na sua maioria são homens entre 20 e 30 anos.

Esta dependência também é conhecida como Desejo Sexual Hiperactivo (DSH) e manifesta-se pelo descontrolo da motivação sexual.

Quando o sexodependente tenta evitar e controlar o impulso para o sexo, pode ficar tenso, ansioso ou depressivo. A pessoa busca desesperadamente a satisfação sexual, porém não a encontra no orgasmo então busca mais relações, criando um efeito bola de neve.

Preocupa-se a tal ponto com os seus pensamentos e sentimentos sexuais que acaba por prejudicar as suas actividades diárias e os seus relacionamentos afectivos.

Fonte: http://albumsociedadeportuguesa.blogspot.com/2008/03/dependencia-sexual.html

A recuperação é lenta, é preciso muito esforço e força de vontade. Assim como o alcoólatra, a pessoa deve ficar em abstinência (é interessante perceber que para se curar desse vício a pessoa tem que aprender a viver a castidade!), para aprender a se controlar, para ter tempo de resolver os reais problemas por trás do vício que passa por problemas na infância, depressão, ansiedade e outros.


O Vício do Jogo


Certos tipos de jogos são proibidos no Brasil, são os jogos de aposta, cash games, ou ainda conhecidos como jogos de azar, são ilegais, porém são permitidos em Portugal e em outros países.

Pesquisas apontam que 4% da população mundial podem vir a desenvolver problemas com o jogo. Na maioria dos casos o vício vem acompanhado de quadros de depressão e ansiedade, o que faz o paciente necessitar de tratamento médico e psicológico.

Fonte: http://www.youtube.com/watch?v=18mUTFXDieE

O jogo se torna um vício a partir do momento que passa a ser o centro da vida da pessoa, alienando-a do restante do mundo. A pessoa não faz mais nada a não ser jogar.

É muito comum ver pessoas que simplesmente vivem nos Casinos… gastam lá fortunas de dinheiro. Chegam a se endividar, perder bens, emprego e até a família.

Também é muito comum ver crianças viciadas em jogo, por causa dos jogos de computador e consolas, se alienam completamente da realidade, somente sabem jogar. As crianças antigamente era muito mais criativas e usavam mais a imaginação, uma vez que tinham que inventar suas próprias brincadeiras. Brincavam na rua e faziam amigos de brincadeira, hoje em dia tudo se passa dentro de casa, na frente de uma tela e a brincadeira já vem pronta, não há criatividade.

O vício do jogo tem vindo a crescer principalmente por causa dos jogos online.




video



O Vício da Mentira



É um vício muito grave que muitas vezes não damos a devida importância. Como reza o dito popular “mentira tem perna curta”, realmente a mentira pode ser descoberta com certa facilidade e causar situações terríveis.

Há pessoas que são viciadas em mentir, essas pessoas tem uma série de problemas de relacionamento e serão afectadas na área afectiva, profissional e social. O problema é que ninguém pode confiar numa pessoa que está sempre a mentir e também é como se a pessoa vivesse numa realidade paralela, onde ela inventa o seu próprio mundo, vive num mundo de fantasia.

O vício da mentira é uma dependência e deve ser tratada em psicoterapia.

Jesus aconselhou sobre esse tema:

"33. Ouvistes ainda o que foi dito aos antigos: Não jurarás falso, mas cumprirás para com o Senhor os teus juramentos.
34. Eu, porém, vos digo: não jureis de modo algum, nem pelo céu, porque é o trono de Deus;
35. nem pela terra, porque é o escabelo de seus pés; nem por Jerusalém, porque é a cidade do grande Rei.
36. Nem jurarás pela tua cabeça, porque não podes fazer um cabelo tornar-se branco ou negro.
37. Dizei somente: Sim, se é sim; não, se é não. Tudo o que passa além disto vem do Maligno. "
(Mt5, 33-37)

Vem do Maligno, pois ele é o pai da mentira. Jesus nessa passagem não está a falar somente em não fazer juramentos, também está a falar sobre a mentira, se refere ao 8º mandamento “Não levantar falso testemunho” que também pode-se interpretar como não mentir, o cristão deve ser verdadeiro, porque Jesus disse “eu sou o caminho, a verdade e a vida” (Jo 14,6). Se queremos ser de Cristo, temos que ter um compromisso com a verdade!



“Tudo me é permitido, mas nem tudo convém. Tudo me é permitido, MAS EU NÃO ME DEIXAREI ESCRAVIZAR POR COISA ALGUMA.” (ICor.6,12)

Sem comentários:

Enviar um comentário

Caro leitor:

Os comentários deste blog serão moderados. Reservo-me o direito de não publicar comentários que fogem ao tema da postagem em questão ou que sejam claramente contra a Igreja Católica. Também reservo-me o direito de não publicar ou de deletar todo e qualquer comentário que considere inconveniente e abusivo. O objetivo deste blog não é promover discussões sobre os temas em questão e sim ajudar na formação católica. Se é contra o que foi exposto, por favor, não perca o seu tempo e guarde a sua opinião para si.

Obrigada pela compreensão.

Muito obrigada pelo comentário.

Taiana de Maria