Credo in Unam, Sanctam, Cathólicam et Apostólicam Ecclésiam

"Na presença dos Anjos ei de cantar-Vos e adorar-Vos no vosso santuário."
(Salmo 137, 1)

quarta-feira, 27 de outubro de 2010

O Amor de Deus por nós



"Tanto amou Deus o mundo, que lhe entregou o seu Filho Unigénito, a fim de que todo o que nele crê não se perca, mas tenha a vida eterna." (Jo 3,16)


Ouvimos muito dizer “Deus te ama” ou “Jesus te ama” ou “Deus é amor”, porém provavelmente não paramos para pensar na profundidade desse amor.

Este mundo foi criado e conservado pelo amor do Criador. Se Deus não nos amasse não existiríamos, Ele não teria criado o mundo.

O amor de Deus é pessoal e incondicional. Ele já nos amava antes de existirmos:

"Antes que no seio fosses formado, eu já te conhecia; antes de teu nascimento, eu já te havia consagrado…" (Jr 1, 5)

O que é o ser humano? Não somos do tamanho de um grão de areia comparados com a imensidão do Universo. Neste sentido o Salmista se pergunta:

"Que é o homem, Senhor, para cuidardes dele, que é o filho do homem para que vos ocupeis dele?" (Sl 143,3)

Devemos nossa existência a esse Deus que nos ama e conserva nossa vida. Podemos pensar, por exemplo, na complexidade e na fragilidade do corpo humano, quantos mistérios o envolvem que a ciência ainda não conseguiu explicar? Como explicar o funcionamento do Cérebro Humano? Nem mesmo poderíamos respirar, se Deus não permitisse a cada segundo de nossas vidas que vivêssemos, acaso é o homem quem faz seu coração bater?

O mundo faz com que nos sintamos só mais um na multidão, mas Deus ama a cada um, de um modo muito especial e nos conhece pelo nome. Cada pessoa humana é única, por exemplo, cada pessoa tem um ADN único, uma impressão digital única e até uma frequência vocal única.

O amor de Deus é eterno (Is 54,8)

"Os montes podem mudar de lugar e as colinas podem abalar-se, mas o meu amor não mudará" (Is 54,10).

"Eu te amei com um amor eterno, por isso conservei por ti o amor" (Jr 31,3).

Quando Deus criou o mundo, toda a criação era perfeita. Foi “o primeiro e universal testemunho de seu amor Todo-Poderoso e de sua sabedoria” (Catecismo da Igreja Católica § 315). Criou homem e mulher:

"Deus criou o homem à sua imagem... homem e mulher ele os criou" (Gn 1,27)

Homem e mulher foram criados à semelhança de Deus, logo, com uma profunda vocação para o amor e para a comunhão com Ele. Assim o desejo de Deus está inscrito no coração do homem, fomos criados por Ele e para Ele, logo esse coração estará inquieto a procura de algo maior, de um sentido para sua vida e somente será plenamente feliz quando reconhecer e se abandonar ao amor de Deus.

Deus somente tinha uma razão para criar, por amor! A Criação era perfeita, porém quando o homem, no seu livre arbítrio, desobedeceu a Deus, o pecado entrou no mundo e com ele as tristezas, as dores, as misérias e a morte. “Na verdade, este mundo foi reduzido à servidão do pecado, mas Cristo crucificado e ressuscitado quebrou o poder do Maligno e libertou o mundo” (CIC § 421).


A vida de Jesus é revelação do amor de Deus

Durante toda a vida de Jesus Ele manifestou o Pai em seus actos, palavras, maneira de ser, de falar e de agir. Jesus pode dizer: "Quem me vê, vê o Pai" (Jo 14,9); e o Pai pode dizer: "Este é o meu Filho, o Eleito; ouvi-o" (Lc 9,35). O Verbo fez-se carne e até os mínimos detalhes de sua vida manifestam o amor de Deus por nós.

São mistérios que o homem não pode entender nem explicar, como por exemplo, a Santíssima Trindade, ou então, uma virgem conceber e dar a luz a uma criança sem nenhuma participação de um homem (por obra do Espírito Santo), isso é um absurdo até para a ciência actual.

Ele veio ao mundo para nos salvar: "ele foi castigado por nossos crimes, e esmagado por nossas iniquidades... pelas suas chagas fomos curados" (Is 53,5). Entregou-se por todos nós de livre vontade, por amor e fez a vontade do Pai que era resgatar a humanidade do pecado. "O Filho de Deus amou-me e entregou-se por mim" (Gl 2,20)

É o amor até o fim, até a morte e morte de Cruz, um sacrifício para expiação dos pecados de toda a humanidade. Nenhum homem, ainda que o mais santo, tinha condições de tomar sobre si os pecados de todos os homens, somente Jesus, sendo a Pessoa Divina do Filho poderia oferecer esse sacrifício redentor por todos.

A prova suprema do amor de Cristo pelos homens foi o sacrifício de sua própria vida "em remissão dos pecados" (Mt 26,28).

O Novo Mandamento

Jesus nos amou até o fim, manifestou o amor do Pai que Ele recebe. Sendo assim Ele nos dá um novo mandamento para que imitemos esse amor:

"Assim como o Pai me amou, também eu vos amei. Permanecei em meu amor" (Jo 15,9). E ainda: "Este é o meu preceito: Amai-vos uns aos outros como eu vos amei" (Jo 15,12)

Esse é o primeiro e verdadeiro amor, o amor de Deus por nós!

"Pois estou persuadido de que nem a morte, nem a vida, nem os anjos, nem os principados, nem o presente, nem o futuro, nem as potestades, nem as alturas, nem os abismos, nem outra qualquer criatura nos poderá separar do amor de Deus que está em Cristo Jesus, o Senhor" (Rom 8,38-39)

Videos - O Cientista que Tocou o Coração de Jesus (Milagre de Lanciano)



Para aqueles céticos que somente acreditam em comprovações científicas passo a palavra ao Dr. Odoardo Linoli, Chefe de Serviço dos Hospitais Reunidos de Arezzo e livre docente de anatomia e histologia patológica e de química e microscopia clínica:



video









video






video

domingo, 17 de outubro de 2010

A Igreja foi conivente com o holocausto??!!



Acusam a Igreja de ter sido conivente ou omissa perante as monstruosidades do regime Nazista. Esta calúnia foi fortemente propagada pelos adversários da Igreja Católica. Elas começaram com a propaganda comunista nos anos 60 e se transmitiram pela “nova esquerda” por toda a Europa, junto com a obra financiada pela União Soviética “O Vigário”, de Huchhoth. Nela se baseia o filme “Amém”, de Costa-Gavras.

Mas os factos provam o contrário! Os acontecimentos nas áreas controladas pelos alemães só se tornaram conhecidos em toda a sua extensão depois do fim da Guerra. No entanto, numerosos rumores, relatos e testemunhos de fugitivos e outros, ainda durante a guerra, deram alguma indicação de que os judeus estavam a ser mortos em grande número. Houve protestos, como em 29 de Outubro de 1942 no Reino Unido, que induziram figuras políticas e da Igreja a fazerem declarações públicas manifestando o horror sentido pela perseguição de judeus na Alemanha.

A partir dessas declarações os sacerdotes Católicos também começaram a ser perseguidos e mortos no Holocausto.

A verdade é que a Igreja, por orientação do Papa Pio XII, agindo de maneira diplomática, conseguiu salvar cerca de 800 mil judeus de serem mortos pelos nazistas!

Os historiadores e os judeus querem a verdade e a justiça sobre as injustas acusações que pesam contra o Papa Pio XII, por isso em 2008 foi feito o Simpósio Internacional sobre o Pontificado de Pio XII, no qual participam historiadores, rabinos, sobreviventes do Holocausto e testemunhas da obra de assistência aos hebreus posta em andamento pela Igreja Católica durante a ocupação alemã.

O site forumlibertas.com, publicou em 16 de abril de 2007, declarações 13 grandes líderes judeus em defesa do grande Papa Pio XII. As declarações a seguir são testemunhos desde 1940, desde Einstein até os grandes rabinos de Bucarest, Palestina e Roma. Os historiadores judeus afirmam que Pio XII salvou a vida de muitos judeus.

As declarações dos líderes judeus:

1 - Albert Einstein:

“Quando aconteceu a revolução na Alemanha, olhei com confiança as universidades, pois sabia que sempre se orgulharam de sua devoção por causa da verdade. Mas as universidades foram amordaçadas. Então, confiei nos grandes editores dos diários que proclamavam seu amor pela liberdade. Mas, do mesmo modo que as universidades, também eles tiveram que se calar, sufocados em poucas semanas. Somente a Igreja permaneceu firme, em pé, para fechar o caminho às campanhas de Hitler que pretendiam suprimir a verdade. Antes eu nunca havia experimentado um interesse particular pela Igreja, mas agora sinto por ela um grande afeto e admiração, porque a Igreja foi a única que teve a valentia e a constância para defender a verdade intelectual e a liberdade moral.”

