Credo in Unam, Sanctam, Cathólicam et Apostólicam Ecclésiam

"Na presença dos Anjos ei de cantar-Vos e adorar-Vos no vosso santuário."
(Salmo 137, 1)

sábado, 26 de junho de 2010

Eutanásia


NAO MATARÁS. Êxodo 20,13.

A Eutanásia é um dos temas de maior discussão da actualidade.
A igreja explica através do Catecismo:

“§2276 Aqueles cuja vida está diminuída ou enfraquecida necessitam de um respeito especial. As pessoas doentes ou deficientes devem ser amparadas para levarem uma vida tão normal quanto possível.
“E.40.2 Eutanásia moralmente inaceitável e sua Significação.
§2277 Sejam quais forem os motivos e os meios, a eutanásia direta consiste em pôr fim à vida de pessoas deficientes, doentes ou moribundas. É moralmente inadmissível.
Assim, uma ação ou uma omissão que, em si ou na intenção, gera a morte a fim de suprimir a dor constitui um assassinato gravemente contrário à dignidade da pessoa humana e ao respeito pelo Deus vivo, seu Criador. O erro de juízo no qual se pode ter caído de boa-fé não muda a natureza deste ato assassino, que sempre deve ser condenado e excluído.
§2279 Mesmo quando a morte é considerada iminente, os cuidados comumente devidos a uma pessoa doente não podem ser legitimamente interrompidos. O emprego de analgésicos para aliviar os sofrimentos do moribundo, ainda que o risco de abreviar seus dias, pode ser moralmente conforme à dignidade humana se a morte não é desejada, nem como fim nem como meio, mas somente prevista e tolerada como inevitável. Os cuidados paliativos constituem uma forma privilegiada de caridade desinteressada. Por esta razão devem ser encorajados.

E.40.3 Gravidade da eutanásia voluntária
§2324 A eutanásia voluntária, sejam quais forem as formas e os motivos, constitui um assassinato. E gravemente contrária à dignidade da pessoa humana e ao respeito do Deus vivo, seu Criador.”

Eutanásia na Europa

Gostaria de divulgar o texto do professor Felipe Aquino, doutor em Engenharia Mecânica, apresentador do programa Escola da Fé, Igreja e Atualidades na rádio e TV Canção Nova, muito conhecido no Brasil e grande defensor da Fé e da Moral Católica:

“O número de eutanásias na Bélgica cresceu em 500 casos de 2006 a 2007, mais de 14%, conforme a cadeia de televisão VRT em 14 fev 08. A comissão de controle da eutanásia assegura que só a metade dos casos são registrados e que, portanto, o número de eutanásias dobrou. Declarou que um terço dos pacientes têm menos de 60 anos e que a maioria de pessoas que procuram o serviço padece de câncer terminal. (Bruxelas, 18 fev 2008 – acidigital.com)

Na Bélgica a eutanásia foi legalizada em 2002, com o requisito de que o adulto que padeça uma enfermidade "incurável e insuportável a nível físico e espiritual", com pleno uso de razão manifeste "livremente" seu desejo de morrer. Segundo o síte Web aerzteblatt.de o diretor da comissão de controle de eutanásia, Wim Distelmans, pronunciou-se a favor da eutanásia para jovens na edição da quinta-feira do jornal "Het Belang van Limburg".

Os Asilos na Alemanha convertem-se em abrigo para idosos que fogem da Holanda com medo de serem vítimas de eutanásia a pedido da família. São quatro mil casos de eutanásia por ano, sendo um quarto sem aprovação do paciente.
(Fonte: http://www.dw-world.de/dw/article/0,2144,1050812,00.html)...

… O paganismo se alastra no mundo, mas a fé católica contesta o absurdo do suicídio; pois só Deus é o autor da vida e só Ele pode determinar o seu fim; muitas vezes é no último instante de vida que uma pessoa se converte e salva a sua alma. Desaparece a transcendência do homem; e ele começa a se assemelhar ao animal irracional.”

http://www.cleofas.com.br/virtual/texto.php?doc=NOTICIA&id=nbm0446

Consequências Sociais

É realmente preocupante que a Cultura da Morte esteja cada vez mais actuante na sociedade humana. A eutanásia constitui uma violação clara do princípio da inviolabilidade da vida humana, dando licença para matar aos médicos! O Estado afirma assim o desvalor de determinadas vidas humanas afirmando que a situação de doença pode fazer perder a dignidade humana.
Os que são a favor da Eutanásia defendem o respeito a autonomia da pessoa, porém o respeito a autonomia deveria partir pelo respeito a vida! Na prática muitas vezes a eutanásia é praticada na ausência de um pedido explícito e consciente, portanto sem a aprovação do paciente, então não podem justificar a eutanásia pelos princípios de autonomia. Chega-se a conclusão que o Estado deseja interferir na vida alegando que existem vidas desprovidas de valor e dignidade, são vidas que são um fardo para a sociedade.

A PESSOA HUMANA NÃO É DESCARTÁVEL!!

Pode-se também justificar a Eutanásia como um bem para a pessoa, porém a vida é o bem maior! Não é eliminando a pessoa doente que se combate o sofrimento, ou a doença.

Lembro ao jovem que provavelmente um dia será idoso e necessitado de cuidados, espero que, quando esse dia chegar, não tenha medo que algum jovem lhe desligue as máquinas ou lhe dê uma injecção letal porque a sociedade não precisa mais de você!


Sem comentários:

Publicar um comentário

Caro leitor:

Os comentários deste blog serão moderados. Reservo-me o direito de não publicar comentários que fogem ao tema da postagem em questão ou que sejam claramente contra a Igreja Católica. Também reservo-me o direito de não publicar ou de deletar todo e qualquer comentário que considere inconveniente e abusivo. O objetivo deste blog não é promover discussões sobre os temas em questão e sim ajudar na formação católica. Se é contra o que foi exposto, por favor, não perca o seu tempo e guarde a sua opinião para si.

Obrigada pela compreensão.

Muito obrigada pelo comentário.

Taiana de Maria