[Albert Einstein, judeu alemão, Prêmio Nobel de Física, na Revista norte-americana TIME, em 23 de dezembro de 1940. Einstein teve que fugir da Alemanha nazista e foi acolhido nos EUA na universidade de Princeton]

2 – Isaac Herzog “O povo de Israel nunca se esquecerá o que Sua Santidade [Pio XII] e seus ilustres delegados, inspirados pelos princípios eternos da religião que formam os fundamentos mesmos da civilização verdadeira, estão fazendo por nossos desafortunados irmãos e irmãs nesta hora , a mais trágica de nossa história, que é a prova viva da divina Providência neste mundo.” [Isaac Herzog, Gran Rabino da Palestina, em 28 de fevereiro de 1944; “Actes et documents du Saint Siege relatifs a
la Seconde Guerre Mondiale”, X, p. 292.]

3 – Alexander Shafran

“Não é fácil para nós encontrar as palavras adequadas para expressar o calor e consolo que experimentamos pela preocupação do Sumo Pontífice [Pio XII], que ofereceu uma grande soma para aliviar os sofrimentos dos judeus deportados; os judeus da Romênia nunca esqueceremos estes fatos de importância histórica.”

[Alexander Shafran, Gran Rabino de Bucarest, em 7 de abril de 1944; “Actes et documents du Saint Siege relatifs a
la Seconde Guerre Mondiale”, X, p. 291-292]

4 – Juez Joseph Proskauer

“Temos ouvido em muitas partes que o Santo Padre [Pio XII] foi omisso na salvação dos refugiados na Itália, e sabemos de fontes que merecem confiança que este grande Papa estendeu suas mãos poderosas e acolhedoras para ajudar aos oprimidos na Hungria”.

[Juez Joseph Proskauer, presidente do “American Jewish Committee”, na Marcha de Conscientização de 31 de julho de 1944
em Nova York]

5 – Giuseppe Nathan

“Dirigimos uma reverente homenagem de reconhecimento ao Sumo Pontífice [Pio XII], aos religiosos e religiosas que puseram em prática as diretrizes do Santo Padre, somente viram nos perseguidos a irmãos, e com arrojo e abnegação atuaram de forma inteligente e eficaz para socorrer-nos, sem pensar nos gravíssimos perigos a que se expunham.”

[Giuseppe Nathan, Comissário da União de Comunidades Israelitas Italianas, 07-09-1945]

6. A. Leo Kubowitzki “Ao Santo Padre [Pio XII], em nome da União das Comunidades Israelitas, o mais sentido agradecimento pela obra levada a cabo pela Igreja Católica em favor do povo judeu em toda a Europa durante a Guerra”.

[ A.Leo Kubowitzki, Secretario Geral do “World Jewish Congress” (Congresso Judeu Mundial ), ao ser recebido pelo Papa em 21-09-1945]

7. William Rosenwald “Desejaria aproveitar esta oportunidade para render homenagem ao Papa Pio XII por seu esforço em favor das vítimas da Guerra e da opressão. Proveu ajuda aos judeus na Itália e interveio a favor dos refugiados para aliviar sua carga”.

[William Rosenwald, presidente de “United Jewish Appeal for Refugees”, 17 de março de 1946, citado em 18 de março no “New York Times”.

8 – Eugenio Zolli

“Podem ser escritos volumes sobre as multiformes obras de socorro de Pio XII. As regras da severa clausura cairam, todas e cada uma das coisas estão a serviço da caridade. Escolas, oficinas administrativas, igrejas, conventos, todos têm seus hóspedes. Como uma sentinela diante da sagrada herança da dor humana, surge o Pastor Angélico, Pio XII. Ele viu o abismo de desgraça ao qual a humanidade se dirige. Ele mediu e prognosticou a imensidão da tragédia. Ele fez de si mesmo o arauto da voz da justiça e o defensor da verdadeira paz”.

[Eugenio Zolli, em seu livro “Before the Dawn” (Antes da Aurora), 1954; seu nome original era Israel Zoller, Gran Rabino de Roma; durante a Segunda Guerra Mundial; convertido ao cristianismo em 1945, foi batizado como "Eugenio" em honra de Eugenio Pacelli, Pío XII]

9 – Golda Meir “Choramos a um grande servidor da paz que levantou sua voz pelas vítimas quando o terrível martírio se abateu sobre nosso povo”.

[Golda Meier, ministra do Exterior de Israel, outubro de 1958, ao morrer Pío XII]

10 – Pinchas E. Lapide

“Em um tempo em que a força armada dominava de forma indiscriminada e o sentido moral havia caído ao nível mais baixo, Pio XII não dispunha de força alguma semelhante e pôde apelar somente à moral; se viu obrigado a contrastar a violência do mal com as mãos desnudas. Poderia ter elevado vibrantes protestos, que pareceriam inclusive insensatos, ou melhor proceder passo a passo,
em silêncio. Palavras gritadas ou atos silenciosos. Pio XII escolheu os atos silenciosos e tratou de salvar o que poderia ser salvo.”

[Pinchas E. Lapide, historiador hebreu e consul de Israel em Milão, em sua obra "Three Popes and Jews" (Três Papas e os Judeus), Londres 1967; ele calcula que Pío XII e a Igreja salvaram com suas intervenções 850.000 vidas].

11 – Sir Martin Gilbert

“O mesmo Papa foi denunciado por Joseph Goebbels - ministro de Propagando do governo nazista – por haver tomado a defesa dos judeus na mensagem de Natal de 1942, onde criticou o racismo. Desempenhou também um papel, que descrevo com alguns detalhes, no resgate das três quartas partes dos judeus de Roma”.

[Sir Martin Gilbert, historiador judeu inglês, especialista no Holocausto e a Segunda Guerra Mundial, em uma entrevista em 02-02-2003 no programa "In Depth", do canal de televisão C-Span]


12 – Paolo Mieri

“O linchamento contra Pio XII? Um absurdo. Venho de uma família de origem judia e tenho parentes que morreram nos campos de concentração durante a Segunda Guerra Mundial. Esse Papa [Pio XII] e a Igreja que tanto dependia dele, fizeram muitíssimo pelos judeus. Seis milhões de judeus assassinados pelos nazistas e quase um milhão de judeus salvos graças à estrutura da Igreja e deste Pontífice. Se recrimina a Pio XII por não ter dado um grito diante das deportações do gueto de Roma, mas outros historiadores têm observado que nunca viram os antifacistas correndo à estação para tratar de deter o trem dos deportados. Um dos motivos por que este importante Papa foi crucificado se deve ao fato de que tomou parte contra o universo comunista de maneira dura, forte e decidida.”

[Paolo Mieri, periodista judeu italiano, ex-diretor do “Corriere della Será”, apresentando o livro “Pio XII; Il Papa degli ebrei” (Pio XII; O Papa dos hebreus), de Andrea Tornielli, a 6 de junho de 2001. ]

13 – David G. Dalin

“Pio XII não foi o Papa de Hitler, mas o defensor maior que já tiveram os judeus, e precisamente no momento em que o necessitávamos. O Papa Pacelli foi um justo entre as nações a quem há de reconhecer haver protegido e salvado a centenas de milhares de judeus. É difícil imaginar que tantos líderes mundiais do judaísmo, em continentes tão diferentes, tenham se equivocado ou confundido a hora de louvar a conduta do Papa durante a Guerra. Sua gratidão a Pio XII permaneceu durante muito tempo, e era genuína e profunda.

[David G. Dalin, rabino de Nova York e historiador, 22 de agosto de 2004, entrevistado em Rímini, Itália]

Contra essas declarações inequívocas de ilustres judeus, é impossível alguém mais sustentar as antigas calúnias contra o Papa Pio XII; se assim o fizer, será por ignorância histórica ou maldade consumada.


Fontes:
http://blog.cancaonova.com/felipeaquino/?s=13+grandes+l%C3%ADderes+judeus+em+defesa+do+grande+Papa+Pio+XII

http://culturahebraica.blogspot.com/2008/09/holocausto-legitimao-do-mal.html

sábado, 16 de outubro de 2010

Igreja Católica a Maior Instituição de Caridade do Mundo!


Nos seus 2.000 anos de história a Igreja Catolica foi a instituição que mais fez caridade neste mundo.

Se a Igreja não existisse provavelmente o mundo ocidental nem conheceria o sentido da palavra caridade. Essa é uma palavra que surgiu na Igreja, no sentido de ajudar, sem querer nada em retorno, essa idéia para os povos antigos, como os gregos e romanos, seria um absurdo! Essa virtude surgiu depois que o mundo ocidental se tornou católico.

-São milhares de Obras Assistenciais da Igreja Católica espalhadas por este mundo.

- Na época em que a lepra foi um grande mal, na Europa e Ásia haviam 3000 leprosários católicos.

- Em muitos paises africanos as escolas e hospitais são matidos pela Igreja Católica.

- A Igreja educou mais crianças do que qualque outra instituição educativa ou religiosa.

- 25% das obras que cuidam de aidéticos em todo o mundo são mantidas pela Igreja Católica.

- Incontáveis hospitais, sanatórios, escolas para crianças carentes, asilos, creches etc espalhadas em todo o mundo!

- Durante 2000 anos, 20 séculos de existência, ninguém como a Igreja socorreu tanto os pobres, órfãos, viúvas e doentes, como ainda hoje fazem, por exemplo, as irmãs de Madre Teresa de Calcutá.

- É inegável, nenhuma instituição no mundo ocidental fez e faz tanta caridade como a Igreja Católica, infelizmente isto parece não ser importante para os insistem em difamar a Igreja.

Em Portugal:

- Até ao século xix, num contexto antecedente à legislação de política social, a assistência social baseava-se em instituições de caridade privada (maioritariamente ligadas à Igreja e às ordens religiosas), directa ou indirectamente financiadas pela casa real, sendo sublinhada a não intervenção do Estado na sua actividade. Somente a partir do sec. XX é que começaram a desenvolver-se as instituições de assitência social do Estado.

- A Santa Casa da Misericordia surgiu de uma iniciativa conjunta da Coroa Portuguesa e a Igreja Católica.
- A Cáritas Portuguesa é uma instituição oficial da Conferência Episcopal Portuguesa, vocacionada para a promoção e dinamização da acção social da Igreja. Visa a assistência e também a promoção, o desenvolvimento e a transformação social. Luta por uma sociedade mais justa, com a participação dos que são atingidos por qualquer forma de exclusão ou emergência, sem olhar a crenças, culturas, etnias ou origem.

- Os Centros Sociais Paroquiais, os Centros Paroquiais de Bem-Estar Social ou outras congregações religiosas, fortemente ligadas à Igreja Católica, são as segundas IPSS mais antigas, denominadas antes de 1983 por Institutos de Assistência. A Igreja é a instituição que em Portugal mais atenção prestou e de um modo mais persistente à acção social. A Igreja sempre foi um agente determinante e uma força fundamental na gestão das pessoas e dos meios relacionados com a solidariedade social. Para esta a acção social “... trata-se de um agir eficaz em ordem à edificação do Reino de Deus, contribuindo para a melhor ordenação da sociedade humana, a partir de comunidade cristã,...”.,De notar que 25% dos Centros Sociais Paroquiais são presididos por um sacerdote.

Fontes:

http://jornalpartilha.blogspot.com/2007/10/histria-das-ipsss-em-portugal.html
http://analisesocial.ics.ul.pt/documentos/1223380820T2vFD3xo1Yc47NV1.pdf
http://www.caritas.pt/seccao3.asp?seccaoid=393

Livros:
UMA HISTÓRIA QUE NÃO É CONTADA – Prof. Felipe Aquino – Editora Cleófas
CIÊNCIA E FÉ EM HARMONIA – Prof. Felipe Aquino – Editora Cleófas

Jornal:
Folha de São Paulo, domingo, 24 de maio de 2009, A3, Painel do Leitor.


video

sexta-feira, 15 de outubro de 2010

A Verdade sobre os Anticoncepcionais Hormonais



Os perigos da contracepção hormonal não são revelados ao grande público por causa dos interesses das indústrias farmacêuticas e de interesses políticos. Porém há grupos de médicos sérios empenhados em revelar a verdade. O respeitado médico Inglês Dr. F. J. MAC.CANN, ginecologista em dois hospitais de renome em Londres é autor das seguintes obras:

“OS PERIGOS DA ANTICONCEPÇÃO”, “ANTICONCEPÇÃO: UMA CAUSA COMUM DE DOENÇAS”, “EFEITOS DO USO DOS CONTRACEPTIVOS NOS ÓRGÃOS GENITAIS FEMININOS”, afirmou: “Todos os métodos contraceptivos são prejudiciais para a mulher”.

Também a Federação Mundial de Médicos com sede na Bélgica, dirigida pelo Dr. K. F. GUNNING e formada por mais de 300 mil médicos em todo o mundo, entre eles o famoso Dr. Jerome Lejeune, que é professor de Genética Fundamental na Universidade de Paris, denuncia os efeitos dos contraceptivos em numerosos livros, em conferências nas universidades, etc.

Um dos membros da Federação escreveu o livro: “O CONTROLE DA NATALIDADE. POR QUE MENTEM ÀS MULHERES?”, com ampla circulação em todo o mundo.

Todo método anticoncepcional a base de hormonas é prejudicial a saúde da mulher! Esses são os “remédios” (coloco entre aspas porque pílula não é remédio) com maiores efeitos colaterais do mundo! (Ver efeitos colaterais em:
http://temaspolemicosigreja.blogspot.com/2010/03/contra-os-metodosanticoncepcionais.html)

Todas nós mulheres sabemos como funciona a pílula, as hormonas “enganam” o organismo da mulher, “dizendo” que ela já está grávida. Esta falsa gravidez faz com que os ovários não trabalhem, ou seja, a mulher não ovula, e estes ao ficarem bloqueados provocam a perda progressiva do apetite sexual, até chegar muitas das vezes a rejeitar o marido.

Logo no início, devido à falsa gravidez, a mulher vivência os sintomas próprios da gravidez, tais como, as náuseas, dor nos seios, dor de cabeça, etc, mas depois se habitua a isso. O estrógeno sintético em aumento gera um crescimento celular anormal e isto provoca cancro de mama e da matriz.

Ao não ovular, a mulher não produz seu estrógeno natural e isto faz que de forma progressiva vá perdendo seu apetite sexual, trazendo problemas com seu marido e em muitos casos chegam à separação.

Ao não se produzir o estrógeno natural, não se assimila o Cálcio, esta é a principal causa da Osteoporose. Também se modifica e produz mudanças estruturais e enzimáticas no revestimento interno do útero (endométrio) e nas trompas de Falópio, tudo isto faz que os ovários e a matriz vão se atrofiando.

Jeronome Lejeune pai da genética moderna, afirma que os estrógenos ajudam o desenvolvimento, o qual não se completa senão aos 18 anos, logo, os anticoncepcionais afectam o desenvolvimento do cérebro em forma até hoje desconhecidas. Neste sentido há estudos médicos que alertam que o anticoncepcional não deve ser utilizado antes dos 18 anos.

No embrião, ou seja, no ventre da mãe o número de folículos é de 1 milhão por ovário (não surgem folículos novos após o nascimento), e ao nascer cada ovário contém entre 250 e 500 mil folículos. Ao chegar à puberdade cada ovário contem de 100 a 200 mil, e aos 40 anos o seu número é de aproximadamente 8.000.

Durante a vida fértil da mulher aproximadamente 400 folículos amadurecem, onde os demais se degeneram nalgum ponto do seu desenvolvimento. As pílulas, injecções e implantes ao atrofiar os ovários, degenerando uma quantidade maior de folículos, reduzem as possibilidades de vida e apetite sexual. Conhecem-se casos de jovens que por terem utilizado injecções ficaram estéreis para o resto da vida.

A mulher completa o desenvolvimento dos seus ovários aos 18 anos. Utilizando estes contraceptivos antes da idade pode provocar-lhe esterilidade, matriz infantil e frialdade sexual. Nos dias que correm muitas jovens estudantes de bacharelato utilizam estes contraceptivos, seu marido, seus pais não sabem absolutamente nada e estão a atrofiar-se sexualmente.

Para piorar... quando uma jovem tem quistos em seus ovários a resposta médica é receitar anticoncepcionais, gerando as mesmas consequências.

O mais grave é quando uma mulher está dando de mamar ao seu bebé e os médicos em forma inconsciente passam anticoncepcionais, já que ao não produzir o estrógeno, a criança não assimila o cálcio e isto degenera seu desenvolvimento ósseo, cerebral, endócrino, etc.

Também, estes hormônios sintéticos afetam o desenvolvimento sexual do bebé, originando tendências, sejam homossexuais ou lesbianas.

Para compreender melhor o efeito dos comprimidos no tempo, no espaço e suas consequências na herança genética; assim como os desequilíbrios orgânicos, endócrinos, etc... que se criam; utilizemos o seguinte exemplo: Alguém tem uma terra virgem e bem cuidada para cultivar (a mulher), onde qualquer semente pode germinar com facilidade. Suponhamos que o dono da terra não quer ter frutos e aplica, à mesma, substâncias esterilizantes com certa frequência -cada dia ou cada mês. A terra perde essa capacidade de dar vida e seus mecanismos biológicos se alteram. Suponhamos que este processo de esterilização é empregado por 5 anos, mas logo depois desse período, o agricultor decide ter frutos. A pergunta é: estará essa terra em condições favoráveis? A resposta é obvia: Claro que não!



E seguramente os frutos (os filhos) que se produzam nessa terra (a mulher) também trarão os desequilíbrios e suas consequências.

Para compreender a magnitude do dano causado pelo estrógeno e o progestágeno sintéticas nos anticoncepcionais, devemos compreender o fracasso da Terapia Hormonal de Substituição (TRH), onde os cientistas haviam se dado conta que a terapia única com estrógeno aumentava especialmente as probabilidades de que uma mulher desenvolvia câncer no útero e por isto se acrescentou progestágeno. E foi quando veio o fracasso. Em uma notícia que percorreu o mundo em Maio de 2.003 e publicada em uma edição da Revista da Associação Médica Americana (American Medical Association), se explica o dano que causam os suplementos hormonais, particularmente em mulheres com idades superiores aos 60 anos.

Segundo o estudo, as mulheres que tomaram hormonas durante aproximadamente 4 anos, corriam duplo risco de desenvolver demência senil ou outra forma de falta de capacidade mental, em comparação com aquelas que tomaram placebos.

Os investigadores também descobriram que as hormonas não protegiam de outras formas menos severas de declinação mental, como perda ligeira de memória.

Uma explicação possível, de muitos achados, é que as hormonas elevam o risco de Apoplexias que se sabe causam lesões cerebrais que contribuem em causar demência, disseram os investigadores.

E estes danos que causam estas hormonas sintéticas também afectam às mulheres de menor idade, mas em outra proporção. Por tudo isto, jamais podemos recomendar o uso de nenhum comprimido ou injecção anticoncepcional já que são drogas a base de hormonas sintéticas, para atrofiar e adoecer as mulheres saudáveis.

Tampouco recomendamos os implantes, adesivos, os dispositivos intra-uterinos, nem a ligadura de trompas. Por que insiste a ciência com estes anticoncepcionais, em tirar a liberdade biológica da mulher, convertendo-a em um robô hormonal?

Lembre-se: Somente as árvores murchas e descuidadas não dão frutos. A administração dos Estados Unidos para os alimentos e medicamentos (FDA) estabeleceu que Depo-provera deve levar uma advertência, porque seu uso pode causar uma perda significativa da densidade óssea. A agência Reuters informou em 23 de Dezembro de 2004 que investigadores da Universidade de Iowa confirmaram o problema da perda de densidade óssea devido ao depo-provera. Segundo os estudos, a densidade óssea no quadril caiu em 2.8% depois de começar o uso do depo-provera e em 5.8% depois de dois anos. A perda da massa óssea na espinha dorsal foi parecida.

ADESIVOS – EFEITOS SECUNDÁRIOS MORTAIS

Em 4 de abril de 2004 o New York Post informava sobre o caso de Zakiya Kennedy de 18 anos de idade, que morreu como resultado de coágulos de sangue, formados como resultado se seu adesivo anticoncepcional. Havia trocado as pílulas anticoncepcionais pelo adesivo umas três semanas antes de sua morte. O jornal seguiu o sucedido com uma reportagem em 19 de setembro ligando o adesivo Ortho Evra, o único comercializado nos estados Unidos nessa data, às mortes de pelo menos 17 mulheres nos passados dois anos. O artigo acrescenta que se aponta que outras mulheres que tenham usado o adesivo tenham sofrido complicações, incluindo 21 casos de «ameaças de morte» por coágulos de sangue e outros males. Os dados saíram de informes da FDA obtidos pelo jornal. A preocupação pelos riscos para a saúde de outro anticoncepcional forçou faz poucos dias a FDA a dar o passo de corrigir um anuncio televisivo. Reuters informou em 30 de dezembro que a FDA advertiu a Barr Pharmaceuticals que seus anúncios das pílulas Seasonale não acrescentavam a menção do efeito secundário de um sangramento frequente e importante.

A FDA advertiu à companhia que seu anuncio enganava aos consumidos ao incluir esta informação, ao fazer que a pílula de controlo de natalidade parecesse mais segura. A advertência se fez em uma carta à companhia feita publicamente pela FDA em 29 de dezembro.
Além disso, os problemas de sangramento, a etiqueta da pílula adverte de outros efeitos secundários que podem incluir coágulos de sangue, ataques do coração e apoplexias. Mas os anúncios, observava a FDA, utilizam «visualizações irresistíveis» e «rápidas mudanças de cena» junto com outras técnicas que distraem da informação de advertência. Publicado pelo jornal Britânico Guarda Women's Health Initiative (WHI), que seguia os passos de mais de 160.00 mulheres e que ligavam o tratamento de hormonas de substituição com o crescente risco de câncer de mama, enfermidades do coração e apoplexias. A pílula anticoncepcional e este tratamento eram praticamente o mesmo, observava o artigo. O Times continuou com esta historia em outro artigo, de 13 de dezembro, que advertia de um maior risco de apoplexias nas mulheres que tomavam a pílula. Baseando-se em um estudo de mais de 5.000 pessoas, investigadores do Canadá, Estados Unidos e Espanha haviam concluído que quem sofre enxaqueca e tome a pílula tem oito vezes mais probabilidades de sofrer uma apoplexia do que aqueles que não a tomavam. O Times acrescentava que as enxaquecas afectam cerca de 6 milhões de pessoas na Grã Bretanha, estando as mulheres mais afectadas pelo problema.

RU-486 E A PÍLULA “DO DIA SEGUINTE”

O Dr. JEROME LEJEUNE, pai da genética moderna e famoso pela sua Trissomia Do Cromossoma 23, denominou à UR-486 como o primeiro pesticida anti humano, já que tem como única função médica suprimir uma vida já em latência. A RU-486 converte a mulher no principal agente no que diz respeito à matança de crianças por nascer. As preocupações de saúde não se limitavam somente aos anticoncepcionais. A pílula abortiva RU-486 foi ligada a algumas mortes. Um caso muito conhecido foi a morte em 2003 de Holly Patterson, uma californiana de 18 anos que sucumbiu a uma septicemia após ingerir a RU-486.

O pai de Holly, Monty Pattson, declarou que a FDA deveria proibir a pílula abortiva após ter sido relacionada com uma terceira morte com seu consumo, informou em 16 de novembro Associated Press. Aquele mesmo dia, o New York Times informou que a FDA havia pedido que se reforçasse a etiqueta de advertência da RU-486.

O chamado sistema Anticoncepcional de Emergência e a pílula do Dia Seguinte, realmente não são anticoncepcionais, são abortivos.

Devemos compreender que a vida se inicia exactamente no momento da fecundação do óvulo e não quando se implanta no útero. Logo, a mulher que utilize estes sistemas, esta abordando e deve responder ante as leis de Deus. O comprimido abortivo do dia seguinte com seus estrógenos aumentados, trás progressivamente grande desequilíbrios endócrinos, sobre tudo no aspecto sexual.

Os comprimidos do dia seguinte podem atrasar a menstruação até em 1 mês. Entre os efeitos por sua dose de hormônios estão: dor de cabeça, vômitos, enjôo, sensibilidade dos seios, fadiga, retenção de líquido e sangramento como menstruação.

Devido à queda do útero ou matriz ou ao próprio aborto, pode apresentar-se dor abdominal, no peito, dificuldade para respirar, visão borrada, dores fortes nas pernas.
Se for utilizado frequentemente pode se experimentar complicações fatais como obstrução de veias e artérias, ataques ao coração, paradas cardíacas, disfunções do útero, pressão alta.


Fonte: http://www.anael.org/portugues/sexo/seis.htm

quinta-feira, 14 de outubro de 2010

SANGUE NAS MÃOS




Estamos diante hoje de novos faraós e novas pessoas como Herodes! Pessoas odiosas que tem ao seu comando nações deste mundo, não tem escrúpulos, nenhum remorso pelos milhões de bebés mortos todos os anos no mundo!

O que falar então de outros governantes a exemplo dos primeiros que querem aprovar a carnificina, a matança, o homicídio também em suas nações?

Há interesses de grandes poderosos que ainda parecem dizer como o Faraó do Egipto na época de Moisés: “Eles se tornaram numeroso demais…”

"Então o faraó deu esta ordem a todo o seu povo: Todo menino que nascer, atirá-lo-eis ao Nilo. Deixareis, porém, viver todas as meninas."
(Ex 1, 22)


Parece-me que os antigos povos já tinham a consciência de que um povo numeroso é um povo próspero! E querem nos convencer exactamente do contrário. Usam do controlo populacional para fazer uma suposta melhoria da raça humana, para promover genocídios!

Usam a Cultura da Morte para atingir seus objectivos capitalistas mesquinhos! Não tem interesse que nações tidas antes como subdesenvolvidas possam vir a ser prósperas!

Fazem como Herodes que mandou matar as crianças de Israel porque não havia conseguido encontrar o futuro “Rei dos Judeus”!

"Vendo, então, Herodes que tinha sido enganado pelos magos, ficou muito irado e mandou massacrar em Belém e nos seus arredores todos os meninos de dois anos para baixo, conforme o tempo exato que havia indagado dos magos.

Cumpriu-se, então, o que foi dito pelo profeta Jeremias:

Em Ramá se ouviu uma voz, choro e grandes lamentos: é Raquel a chorar seus filhos; não quer consolação, porque já não existem (Jer 31,15)! "
(Mat 2,16-18)

Qual a diferença dessas mortes para as mortes de agora?!!

Qual o valor da vida de uma criança para Deus?!!


JESUS DIRIA QUE:

Esta geração é uma geração perversa!

Ai dessa geração, porque se tornou “um direito” matar o próprio fruto de seu ventre!!

Ai dessa geração, porque há médicos que ao invés de cuidarem da saúde estão trazendo a morte!!

Ai dessa geração, porque no dia do julgamento, as mulheres Hebreias e Judias se levantarão contra essa geração e os condenará! Porque essas mulheres amaram e desejaram ter seus filhos e eles foram assassinados!!


Ai dessa geração, porque se colocaram no lugar de Deus achando que podem decidir sobre a vida e a morte!

Ai dessa geração, hipócrita, que me honra com os lábios mas se cala diante da morte de milhões de inocentes!

Ai dessa geração, porque buscam os prazes impuros e depois jogam no lixo o fruto desses actos.

Ai de vós, Governantes que descriminalizaram o aborto! “melhor lhe fora que uma pedra de moinho lhe fosse posta ao pescoço e o lançassem ao mar!”(Mar 9,42) Porque “seres lançado à geena do fogo inextinguível [onde o seu verme não morre e o fogo não se apaga]. (Mar 9, 43-44)

Ai de vós, Governantes, porque serão pedidas contas a esta geração de todo sangue derramado por aborto.

Sim, eu vos digo: serão pedidas contas disso a esta geração.

Criado por Taiana Froes


video

terça-feira, 12 de outubro de 2010

A Existência de Deus


"Ninguém afirma: “Deus não existe” sem antes ter desejado que Ele não exista". Joseph de Maistre (filósofo).


Deus é o nosso Criador. É muita vaga a resposta de uma pessoa que diz não acreditar em nada, no mínimo vai se questionar como estamos aqui e para que finalidade, o ser humano não pode ter surgido do nada e o universo não pode ter sido obra do acaso.

Deus é aquele que é. Quando Moisés perguntou a Deus qual era o seu nome, Deus lhe respondeu: "Eu Sou aquele que É" (Êxodo 3,15). Também Jesus Cristo ao discutir com os fariseus lhes disse: "Antes que Abraão fosse, Eu Sou" (Jo. 8, 58). Os judeus pegaram pedras para matá-lo porque dizendo “Eu Sou” Ele se dizia Deus. Do mesmo modo, quando Caifás esconjurou que Cristo dissesse se era o Filho de Deus, Ele lhe respondeu: "Eu Sou" (São Lucas 22,70). E Caifás entendeu bem que Ele se disse Deus, porque imediatamente rasgou as vestes dizendo que Cristo blasfemara afirmando-se Deus.

De acordo com a filosofia de São Tomas de Aquino com o uso da razão é possível demonstrar a existência de Deus, para isto propõe as 5 vias de demonstração:

Primeira via - Primeiro Motor Imóvel
Tudo o que se move é movido por alguém, é impossível uma cadeia infinita de motores provocando o movimento dos movidos, pois do contrário nunca se chegaria ao movimento presente, logo há que ter um primeiro motor que deu início ao movimento existente e que por ninguém foi movido.

Segunda via - Causa Primeira
Para todo efeito existe uma causa. Nada pode ser causa de si mesma, porque teria que ser anterior a si mesma. Portanto neste mundo visível as causas se sucedem de forma eficiente, como por exemplo a chuva é causada pela evaporação que é causada pelo calor, que é causado pelo Sol. Se as causas fossem indefinidas não existiria a primeira causa, ora as coisas existem, logo tem de existir uma causa primeira que tudo causou e que não foi causada. Deus é a causa das causas não causada, Deus teve que criar o Sol, para que ele fosse causa do calor (exemplo acima).

Terceira via - Ser Necessário
Os seres da natureza existem, mas poderiam não existir, são finitos, houve um tempo que não existiam, porque seria impossível que tenham sempre existido. Contudo, se nesse tempo nada existia, também nada existiria hoje, porque aquilo que não existe não pode passar a existir por si mesmo. O que existe só pode existir em virtude de um ente já existente (como na questão “Quem veio primeiro, o ovo, ou a galinha?”), é necessário que algum ente já exista para dar existência a todas as coisas. Esse ser tem em si mesmo razão de sua existência, porque se não tivesse também dependeria de outro ente para existir, logo, tem que ter existido sempre. Nele, a existência se identifica com a essência. Este ser necessário é Deus.

Quarta via - Ser Perfeito
Quando comparamos as coisas e dizemos que uma é mais bela do que a outra, por exemplo, só podemos dize-lo tendo partindo de um ideal de beleza perfeita, comparamos com o máximo da perfeição.

Portanto, tem que existir a Verdade absoluta, a Beleza absoluta, o Bem absoluto, a Nobreza absoluta, etc. Todas essas perfeições em grau máximo e absoluto coincidem em um único ser, porque, conforme diz Aristóteles, a Verdade máxima é a máxima entidade. O Bem máximo é também o ente máximo.

Quinta via - Inteligência Ordenadora
Os seres irracionais agem com um objectivo. Pode-se comprovar isto porque agem sempre da mesma maneira para conseguir o que mais convém. Não agem por acaso, agem intencionalmente, por exemplo um cão que obedece o dono para ganhar uma recompensa. O que não é racional somente pode atingir uma meta se é dirigido por alguém que é racional. Por exemplo, uma flecha não pode por si buscar o alvo. Ela tem que ser dirigida para o alvo pelo arqueiro. De si, a flecha é cega. Se vemos flechas se dirigirem para um alvo, compreendemos que há um ser inteligente dirigindo-as para lá. Assim se dá com o mundo. Logo, existe um ser inteligente que dirige todas as coisas naturais a seu fim próprio. A este ser chamamos Deus.

Existe uma ordem no universo que é facilmente verificada, ora toda ordem é fruto de uma inteligência, não se chega à ordem pelo acaso e nem pelo caos, logo há um ser inteligente que dispôs o universo na forma ordenada.

Essa ordem do universo e de tudo que ele contém é que leva muitos cientistas a afirmar a existência de Deus. O cientista Patrick Glynn, Ph.D., formado em Harvard (EUA) e Cambridge (Inglaterra), afirmou que o universo não é aleatório e parece ter um principio antrópico. Brandon Carter e outros cientistas descobriram uma série de misteriosas “coincidências” no universo, cujo único denominador comum era preparar o aparecimento do homem. A mínima alteração das forças fundamentais da Física – gravidade, eletromagnetismo, a sólida energia nuclear ou a fraca energia nuclear – teria como resultado um universo irreconhecível e completamente adverso a possibilidade de vida. O universo foi criado na perfeição, num equilíbrio perfeito cuja meta era o homem.

A complexidade do universo, da natureza e do próprio funcionamento do corpo humano somente pode ter sido fruto de uma inteligência criadora.

Daniel Godri afirma: “O espermatozóide que gerou você “concorreu” com 360 milhões de outros, chegando em primeiro lugar ao óvulo. Cada um de nós foi uma simples célula, mas hoje temos 60 trilhões delas, mais do que as estrelas do céu. Nosso corpo tem 200 ossos, 560 músculos, mais de 8 quilômetros de fibras nervosas, 4 milhões de estruturas sensíveis ao tato; nosso sangue percorre 270.000 km/dia, percorrendo mais de 70 mil veias, artérias e vasos capilares, para que a vida aconteça. Os nossos pulmões mandam 23.160.000 litros de sangue para o corpo, durante o ano. O coração em um único dia bate mais de 103.000 vezes, cerca de 36 milhões de batida por ano. Nossos olhos possuem mais de 100 milhões de receptores que nos dão a possibilidade de discernir as cores, o dia da noite, e contemplar as belezas da natureza. Nossa pele se renova sem cessar a cada micro de segundo, sem alterar a sua forma. Nossos ouvidos possuem 24 mil fibras que vibram a cada som, cada palavra. Nosso cérebro tem mais de 10.000 km de fios e cabos; 13 bilhões de células nervosas e pode processar até 30 bilhões de “bits” por segundo (um computador inimaginável!). Nosso sistema nervoso contém cerca de 28 bilhões de neurônios, sendo cada um minúsculo computador auto-suficiente capaz de processar 1megabit (1 milhão de bits). Será que o acaso poderia fabricar tudo isto? É lógico que não. Então, Deus existe! E se Ele existe, você não pode ficar indiferente a Ele. A felicidade é impossível sem o descobrir e o obedecer.”

Catecismo da Igreja Católica

D.14.3 Existência de Deus

§31 Criado à imagem de Deus, chamado a conhecer e a amar a Deus, o homem que procura a Deus descobre certas "vias" para aceder ao conhecimento de Deus. Chamamo-las também de "provas da existência de Deus", não no sentido das provas que as ciências naturais buscam, mas no sentido de "argumentos convergentes e convincentes" que permitem chegar a verdadeiras certezas.

Estas "vias" para chegar a Deus têm como ponto de partida a criação: o mundo material e a pessoa humana.

§33 O homem: Com sua abertura à verdade e à beleza, com seu senso do bem moral, com sua liberdade e a voz de sua consciência, com sua aspiração ao infinito e à felicidade, o homem se interroga sobre a existência de Deus. Mediante tudo isso percebe sinais de sua alma espiritual. Como "semente de eternidade que leva dentro de si, irredutível à só matéria" sua alma não pode ter origem senão em Deus.

§34 O mundo e o homem atestam que não têm em si mesmo nem seu princípio primeiro nem seu fim último, mas que participam do Ser em si, que é sem origem e sem fim. Assim por estas diversas "vias", o homem pode aceder ao conhecimento da existência de uma realidade que é a causa primeira e o fim último de tudo, "e que todos chamam Deus"

§35 As faculdades do homem o tomam capaz de conhecer a existência de um Deus pessoal. Mas, para que o homem possa entrar em sua intimidade, Deus quis revelar-se ao homem e dar-lhe a graça de poder acolher esta revelação na fé. Contudo, as provas da existência de Deus podem dispor à fé e ajudar a ver que a fé não se opõe à razão humana.

§46 Quando escuta a mensagem das criaturas e a voz de sua consciência, o homem pode atingir a certeza da existência de Deus, causa e fim de tudo.

§48 Podemos realmente falar de Deus partindo das múltiplas perfeições das criaturas, semelhanças do Deus infinitamente perfeito, ainda que nossa linguagem limitada não esgote seu mistério.

§286 Sem dúvida, a inteligência humana já pode encontrar uma resposta para a questão das origens. Com efeito, a existência de Deus Criador pode ser conhecida com certeza por meio de suas obras, graças à luz da razão humana, ainda que este conhecimento seja muitas vezes obscurecido e desfigurado pelo erro. É por isso que a fé vem confirmar e iluminar a razão na compreensão correta desta verdade: "Foi pela fé que compreendemos que os mundos foram formados por uma palavra de Deus. Por isso é que o mundo visível não tem sua origem em coisas manifestas" (Hb 11,3).

Fontes:
http://www.catolicismoromano.com.br/content/view/377/37/

http://blog.cancaonova.com/felipeaquino/category/ciencia-e-fe/page/6/



video

segunda-feira, 11 de outubro de 2010

Médico Denuncia os Perigos da Pílula Anticoncepcional e fala sobre a Humanae Vitae


O presidente dos métodos católicos denuncia os perigos da pílula anticoncepcional

ROMA, quinta-feira, 8 de janeiro de 2009 (ZENIT.org).- Apesar de ter sido publicada há 40 anos, a encíclica Humanae Vitae ainda suscita um forte debate. Para alguns, inclusive dentro da Igreja Católica, trata-se de um texto inadequado aos tempos e insuficiente nas respostas, enquanto outros sustentam que se trata de uma encíclica «profética».

Para estes últimos, o Papa Paulo VI fez bem em advertir contra o uso de anticoncepcionais, já que estes são perigosos para a saúde da mulher e para a relação dentro do casal.

Neste contexto, o doutor espanhol José María Simón Castellví, presidente da Federação Internacional das Associações de Médicos Católicos (FIAMC), anunciou um texto em 4 de janeiro passado, com o título «40 anos depois da Encíclica Humanae Vitae, do ponto de vista médico», no qual se ilustram todos os problemas relativos à saúde da mulher, à contaminação ambiental e ao enfraquecimento e banalização das relações de casal que a pílula contraceptiva provocou.

Sobre esta questão, o dr. Simón Castellví concedeu esta entrevista à Zenit.

– Os críticos da Humanae Vitae sustentam que os anticoncepcionais trouxeram a emancipação feminina, progresso, saúde médica e ambiental. Mas segundo o informe da FIAMC, isso não é verdade. Pode explicar-nos por quê?

– Simón Castellví: Os anticoncepcionais não são um verdadeiro progresso nem para as mulheres nem para o planeta. Compreendo e sou solidário com as mulheres que deram a vida a muitos filhos, mas a solução não está na contracepção, e sim na regulação natural da fertilidade. Esta respeita os homens e as mulheres. O estudo que apresentamos é científico e nos diz que a pílula é contaminadora e em muitos casos anti-implantatória, ou seja, abortiva.

– O estudo sustenta de fato que a pílula denominada anovulatória, a mais utilizada, que tem como base doses de hormônios de estrogênio e progesterona, funciona em muitos casos com um verdadeiro efeito anti-implantatório. É verdade?

– Simón Castellví: É verdade. Atualmente, a pílula anticoncepcional denominada anovulatória funciona em muitos casos com um verdadeiro efeito anti-implantatório, ou seja, abortivo, porque expele um pequeno embrião humano. E o embrião, inclusive em seus primeiros dias, é um pouco diferente de um óvulo ou célula germinal feminina. Sem essa expulsão, o embrião chegaria a ser um menino ou menina.

O efeito anti-implantatório destas pílulas está reconhecido na literatura científica. Os investigadores o conhecem, está presente nos prospectos dos produtos farmacêuticos dirigidos a evitar uma gravidez, mas a informação não chega ao grande público.

– O estudo em questão sustenta que a grande quantidade de hormônios no ambiente tem um efeito grave de contaminação meio-ambiental que influi na infertilidade masculina. Você poderia nos explicar por quê?

– Simón Castellví: Os hormônios têm um efeito nocivo sobre o fígado, e depois se dispersam no ambiente, contaminando-o. Durante anos de utilização das pílulas anticoncepcionais se verteram toneladas de hormônios no ambiente. Diversos estudos científicos indicam que isso poderia ser um dos motivos do aumento da infertilidade masculina. Pedimos que se façam pesquisas mais precisas sobre os efeitos contaminadores desses hormônios.

– O estudo elaborado pela FIAMC retoma as preocupações expressas em 29 de julho de 2005 pela Agência Internacional de Pesquisa do Câncer (International Agency for Research on Cancer), a agência da Organização Mundial da Saúde (OMS), segundo a qual os preparados orais de combinados de estrogênio e progesterona podem ter efeitos cancerígenos. Você poderia ilustrar-nos a gravidade destas implicações?

– Simón Castellví: É grave que se esteja distribuindo um produto não indispensável para a saúde e que poderia ser cancerígeno. Esta não é uma opinião dos médicos católicos, mas da Agência da OMS que luta contra a difusão do câncer. Nós só citamos suas preocupações ao respeito.

– Você e a associação que você representa sustentam que a Humanae Vitae foi profética ao propor os métodos naturais de regulação da fertilidade. Pode explicar-nos por quê?

– Simón Castellví: O Papa Paulo VI foi profético também do ponto de vista científico. Com essa encíclica, ale alertou sobre os perigos da pílula anticoncepcional, como o câncer, a infertilidade, a violação dos direitos humanos, etc. O Papa tinha razão e muitos não quiseram reconhecer isso. Quando se trata de regular a fertilidade, são muito melhores os métodos naturais, que são eficazes e respeitam a natureza da pessoa.

– Em um artigo publicado pelo L'Osservatore Romano («L'Humanae vitae. Una profezia scientifica», 4 de janeiro de 2009), você sustenta que os métodos anticoncepcionais violam os direitos humanos. Pode precisar-nos por quê?

– Simón Castellví: No 60º aniversário da Declaração dos Direitos do Homem se pode demonstrar que os meios anticoncepcionais violam pelo menos cinco importantes direitos:

O direito à vida, porque em muitos casos se trata de pílulas abortivas, e cada vez se elimina um pequeno embrião.

O direito à saúde, porque a pílula não serve para curar e tem efeitos secundários importantes sobre a saúde de quem a utiliza.

O direito à informação, porque ninguém informa sobre os efeitos reais da pílula. Em particular, não se adverte sobre os riscos para a saúde e a contaminação ambiental.

O direito à educação, porque poucos explicam como se praticam os métodos naturais.

O direito à igualdade entre os sexos, porque o peso e os problemas das práticas anticoncepcionais recaem quase sempre sobre a mulher.

– A Humanae vitae sustenta que os anticoncepcionais influenciam negativamente na relação do casal, separando o ato de amor da procriação. Você poderia explicar-nos, como homem de ciência, esta afirmação?

– Simón Castellví: A relação entre os esposos deve ser de total confiança e amor. Excluir com meios impróprios a possibilidade da procriação prejudica a relação de casal. O doar-se um ao outro deveria ser total e enriquecer-se pela capacidade da transmissão da vida.

– Substancialmente, a Humanae vitae é um documento que une e reforça os casais; por que então tantas críticas?

– Simón Castellví: Muitas das críticas foram sugeridas pelos interesses econômicos que estão por trás da venda da pílula. Outras críticas surgem daqueles que querem reduzir e selecionar a fertilidade e o crescimento demográfico. Finalmente, as críticas procedem também daqueles que querem limitar a autoridade moral da Igreja Católica.

– O que teria acontecido se a Igreja não tivesse se oposto à difusão da pílula?

– Simón Castellví: Não quero sequer pensar nisso. Só considerando o efeito abortivo das pílulas, a própria Igreja Católica seria hoje menos numerosa. Posso compreender o pensamento de milhões de mulheres que usam a pílula, mas quero sugerir que existe uma antropologia melhor para elas, a que a Igreja Católica propõe.

Por Antonio Gaspari

Fonte: http://www.zenit.org/article-20479?l=portuguese

sexta-feira, 8 de outubro de 2010

Estudo revela que pílulas anticoncepcionais alteram cérebro feminino!!!






Um estudo publicado pela revista médica Brain Research revelou que o uso de pílulas anticoncepcionais pode alterar o cérebro das mulheres e causar notórias mudanças condutuais.

Segundo a colunista Mara Hvistendahl da Popular Science, o estudo dá evidências às muitas mulheres que se queixam de “não sentir-se as mesmas pessoas” depois de começar a consumir pílulas anticoncepcionais.

É algo que as mulheres e seus companheiros sabem por intuição: “a pílula pode alterar o cérebro feminino, fazendo que uma mulher atue como uma pessoa distinta”.

“As companhias farmacêuticas continuamente lançam anticoncepcionais que contêm doses mais baixas de hormônios e que implica menos efeitos secundários. Mas as mulheres que receberam hormônios podem assinalar os efeitos que sofreram: mudanças de humor, depressão, diminuição da libido (…). Mas embora não o criam, ainda sabemos muito pouco sobre as conseqüências no cérebro de uma mulher que consome hormônios todos os dias”, acrescenta a autora.
O estudo em questão comparou os cérebros das mulheres que tomam pílulas anticoncepcionais com cérebros de outras mulheres e homens. As consumidoras de hormônios apresentaram mais matéria em algumas áreas do cérebro, incluindo o córtex pré-frontal, associada com atividades cognitivas como a toma de decisões.

Embora os investigadores sugiram que a pílula faz que uma mulher seja mais “cerebral”, para peritos como Craig H. Kinsley e Elizabeth A. Meyer do Scientific American o cérebro funciona como uma “colméia de nervos” e é preocupante que uma parte da colméia possa afetar a outra.

“O fato de que uma região do cérebro se torne maior não significa que uma mulher que consome hormônios seja mais inteligente ou eficaz. Também existe a possibilidade de que seu cérebro saia de controle”, acrescenta a autora.

FONTE: ACI e Reporter de Cristo

quarta-feira, 6 de outubro de 2010

A Questão da Descriminalização do Aborto no Brasil!


O Aborto é actualmente um dos temas mais discutidos no Brasil. Alguns afirmam que o aborto seria uma questão de saúde pública. A questão do aborto não pode ser entendida, de maneira alguma, como uma questão de saúde pública uma vez que o aborto não traz a saúde para ninguém, pelo contrário, há muitos riscos e consequências graves para o corpo da mulher, para os familiares e até para os médicos envolvidos. O Dever do Estado é garantir a saúde e não o contrário! Atendendo uma mulher que deseja abortar o Estado presta um desserviço! Cabe a cada governo decidir se é a favor da vida ou não! Aprovando a lei do aborto o Estado permite que haja homicídios em larga escala e ainda por cima pagos pelo o governo! Mas há muitas questões envolvidas que estão nas entrelinhas... por exemplo:

"com todas estas decisões a favor do aborto… o actual governo tornaram-se activos colaboradores do Imperialismo Demográfico que está sendo imposto em nível mundial por Fundações Internacionais, as quais, sob o falacioso pretexto da defesa dos direitos reprodutivos e sexuais da mulher, e usando o falso rótulo de "aborto - problema de saúde pública", estão implantando o controle demográfico mundial como moderna estratégia do capitalismo internacional".
http://www.votopelavida.com/apelobrasileirosbrasileiras.htm

É uma estratégia da Cultura da Morte, envolvendo aprovação do Aborto e da Eutanásia, onde a vida do ser humano adquire um valor relativo ou em seus primórdios e no fim simplesmente deixa de ter valor. Esse imperialismo demográfico difundiu a falsa ideia de que aumento de população aumentaria também o subdesenvolvimento, para impedir o desenvolvimento de certos países pois:

“Nenhum economista consegue provar que o controle da natalidade ajuda o desenvolvimento; mas muitos provam o contrário. Os dois países que mais se desenvolvem hoje são os de maior população: China e Índia. Enquanto o Japão tem cerca de 330 pessoas/quilómetro quadrado, a América Latina tem em média apenas 20. E todos sabemos que lá há muito menos miséria, analfabetismo, falta de escolas, hospitais, casas, do que aqui entre nós. E o Japão está fazendo campanha para aumentar a população.”
http://blog.cancaonova.com/felipeaquino/2010/08/19/uma-noticia-chocante/

A promoção do aborto e da eutanásia interessa a países ricos e também em nome de uma suposta “melhoria da raça humana” através da biologia, defendida pelo movimento eugénico.

“Só para o Brasil foram investidos oficialmente pelos grupos de controlo de população 836 milhões de dólares, nestes últimos 5 anos. Isso sem contar os recursos “extra-orçamentários” destinados ao “lobby” do aborto e da contracepção no Congresso Nacional e os destinados a algumas organizações anti-vida como as “Católicas pelo Direito de Decidir”.
http://a-dignidade-da-mulher-catolica.blogspot.com/2010/09/aspectos-politicos-da-contracepcao.html

No Brasil há vários executores dessa política de controlo populacional espalhados em universidades, organizações feministas, no governo federal, estadual e municipal.

E os grandes países capitalistas não tem interesse que o Brasil continue se desenvolvendo no ritmo em que está.

Fazendo um paralelo com a situação de Portugal, pode-se dizer que esses mesmos interesses políticos também motivaram a descriminalização do aborto no país. A aprovação do aborto na Europa está a levar os países a uma crise demográfica gravíssima que pode levar a instinção das populações europeias e uma consequente substituição pelas populações imigrantes! Portugal tem uma taxa de natalidade muito baixa e uma taxa de crescimento económico também muito baixo, a baixa população tem contribuido para o baixo desenvolvimento do país!

Vale a pena ressaltar que a questão do aborto não é uma questão puramente religiosa! Há muitos ateus que defendem fervorosamente a vida, independentemente de acreditarem em Deus ou não, acreditam no valor da vida, não é uma questão de crença, é uma questão humana e ética!

A vida começa na fecundação! O aborto é sempre um crime hediondo, mesmo se praticado nas primeiras semanas de vida, isso se consideramos o aborto de um embrião, se pensarmos então no aborto de uma criança a partir do 4º mes de gestação, que está totalmente formada, ainda é pior e eles pretendem aprovar a:

"DESCRIMINALIZAÇÃO DO ABORTO ATÉ O NONO MÊS DE GRAVIDEZ E POR QUALQUER MOTIVO”

Isso não seria matar uma pessoa já totalmente formada e inocente?! Não é justo que a criança não tenho o direito de nascer! Aborto é sempre homicídio!

Na minha opinião Deus é que tem o poder da vida! É o único que tem o poder de dar ou tirar a vida!

video

segunda-feira, 4 de outubro de 2010

Imitando as Virtudes de Maria


Profunda humildade:

Maria sabia reconhecer-se como humilde serva, sentia-se nada diante do Senhor, sem vaidade nenhuma oferecia ao Senhor os louvores que recebia e não havia nada em seu coração que centrasse nela própria.

Ela era simples, todos seus actos eram feitos no silêncio e no escondimento. A humildade de Maria é a principal virtude que esmaga a cabeça do demónio. Nossa Senhora nunca se esqueceu que tudo nela era dom de Deus. Ela se alegrava em servir ao próximo e se colocava sempre em último lugar.

Imitando essa virtude:
Devemos buscar a humildade, pensando sempre que se temos qualidades e potenciais tudo devemos a Deus, tudo isso é dom de Deus. Compreendamos que o homem sem Deus não é nada e nada possui. Nunca se deixar levar pelo orgulho, pela vaidade e soberba. Ser modestos, comedidos, sem vaidade, sempre dispostos a servir aos outros, ter simplicidade na maneira de se apresentar e quando receber um elogio dar os créditos a Deus.

A humildade se opõe a soberba.

“Porque pôs os olhos na humildade da sua Serva…” (Luc. 1,48)

“Derrubou os poderosos de seus tronos
E exaltou os humildes.” (Luc. 1,52)

Paciência Heróica:

Nossa Senhora passou por muitos momento estressantes de provação, de incomodo e de dor, durante toda sua vida, mas suportou tudo com paciência. Sua tolerância era admirável! Nunca se revoltou contra os acontecimentos, nem mesmo quando viu o próprio filho na Cruz! Sabia que tudo era vontade de Deus e meditava tudo isso em seu coração.

Maria, nossa mãe, teve sempre paciência, sabendo aguardar em paz aquilo, que ainda não se tenha obtido, acreditando que iria conseguir, pela espera em Deus.

Imitando essa virtude:
Ter paciência é não perder a calma, manter a serenidade e o controlo emocional. Além disso é saber suportar, como Maria, os desabores e contrariedades do dia a dia, saber suportar com paciências nossas próprias cruzes.

Devemos saber ouvir as pessoas com calma e atenção, sem pressa, exercitando assim a virtude da caridade. Fazer um esforço para nos calarmos frente aquelas situações mais irritantes e estressantes.

Quando houver um momento de impaciência pode-se rezar uma oração, como por exemplo, um Pai-nosso, buscando se acalmar para depois tentar resolver o conflito.

Devemos nos propor, firmemente não nos queixarmos da saúde, do calor ou do frio, do abafamento no autocarro lotado, do tempo que levamos sem comer nada...

Temos que renunciar, frases típicas, que são ditas pelos impacientes: “Você sempre faz isso!”, “De novo, mulher, já é a terceira vez que você...!”, “Outra vez!”, “Já estou cansado”, “Estou farto disso!”.

Fugir da ira, se calando ou rezando nesses momentos.

A paciência se opõe a Ira!

“Não só isso, mas nos gloriamos até das tribulações. Pois sabemos que a tribulação produz a paciência, a paciência prova a fidelidade e a fidelidade, comprovada, produz a esperança.”(Rom. 5,3-4)

“Eu, porém, vos digo que todo aquele que (sem motivo) se irar contra seu irmão estará sujeito a julgamento; e quem proferir um insulto a seu irmão estará sujeito a julgamento do tribunal; e quem lhe chamar: Tolo, esta­rá sujeito ao inferno de fogo.”(Mat 5,22)

Contínua Oração:

Nossa Senhora era silenciosa, estava sempre num espírito perfeito de oração. Tinha a vida mergulhada em Deus, tudo fazia em Sua presença. Mulher de oração e contemplação, sempre centrada em Deus. Buscava a solidão e o retiro pois é na solidão que Deus fala aos corações. "Eu a levarei à solidão e falarei a seu coração (Os 2, 14)"

Em sua vida a oração era contínua e perseverante, meditando a Palavra de Deus em seu coração, louvando a Deus no Magnificat, pedindo em Caná, oferecendo as dores tremendas que sentiu na crucificação de Jesus, etc.

Imitando essa virtude:
Buscar uma vida interior na presença de Deus, um “espírito” contínuo de oração. Não se limitar somente as orações ao levar, ao se deitar e nas refeições, estender a oração para a vida, no trabalho, nos caminhos, em fim, em todas as situações, buscando a vontade de Deus em sua vidas.

"Tudo quanto fizerdes, por palavra ou por obra, fazei-o em nome do Senhor Jesus, dando por ele graças a Deus Pai". (Cl 3,17).
e
"Não vos inquieteis com nada! Em todas as circunstâncias apresentai a Deus as vossas preocupações, mediante a oração, as súplicas e a acção de graças.
E a paz de Deus, que excede toda a inteligência, haverá de guardar vossos corações e vossos pensamentos, em Cristo Jesus."(Fil 6,6-7)

Obediência Perfeita:

Maria disse seu “sim” a Deus e ao projecto da salvação, livremente, por obediência a vontade suprema de Deus. Um “sim” amoroso, numa obediência perfeita, sem negar nada, sem reservas, sem impor condições.

Durante toda a vida Nossa Mãezinha foi sempre fiel ao amor de Deus e em tudo o obedeceu. Ela também respeitava e obedecia as autoridades, pois sabia que toda a autoridade vem de Deus.

Imitando essa virtude:
O Catecismo da Igreja Católica indica que a obediência é a livre submissão à palavra escutada, cuja verdade está garantida por Deus, que é a Verdade em si mesma.

Esforcemo-nos para obedecer a requisitos ou a proibições. A subordinação da vontade a uma autoridade, o acatamento de uma instrução, o cumprimento de um pedido ou a abstenção de algo que é proibido, nos faz crescer. Rezar pelos superiores.

Obedecer sempre a Deus em primeiro lugar e depois aos superiores.

Obedecer a Deus é obedecer seus Mandamentos, ser dócil a Sua vontade. Também é ouvir a palavra e a colocar em prática.

“Então disse Maria: Eis aqui a serva do Senhor. Faça-se em mim segundo a tua palavra.”
(Luc 1, 38)

Mãe do Supremo Amor:

Nossa Mãe cheia de graça ama toda a humanidade com a totalidade do seu coração. Cheia de amor, puro e incondicional de mãe, nos ama com todo o seu coração imaculado, com toda energia de sua alma. Nada recusa, nada reclama, em tudo é a humilde serva do Pai.

Viveu o amor a Deus, cumprindo perfeitamente o primeiro mandamento. Fez sempre a Vontade Divina e por amor a Deus aceitou também amar incondicionalmente os filhos que recebeu na cruz.

Era cheia da virtude da caridade, amou sempre seu próximo, como quando visitou Isabel, sua prima, para a ajudar, ou nas bodas de Caná, preocupada porque não tinham mais vinho.

Imitando essa virtude:
Todos os homens são chamados a crescer no amor até à perfeição e inteira doação de si mesmo, conforme o plano de Deus para sua vida.

Devemos buscar o verdadeiro amor em Deus, o amor ágape, que nos une a todos como irmãos. Praticar o amor ao próximo, a bondade, benevolência e compaixão.

O amor é doação, assim como Maria doou sua vida e como Jesus se doou no cruz para nos salvar, também devemos nos doar ao próximo, por essa razão o amor é a essência do cristianismo e a marca de todo católico.

"Por ora subsistem a fé, a esperança e o amor – estes três. Porém, o maior deles é o amor."
(I Cor. 13,13)

Mortificação Universal:

Maria, mulher forte que assume a dor e o sofrimento unida a Jesus e ao seu plano de salvação. Sabe sofrer por amor, sabe amar sofrendo e oferecendo dores e sacrifícios. Sabe unir-se ao plano redentor, oferecendo a Vítima e oferecendo-se com Ela.

Maria empreendeu, e abraçou uma vida cheia de enormes sofrimentos, e os suportou, não só com paciência, mas com alegria sobrenatural. Nada de revolta, nada de queixas, nada de repreensões ou mau humor. Pelo contrário, dedicou-se à meditação para buscar entender o motivo que leva um Deus perfeito a permitir aqueles acontecimentos. Pela meditação, pela submissão, pela humildade, Ela encontrou a verdade.

Imitando essa virtude:
Muitas vezes Deus nos envia provações que não compreendemos, portanto devemos seguir o exemplo de Nossa Senhora e meditar os motivos que levam um Deus perfeito a permitir essas provações, aceitá-las e saber oferecer todas as nossas dores a Jesus em expiação dos nossos pecados, pelos pecados de todos e pelas almas, unindo nossos sofrimentos aos sofrimentos de Jesus na Cruz.

Não devemos oferecer somente os grandes sofrimentos, devemos oferecer também o jejum, fugir do excesso de conforto e prazeres e, na medida do possível, oferecer alguns sacrifícios a Deus, seja no comer (renunciar de algum alimento que se tenha preferência ou simplesmente esperar alguns instantes para beber água quando se tem sede), nas diversões (televisão principalmente), nos desconfortos que a vida oferece (calor, trabalho, etc.), sabendo suportar os outros, tendo paciência em tudo.

É indispensável sorrir quando se está cansado, terminar uma tarefa no horário previsto, ter presente na cabeça problemas ou necessidades daquelas pessoas que nos são caras e não só os próprios.

Oferecer os sofrimentos, desconfortos da vida, jejuns e sacrifícios a Deus pela salvação das almas.
“Ó vós todos, que passais pelo caminho: olhai e julgai se existe dor igual à dor que me atormenta.” (Lamentações 1,12)

Doçura Angélica:

Nossa Senhora, é a Augusta Rainha dos Anjos, portanto senhora de uma doçura angélica inigualável. Ela é a cheia de graça, pura e imaculada. Ela pode clamar as Legiões Celestes, que estão às ordens, para perseguirem e combaterem os demónios por toda a parte, precipitando-os no abismo. A Mãe de Deus é para todos os homens a doçura. Com Ela e por Ela, não temos temor.

Imitando essa virtude:
A doçura é uma coragem sem violência, uma força sem dureza, um amor sem cólera. A doçura é antes de tudo uma paz, a manifestação da paz que vem do Senhor. É o contrário da guerra, da crueldade, da brutalidade, da agressividade, da violência… Mesmo havendo angústia e sofrimento, pode haver doçura.

“Portanto, como eleitos de Deus, santos e queridos, revesti-vos de entranhada misericórdia, de bondade, humildade, doçura, paciência.” (Col. 3,12)

Fé Viva:

Feliz porque acreditou, aderiu com seu “sim” incondicional aos planos de Deus, sem ver, sem entender, sem perceber. Nossa Senhora gerou para o mundo a salvação porque acreditou nas palavras do anjo, sua fé salvou Adão e toda a sua descendéncia. Por causa desta fé, proclamou-a Isabel bem-aventurada: “E bem-aventurada tu, que creste, porque se cumprirão as coisas que da parte do Senhor te foram ditas” (Lc 1,45).

A inabalável fé de Nossa Senhora sofreu imensas provas:
- A prova do invisível: Viu Jesus no estábulo de Belém e acreditou que era o Filho de Deus;
- A prova do incompreensível: Viu-O nascer no tempo e acreditou que Ele é eterno;
- A prova das aparências contrárias: Viu-O finalmente maltratado e crucificado e creu que Ele realmente tinha todo poder.

Senhora da fé, viveu intensamente sua adesão aos planos de Deus com humildade e obediência.

Imitando essa virtude:
A fé é um dom de Deus e, ao mesmo tempo, uma virtude, devemos pedir a Jesus como fizeram os apóstolos para aumentar a nossa fé. Porém ter fé não é o bastante, é preciso ser coerente e viver de acordo com o que se crê. “Porque assim como sem o espírito o corpo está morto, morta é a fé, sem as obras” Tg (2,26).

Ter fé é acreditar que se recebe uma graça muito antes de a possuir e é, acima de tudo, ter uma confiança inabalável em Deus!

“Disse o Senhor: Se tiverdes fé como um grão de mostarda, direis a esta amoreira: Arranca-te e transplanta-te no mar, e ela vos obedecerá.” (Luc 17,6)

Pureza Divina:

Senhora da castidade, sempre virgem, mãe puríssima, sem apego algum as coisas do mundo, Deus era o primeiro em seu coração, sempre teve o corpo, a alma, os sentidos, o coração, centrados no Senhor.

O esplendor da Virgindade da Mãe de Deus, fez dela a criatura mais radiosa que se possa imaginar. O dogma de fé na Virgindade Perpétua na alma e no corpo de Maria Santíssima, envolve a concepção Virginal de Jesus por obra do Espírito Santo, assim como sua maternidade virginal.

Para resgatar o mundo, Cristo tomou o corpo isento do pecado original, portanto imaculado, de Maria de Nazaré.

Imitando essa virtude:
Esta preciosa virtude leva o homem até o céu, pela semelhança que ela dá com os anjos, e com o próprio Jesus Cristo.

Nossa Senhora disse, na aparição de Fátima, que os pecados que mais mandam almas para o inferno, são os pecados contra a pureza. Não que estes sejam os mais graves, e sim os mais frequentes.

Praticar a virtude da castidade, buscando a pureza nos pensamentos, palavras e acções!

Os olhos são os espelhos da alma. Quem usa seus olhos para explorar o corpo do outro com malícia perde a pureza. Portanto, coloque seus olhos em contemplação, por exemplo na Adoração, e receba a luz que santifica.

Quem luta pela castidade deve buscá-la por três meios: o jejum, a fugida das ocasiões de pecado e a oração.

“Celebremos, pois, a festa, não com o fermento velho nem com o fermento da malícia e da corrupção, mas com os pães não fermentados de pureza e de verdade” (I Cor.5,8).

Fonte: http://mariaportadoceu.blogspot.com/2009/10/as-virtudes-de-nossa-senhora.html